24.1 C
Vitória
sábado, 15 maio 2021

SP: cultos presenciais estão liberados, mas com restrições

Governo do Estado anunciou flexibilização nas restrições após uma leve queda na taxa de internações por Covid-19

Por Priscilla Cerqueira

A partir deste domingo, 18, as igrejas poderão abrir suas portas para a realização de cultos presenciais em São Paulo. Além das atividades religiosas, o governo de SP autorizou abertura de comércios, shoppings, lojas de rua e demais atividades religiosas, porém, em horários reduzidos.

Os cultos que estavam proibidos, voltam a ser presenciais com restrições de capacidade de até 25% de público e obediência às regras sanitárias. Governo paulista anunciou nova fase do plano de flexibilização da quarentena, entre a vermelha e a laranja. Por isso flexibilizou as restrições.

A medida foi definida pela gestão estadual como uma “fase transitória” durante 2 semanas e prevê a liberação gradual de outros setores da economia até o final de abril. No próximo sábado (24), poderão voltar a operar restaurantes, salões de beleza e academias.

“Para que possamos fazer essa retomada com segurança, sem perder todo o esforço realizado, nós estamos trazendo essa fase de transição, esse período de duas semanas que vai mostrar a nossa capacidade de trabalhar junto pela ciência da saúde, pela ciência da economia, pela ciência humana. Fazendo juntos o trabalho que é buscar proteger vidas, empregos, e combater a fome”, disse Patrícia Ellen, secretária de Desenvolvimento Econômico.

Restrições

A limitação do público para até 25% da capacidade total de cada estabelecimento é uma criação desta nova fase de transição. Na fase laranja, os serviços podem operar com até 40% da capacidade. A decisão ocorre após uma leve queda na taxa de internações por Covid-19 no estado, que está em torno de 85% nas UTIs.

Do próximo domingo até o dia 23, o comércio pode funcionar das 11h às 19h, e as atividades religiosas têm que seguir protocolos de segurança. O governo afirma que vai acompanhar a retomada das atividades e que precisa da colaboração da população, para que as regras sejam respeitadas.

A avaliação e uma possível atualização do Plano São Paulo devem ser divulgadas em 30 de abril. “Importante a gente frisar que o que estamos fazendo no meio de uma pandemia, que é uma guerra sanitária, é avaliar a situação de hoje, prever a situação dos próximos dias, e procurar com muita segurança, se é que é possível, dar passos adiante”, disse Rodrigo Garcia (DEM), vice-governador.

*Com informações das agências 

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se