27.1 C
Vitória
terça-feira, 16 abril 2024

Toffoli anula provas contra ex-ministro Paulo Bernardo

O ex-ministro é alvo de um processo por corrupção passiva e lavagem de dinheiro - Foto; Fábio Rodrigues/Agência Brasil

Defesa pediu extensão de decisão que beneficiou réu na Lava Jato

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), anulou, nesta segunda-feira (19), as provas obtidas a partir do acordo de leniência da Odebrecht contra o ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo, réu em uma ação penal que tramita no Rio Grande do Sul.Toffoli anula provas contra ex-ministro Paulo BernardoA decisão do ministro foi tomada após a defesa do ex-ministro pedir extensão da decisão que anulou as provas contra o advogado Rodrigo Tacla Duran, réu por lavagem de dinheiro em processos oriundos da Operação Lava Jato.

Ao analisar o pedido da defesa, Toffoli concordou que as acusações contra Paulo Bernardo também estão baseadas na análise dos sistemas Drousys e My Web Day, usados pela Odebrecht para registrar pagamentos de propina e que foram considerados ilegais.

O ex-ministro é alvo de um processo por corrupção passiva e lavagem de dinheiro que envolvem contratos firmados na Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre (Trensurb).

LEIA MAIS
IURD Angola denuncia detenção de mais de 40 pastores IURD Angola denuncia detenção de mais de 40 pastores - Brasileiros e angolanos seguem em uma grande disputa no país africano
Pastor Josué Valandro visita obra do novo templo da Atitude Vitória (ES) Pastor Josué Valandro visita obra do novo templo da Atitude Vitória (ES) - Novo templo terá capacidade para 1,5 mil pessoas e fica de frente para a Fernando Ferrari
Continue lendo…

- Continua após a publicidade -

“No total, a exordial contém 37 referências aos mencionados sistemas ao longo das suas 51 páginas. O mesmo se vê na decisão que admitiu o processamento da denúncia, ao consagrar, como elementos cruciais de convicção, os sistemas da Odebrecht obtidos por meio do acordo de leniência”, decidiu o ministro.

Em outra decisão recente sobre o caso, o Supremo anulou provas relacionadas ao acordo de leniência da empreiteira que estavam baseadas nos dados dos sistemas. A partir do entendimento, Tacla Duran e Paulo Bernardo pediram a extensão da decisão aos processos criminais contra eles. Com informações de Agência Brasil

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -