Se você for discipulado

Sou pastor e nasci num lar cristão, mas a primeira vez que ouvi a palavra “discipulado” foi na faculdade de Teologia, aos 18 anos de idade.

Depois que entendi o significado do termo, procurei por muito tempo por alguém que me discipulasse, porém, somente aos 35 cheguei à conclusão de que ninguém faria isso comigo, pois a maior parte das pessoas da minha geração também não foram discipuladas.

Eu tinha certeza da salvação e do chamado ministerial. Era pastor, mas não havia compreendido o que é ser um discípulo de Jesus e fazer do outro também um. Como faltava esse ingrediente, tornei-me um ativista na igreja e na denominação. A partir dessa constatação, eu e um outro pastor amigo pedimos orientação e começamos um processo de discipulado mútuo, que depois se estendeu e alcançou milhares de pessoas. Por causa dessa experiência, Deus me permite hoje ajudar muitos pastores, líderes e igrejas nesse caminho.

Se você for discipulado, vai permitir que o seu “eu” morra para que Cristo habite nele e domine todas as áreas de sua vida. Em qualquer lugar em que estiver, a pergunta que norteará as suas atitudes será “O que Cristo faria em meu lugar?”, e não “O que eu faço para atingir meus interesses?”. Se você for discipulado, aprenderá submissão total a Jesus, e isso fará com que toda arrogância, opulência e altivez sejam substituídas pelo espírito simples, manso e humildade.

Se você for discipulado, aprenderá a amar aos outros como Cristo nos amou, e não a usar os outros como é praxe no mundo. Além disso, aprenderá a orar e a se comunicar diretamente com o Soberano em todos os momentos de sua vida, e não apenas depender da oração de terceiros sobre a sua vida.

Como discípulo de Jesus e também como pastor e líder cristão, veja que é hora de aproveitar o momento para fazermos uma autoanálise. Talvez nossa vida seja fruto de um sistema religioso que construímos, que forma membros de igreja cheios de regras, torna-os líderes na congregação e empurra-os para a sociedade sem uma missão. Formam-se líderes sem lhes dizer o que liderar, líderes que não tiveram seu caráter lapidado.

Somos formados dentro de um sistema religioso que informa, mas não transforma; que ensina, mas não lapida o caráter; que mostra as regras, mas não inculca os valores do Reino. Eu também cresci nesse sistema e, se um dia não tivesse entendido o que significa ser um discípulo de Jesus, poderia ter me tornado um radical religioso ou um “sem igreja”. Felizmente, a graça me alcançou e me transformou.

Eu não gostaria que sua igreja fosse cheia de membros e vazia de discípulos. Se você for, discipulado não vai trabalhar o ano inteiro apenas para manter o ritmo de atividades religiosas, mas estará focado em fazer novos discípulos.

Se você for discipulado, o foco da sua vida será transformação, e não realização de atividades religiosas. Então, se você ainda não foi discipulado, que tal parar agora mesmo de dizer “se” e passar a procurar alguém com quem possa desenvolver uma relação de discipulado? Que tal colocar como desafio para os próximos meses entender o que realmente é ser um discípulo de Jesus? Que tal já pensar em fazer novos discípulos?

Se você for um discípulo de Jesus, seu ritmo de atividades religiosas diminuirá, o número de discípulos aumentará, e sua vida gerará um impacto transformador no mundo.

Josué Campanhã