O Mundo que Queremos é o Mundo que Construímos?

Tenho optado debater os temas da Responsabilidade Social através de um olhar pela ótica da Palavra de Deus.

Até penso que o pensamento da Sustentabilidade e todo o diálogo sobre as práticas socialmente responsáveis nascem nas Sagradas Escrituras, de Gênesis a Apocalipse.
A questão é que a vida humana que o homem optou tem estado dissociada do modelo de vida que Deus proveu para a humanidade. Há esforços muitos bons por aí e que têm em vista um mundo melhor.

No ano de 2000, sob a batuta do então secretário-geral Kofi Atta Annan, a ONU lançou a Declaração do Milênio, contando com os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, num total de oito. Estes ODMs são também conhecidos, erroneamente, como Metas do Milênio, cujo foco era reduzir as misérias mundiais a partir de então.

Sob esta luz, quando nos voltamos para a Bíblia, lemos que Jesus, conversando com alguns, falava acerca do nosso posicionamento ante aquele que tem fome ou sede, carência de um canto para repousar, falta de roupa ou ainda das necessidades que as pessoas têm de afeto e assistência em suas enfermidades ou quando em prisões. O texto completo se encontra no livro de Mateus, 25.31 em diante.

Jesus não estava nem um pouco interessado, ao menos neste ponto do seu ensino, em nos convencer em orar pelos necessitados, ou em nos motivar a ensiná-los, pela Bíblia, a como vencer as suas tragédias. A visão de Jesus era iminentemente social.

Adotando o discurso de muitos missionários, podemos ajudar os necessitados orando, podemos visitá-los e consolá-los com palavras de conforto; mas, nem sempre isto é tudo. Podemos, também, nos colocar como instrumentos nas mãos de Deus para tenham uma condição de vida mais digna. No texto de Mateus, Jesus afirmava que quando damos a alguém uma melhor condição de vida, nós estamos fazendo isto para Ele mesmo.

Você sabe quantas crianças no Brasil estão na fila da adoção? São cerca de 30 mil. Nós já temos em nossa nação denominações que têm este número de participantes numa única congregação. Muitas das soluções para as misérias em nossa nação podem estar nas mãos da igreja.

Você ainda quer saber quais são os oito ODMs? Aí vão: Acabar com a Fome e a Miséria; Educação Básica de Qualidade para Todos; Igualdade entre Sexos e Valorização da Mulher; Reduzir a Mortalidade Infantil; Melhorar a Saúde das Gestantes; Combater a Aids, a Malária e Outras Doenças; Qualidade de Vida e Respeito ao Meio Ambiente; e, Todo Mundo Trabalhando para o Desenvolvimento.

Você também gostaria de saber sobre a visão social da Palavra de Deus? Comece pelo livro de Provérbios. São 31 capítulos, um para cada dia do mês. Você experimentará coisas extraordinárias. Mas, não leia por ler. Leia em aprendizado. Em seguida, vamos colocar em prática os ensinamentos recebidos, e com alegria. Os resultados serão magníficos.

Por fim, podemos viver a vida de forma meramente religiosa, interpretando a Bíblia apenas sob o foco da “espiritualidade”. Ou, podemos viver a vida fazendo com que a nossa fé se cristalize através das nossas ações, pois “a fé sem obras é morta”, conforme Tiago 2.20.
Um rápido testemunho. Em 1993, estávamos acordando para mais um feriado, era dia 8 de setembro. Alguém nos ligou e pediu que nós a ajudássemos a encontrar família para um bebê de um dia de vida. Fomos orar. Durante a oração, minha esposa se lembrou de “tive fome e não me destes de comer…”. Nesse momento, descobrimos que aquele bebê acabara de ganhar um lar, uma família, pai, mãe e irmãos.

Nisso pensai!

João Carlos Marins

A matéria acima é uma republicação da Revista Comunhão. Fatos, comentários e opiniões contidos no texto se referem à época em que a matéria foi escrita

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!