Cenário de guerra: confira os danos da chuva em BH

Chuva BH
Temporal causou destruição no bairro de Lourdes, em Belo Horizonte (foto: Túlio Santos / EM DA PRESS )

Em Minas Gerais,101 municípios mineiros decretaram situação de emergência. Além disso, confira estragos causados pelo temporal que atingiu a cidade de Belo Horizonte nesta terça-feira (28)

Fortes chuvas atingiram Belo Horizonte (MG) nessa terça-feira(28). A chuva causou estragos em várias regiões da cidade, principalmente na Centro-Sul, onde a precipitação alcançou, em pouco mais de três horas, mais da metade do total esperado para o mês de janeiro.

Em Minas Gerais, as primeiras mortes ocorreram entre os dias 23 e 24 deste mês. Isso significa mais de oito vítimas por dia. Segundo a Coordenadoria de Defesa Civil, até as 11h de ontem (28), o total de mortos registrados no estado chegava a 50 pessoas. Isso devido a deslizamentos de terra, desmoronamento de construções, alagamentos, transbordamento de rios e quedas de árvores.

Na última sexta-feira (24) o volume de água na capital mineira foi de 170 milímetros. No entanto, nessa terça-feira (29) foi de 183 milímetros. De acordo com o empresário Roberto Marques, de Belo Horizonte (MG), “É o preço do progresso, nós mesmos estamos acabando com o mundo devagarzinho, isso tudo é em decorrência da mão do homem”, destacou.

Chuvas em MG: “Foi uma catástrofe”, afirma pastor. Saiba mais!

Avenida Prudente de Moraes    

Ao descrever a situação da rua onde mora em Belo Horizonte (MG), na avenida Prudente de Moraes, o empresário relatou uma catástrofe. “Isso aí é a avenida Prudente de Moraes, é onde começa a minha rua. Olha o estrago que ficou”, relatou Marques.

Em pouco mais de três horas, caiu mais da metade do total esperado para o mês no Centro-Sul de BH: 175,6 milímetros, 53,3% do esperado para todo o mês de janeiro, já que a média climatológica para os 31 primeiros dias do ano é de 329,1 milímetros.

No Barreiro, caíram 132,8 milímetros, pouco mais de 40% da média de janeiro. Já no território Oeste, conforme a Defesa Civil, a quantidade de chuva atingiu 101,6 milímetros – 30,8% da média. Em Nova Lima, na Grande BH, uma pessoa morreu depois que um beco desabou no Bairro Cristais.

Os maiores estragos aconteceram na Região Centro-Sul, onde carros foram arrastados e restaurantes inundaram. Uma pastelaria localizada na Avenida do Contorno recebeu a água turva que vinha da rua. Os clientes se equilibraram em cima de mesas e cadeiras.

Mercado Central 
Bairro de Lourdes 

Já os frequentadores do restaurante Olga Nur, em Lourdes, foram surpreendidos pela enxurrada causada pela chuva e assistiram a enchente carregar os veículos estacionados na rua. Na Avenida Cônsul Cadar, a chuva alagou o Shopping São Bento, localizado no bairro de mesmo nome, um dos mais atingidos pela precipitação.

Outro centro de compras prejudicado pela tempestade foi o BH Shopping, no Belvedere. Parte do teto do estabelecimento desabou, mas ninguém se feriu.

Ali perto, um novo deslizamento na BR-356, na altura da curva do Ponteio Lar Shopping, interditou parte da via. Um dos principais pontos turísticos de Belo Horizonte, o Mercado Central foi atingido pela forte chuva que caiu. Um vídeo de um dos moradores da região mostra a entrada do centro comercial completamente alagada. O registro indica altura elevada da água na Avenida Augusto de Lima e na Rua Santa Catarina.

Danos também no Barreiro e no Oeste da cidade. Na primeira região, a Avenida Olinto Meireles ficou alagada e invadiu um posto de combustível. Motoristas tiveram que conduzir seus carros até o canteiro central da via para evitar maiores danos. Já no segundo território, as avenidas Mário Werneck e Úrsula Paulino inundaram. A chuva também refletiu em Nova Lima, na Grande BH, onde ruas e avenidas foram alagadas.

*Da redação, com informações do Estado de Minas 


Leia Mais

Enchentes: Prejuízos e alertas para novas inundações 
Inconha: “Apesar da tragédia, agradecemos a Deus”
Ore por Inconha! Temporal destrói a cidade!