Pastor Raymond Koh está há mais de um ano desaparecido

Pastor Raymond Koh com a esposa Susanna Liew. Foto: Reprodução Web

A Missão Portas Abertas convoca cristãos para assinatura de uma petição on line pedindo para que Raymond seja encontrado.

O pastor Raymond Koh foi sequestrado perto de casa em Petaling Jaya, na Malásia em fevereiro de 2017. Ele foi levado em uma ação coordenada, em que sequestradores mascarados em três vans cercaram seu carro e desde então não se tem notícias dele. Além do pastor Koh, os cristãos Joshua Hilmy e a esposa, Ruth Sitepu, e o ativista Amri Che Mat também desapareceram em circunstâncias parecidas em novembro de 2016.

Segundo a World Watch Monitor, em 2011, o pastor Raymond foi investigado depois de ser acusado pelo Departamento Religioso Islâmico de Selangor de tentar converter os muçulmanos ao cristianismo, após um jantar para arrecadar fundos na Igreja Metodista Damansara Utama. Esse caso acabou sendo abandonado devido à falta de provas.

Em maio, um novo primeiro ministro foi eleito na Malásia, derrotando a coalizão que governava o país há 60 anos. Alguns sinais indicam que o novo governo pode ser mais favorável aos cristãos. Logo após a posse do novo primeiro ministro, a Comissão de Direitos Humanos da Malásia reabriu o inquérito sobre o desaparecimento do pastor Raymond Koh. Mas até hoje o pastor não foi encontrado.

Apelo

A esposa do pastor, Susanna Liew fez queixa na polícia sobre seu desaparecimento no mesmo dia. Foi interrogada mas até hoje nada. Um ano e meio depois do acontecido, ela ainda clama pela liberdade do marido. O inquérito sobre o incidente foi interrompido em janeiro. “Meu desejo é que Raymond seja libertado para que ele possa se reunir com sua família”, disse ela entrevista ao Channel News Asia.

Em entrevista à Missão Portas Abertas, Susanna contou que ela e o marido haviam iniciado uma ONG para trabalhar com os pobres, mães solteiras e portadores de HIV. Nos interrogatórios, a polícia perguntou sobre todas essas atividades. E o que fica é a impressão de que estavam culpando o pastor pelo fato de ter sido sequestrado.

“Tem sido uma jornada longa e difícil. Há momentos em que estamos para baixo, devido à incerteza, sem saber onde e como ele está. Mas somos gratos pelo apoio das igrejas locais e cristãos de todo o mundo”, diz Susanna. Ela nos pede para orar e continuar postando nas redes sociais a história do pastor, para que ele não seja esquecido.

Petição

Milhares assinaram uma petição on-line pedindo a localização do líder religioso. A Malásia é um país majoritariamente muçulmano e tem sido alvo de ataques contra os cristãos.

Acesse aqui para assinar a petição da Missão Portas Abertas

Carta ao embaixador da Malásia no Brasil 

“Escrevo para expressar minha profunda preocupação sobre os sequestros de Raymond Koh, Amri Che Mat, Joshua Hilmy e a esposa, Ruth Sitepu. E peço encarecidamente que tomem medidas concretas e imediatas para garantir que a aplicação do estado de direito e da justiça seja estendida a eles.

O sequestro de Raymond Koh foi gravado pelo CCTV (Televisão Central da China ou China Central Television, canal de TV público que pertence ao governo chinês). A precisão militar da ação em que ele e Amri Che Mat foram sequestrados implica que foram ataques coordenados realizados por indivíduos treinados. Há a suspeita que a polícia é cúmplice nos sequestros e sabe do paradeiro dos quatro desaparecidos.

Agora esses casos se tornaram uma questão de interesse público, tanto na Malásia como em outros países. Todo o mundo está esperando para ver se a Malásia vai se revelar como uma liderança na questão de liberdade e justiça ou continuar no caminho da corrupção. Cidadãos malaios também se perguntam por que a polícia não tomou a iniciativa de ajudar a Comissão de Direitos Humanos da Malásia (Suhakam) a descobrir a verdade, mas em vez disso parece tomar medidas ativas para interferir em seus processos.

Portanto, nós os exortamos a tomar medidas imediatas para assegurar que a lei se aplique a todos os cidadãos, independentemente da fé que professam. Respeitosamente, pedimos que todos os níveis do governo da Malásia cooperem totalmente com a investigação da Comissão de Direitos Humanos da Malásia (Suhakam) sobre os sequestros, revelando todas as evidências de envolvimento policial nos quatro casos.

Adicionalmente, pedimos que seja estabelecida uma investigação independente e imparcial sobre as alegações de envolvimento policial nos incidentes. E, caso fique provado, que se garanta justiça rápida para as famílias. Finalmente, pedimos que o governo da Malásia faça tudo o que estiver ao seu alcance para localizar e devolver o pastor Koh e os outros sequestrados às suas famílias.”

*Redação de Comunhão, com informações de Portas Abertas


Leia mais

Governo da Malásia devolve 35 mil Bíblias à comunidade cristã
Novo chefe de justiça da Malásia é cristão

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!