Franklin Graham: evento foi cancelado por ele crer na Bíblia

Foto: Reprodução

Graham respondeu à decisão do ACC Liverpool, ginásio onde ocorreria o evento. Em carta aberta à comunidade LGBTQ no Reino Unido, ele informou que iria a Grã-Bretanha não para condená-los

O reverendo Franklin Graham, evangelista e filho do falecido pregador Billy Graham, estava programado para falar neste verão em um local em Liverpool. Essa parada, no entanto, não ocorrerá mais.

O evento de Graham, a ser realizado no ACC Liverpool, fazia parte de uma turnê maior pelo Reino Unido. Autoridades do local anunciaram na última sexta-feira que o evento seria excluído da programação.

De acordo com os responsáveis, as opiniões de Graham – particularmente sua interpretação bíblica do casamento como uma união entre um homem e uma mulher – são “incompatíveis com nossos valores”.

Juízes de paz não querem fazer casamentos homossexuais. Saiba Mais! 

A decisão de cancelar a parada de Graham em Liverpool não é surpreendente. Pois manifestantes têm repreendido os líderes do local por permitir que Graham compartilhe o Evangelho no espaço. Um grupo crítico da aparição de Graham no ACC Liverpool foi a “Liverpool Labour Network LGBT”, que se referia ao evangelista como “um pregador de ódio homofóbico”.

COMO GRAHAM RESPONDEU?

Na última segunda-feira (28) à tarde, Graham respondeu à decisão do ACC Liverpool. Ele escreveu uma carta aberta à comunidade LGBTQ no Reino Unido, informando que ele viria para a Grã-Bretanha para não condená-los. Ele está vindo para apresentar o Evangelho.

Graham admitiu que vê a homossexualidade como um pecado. “O problema, penso eu, é se Deus define a homossexualidade como pecado”, escreveu ele. “A resposta é sim. Mas Deus vai mais além do que isso, dizendo que somos todos pecadores – inclusive eu. A Bíblia diz que todo ser humano é culpado de pecado e precisa de perdão e limpeza. A penalidade do pecado é a morte espiritual – separação de Deus para a eternidade. ”


Graham defendeu o direito à liberdade de expressão e liberdade religiosa. Ele escreveu que não viria ao Reino Unido “para falar contra ninguém” porque o Evangelho “é inclusivo”. “Estou indo falar por todos”, acrescentou. “Não estou saindo do ódio, estou saindo do amor.”

O pregador de 67 anos terminou sua carta dizendo que aqueles da comunidade LGBTQ são “absolutamente bem-vindos” a participar de um de seus eventos no Reino Unido.

*Da redação, com informações da CBN News 


Leia Mais

Um engano chamado “Teologia Gay” 
Fé e mudança, a história de quem deixou a homossexualidade
Seminário sobre sexualidade e aconselhamento cristão