Os 502 anos da Reforma Protestante

"Estátua de Martinho Lutero: revolução na religião há 502 anos (Foto: Reprodução)

Entenda os benefícios da Reforma Protestante na história. Uma sessão solene na Assembleia Legislativa do (ES) comemorou os 502 anos

Nesta quinta-feira (31) a Reforma Protestante completa 502 anos. Assim, em 1517, Martinho Lutero anunciou as 95 teses na porta da igreja do Castelo de Wittinberg, na Alemanha.

Em ocasiões anteriores a Comunhão destacou aspectos importantes da Reforma Protestante. O pastor Carlos Novaes, professor do Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil, revelou as contribuições.

“Lutero defendia o livre exame das Escrituras. Essa postura deixou aberta a trilha para todos os outros desdobramentos da modernidade, desde o Iluminismo até o conceito de liberdade religiosa. Na cabeça dos reformadores havia essa separação entre a fé institucionalizada e a autêntica fé na graça divina. Foi por isso que a Reforma aconteceu”, esclareceu o pastor.

De acordo com Alderi de Souza Matos, professor e doutor em teologia, a reforma teve implicações políticas, econômicas e sociais. Confira no artigo: Reforma Protestante: os cinco séculos de história.

Ele destaca que “os principais reformadores trabalharam em estreita cooperação com os magistrados ou governantes civis. Assim, ficaram conhecidos como “reformadores magisteriais'”.

UMA NOVA REFORMA

O mesmo contexto que distanciou a Igreja da Palavra de Deus há cinco séculos também a ameaça hoje. Dessa forma, quais são os desvios da reforma nos dias atuais, e o que um novo movimento precisa fazer nos dias atuais?

O pastor Roberto Oliveira da Igreja Presbiteriana de Curitiba (PR), afirmou que vivemos desvios diferentes da época de Lutero. Entretanto, que produzem o mesmo peso.

“Alguns desvios são até maiores, como o abandono da essência do Evangelho. O que está sendo pregado é de lei (comportamental), e não de maravilhosa graça”, explana. Ainda mais o pastor revela a essência do evangelho.

“O Evangelho é boa-nova de perdão, graça e amor, mas a Igreja evangélica hoje é muito baseada em atividades. Isso cansa a muitos, quando na verdade deveria ser descanso e energização do Espírito”, conclui.

SESSÃO SOLENE

A Assembléia Legislativa do Estado do Espírito Santo (ALES) nessa quarta-feira (30), celebrou a Reforma Protestante. Assim, destacou a questão filosófica, social, econômica e social celebrada na data.

“As contribuições da reforma foram muito além das questões religiosas e teológicas. A questão do serviço social, que nós chamamos de diaconia, a questão da saúde, da educação e, sim, a redescoberta de um tesouro teológico maravilhoso que é a graça de Deus, a justificação da fé pela graça de Deus”, considerou o ice-presidente da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), pastor Mauro Batista.

“A igreja não pode se ater ao mundo espiritual, ela precisa refletir, debater e dialogar sobre aquilo que faz parte não apenas das pessoas, mas da boa  e maravilhosa criação de Deus. A reforma luterana parte do princípio de que somos justificados, somos tornados justos pela fé”, ressaltou o pastor do Sínodo Espírito Santo a Belém, Ismar Schiefelbein.

*Da redação, com informações da ALES


LEIA MAIS

Por uma nova Reforma! 
Os 501 anos da Reforma Protestante 
Reforma Protestante: cinco séculos de história
A Reforma Protestante trouxe benefícios para a sociedade?