Família saudável: a importância de uma boa alimentação

Menos peso corporal, mais disposição, redução das taxas de glicose e colesterol, melhor saúde cardiovascular. Os benefícios da alimentação mais saudável são inúmeros

Mas o hábito alimentar do brasileiro está longe de ser saudável. Pesquisa feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2011 mostra que, para 90% da população, a ingestão de frutas, verduras e legumes está abaixo dos índices indicados pela Organização Mundial da Saúde. No geral, a alimentação do brasileiro é rica em calorias e não em nutrientes. “Com essa vida corrida, é mais fácil pegar um pacote de biscoito do que descascar uma fruta para comer”, disse a nutricionista Vanessa Coelho Cysneiros dos Santos, membro da Igreja Bola de Neve, em Vila Velha.

A pesquisa também revelou que a ingestão de alguns alimentos que compõem uma dieta saudável como arroz, feijão e peixe diminui a medida que aumenta o rendimento familiar. Por outro lado, o consumo de refrigerantes, doces e salgados fritos só cresce. Por isso, a orientação dos especialistas é fazer com que desde cedo a pessoa acostume-se a ingerir alimentos saudáveis. “O brasileiro precisa se conscientizar que os maus hábitos alimentares determinam sua saúde no futuro, levando até a diminuição da expectativa de vida”, lembrou a nutricionista.

A correria do dia dia é a grande desculpa para comer errado. As pessoas preferem preparações mais fáceis e rápidas ou acabam comendo fora de casa em fast food ou restaurante à quilo e esses lugares, geralmente, ofertam alimentos mais ricos em gorduras e carboidratos. Mas uma questão importante deve promover a reflexão das pessoas sobre vida saudável. Quando Paulo disse que nosso corpo é o templo do Espírito Santo (I Co 6:19) ele transmite um grande ensinamento.

Ao entender e aceitar a doutrina bíblica do corpo, a visão cristã de responsabilidade passa a incluir o físico, tanto quanto o espiritual. Paulo não usou à toa o simbolismo do templo. Por isso, se o corpo é templo, e do Espírito Santo, a obrigação do crente é a de mantê-lo saudável, limpo, santificado.

Segundo o pastor Usiel Carneiro de Souza, da Igreja Batista Praia do Canto, Vitória, a vida cristã é uma experiência existencial. “Portanto, nosso corpo é parte fundamental da vida cristã. Quando estou com a pressão alta, isso afeta minha relação com Deus, minha relação com as pessoas e minhas possibilidades de agir e ser alguém. Portanto, afeta minha vida cristã. Paulo também ensina que ‘Quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo de maneira que Deus seja honrado’” (1Co 10.31).

Nutrição
Para começar a comer bem e dar o primeiro passo é preciso antes pensar em como está a dieta. Vale a reflexão: “eu como bem?” A nutricionista Vanessa Cysneiros recomenda que a alimentação contemple arroz, feijão, pães, a proteína encontrada no leite e nas carnes, as vitaminas e minerais encontrados nas frutas, verduras, legumes, além de consumir muita água. “Hoje os fatores que mais prejudicam as pessoas quando o assunto é alimentação equilibrada é a correria do dia dia e as questões socioeducativas. Porém, podemos sempre carregar frutas na bolsa e andar com uma garrafinha de água. São dicas simples que fazem uma grande diferença na saúde”, disse a profissional.
Os alimentos ‘portáteis’ citados por Vanessa podem ser nozes, castanhas, amêndoas, uvas, maçãs, cenouras pequenas e até tomates cereja. Além disso, para evitar o jejum prolongado, a dica é colocar um alarme no celular para lembrar de comer a cada três horas. Nos supermercados, evitar os alimentos industrializados e também os temperos prontos. “Se possível trocar farinha branca por integral, temperar os alimentos com produtos naturais como alho, cebola, temperos verdes. Preferir as frutas e verduras da época, que são mais baratas também”, falou Vanessa, que na matéria oferece uma dica de cardápio diário.  O importante é evitar radicalismos e investir em hábitos simples e possíveis de serem perpetuados para toda a família. Fazer, pelo menos, três refeições (desjejum, almoço e jantar) e dois lanches saudáveis por dia. Todos os dias ingerir porções do grupo do cereais e grãos integrais (arroz, milho, trigo, pães, aveia, linhaça e massas). Os cereais são grande fonte de energia. Os grãos integrais contêm quantidade significativa de fibras, causando maior saciedade. “Comer três porções de legumes e verduras como parte das refeições e três porções ou mais de frutas nas sobremesas e lanches são muito importantes. Esses alimentos possuem grande quantidade de fibras, vitaminas e minerais e, portanto, auxiliam no funcionamento do intestino e no fortalecimento das células de defesa”, lembrou Vanessa Cysneiros.
Vale evitar refrigerantes e sucos industrializados e não exagerar nos bolos e biscoitos doces demais. Esses produtos possuem alta quantidade de sódio, corantes, gorduras saturadas e açúcares, e pouca quantidade de fibras. Um item importante para regular é o sal. O excesso desta substância pode causar hipertensão, por isso deve-se utilizar temperos naturais, como salsinha, coentro, salsa, tomilho. Vanessa recomenda, ainda, a ingestão de, pelo menos, dois litros de água por dia.
Quem faz atividade física deve evitar o jejum. Antes, é bom comer carboidratos em porções pequenas e, depois, proteínas e carboidratos. Caso a pessoa treine sem se alimentar corretamente, ela pode ter hipoglicemia, desidratação e perder também massa muscular. Essas atitudes, aliadas ao exercício físico, podem evitar a obesidade. O excesso de peso já superou mais da metade da população brasileira, atingindo 51% da população acima de 18 anos.
A rotina alimentar na casa de Silvia Carla Coutinho Lauriano, 42 anos, mudou bastante. A artrite reumatóide do esposo Maurício forçou a família toda a se ajustar quando o assunto é alimentação. Mais frutas, verduras, legumes, menos frituras e refrigerantes agora são palavras de ordem em casa. “Hoje temos qualidade de vida. A necessidade de mudar é maior do que a vontade, mas é possível organizar a vida para comer melhor e fazer atividades físicas”, disse a dona de casa.

Estética corporal
É preciso refletir sobre a importância da atividade física. Segundo a especialista em educação física Simone Del Maestro, o exercício não é modismo. Ele é necessidade humana. “Nosso corpo precisa de movimento. A atividade física traz um bem-estar completo e qualidade de vida para a pessoa”, falou a membro da Assembleia de Deus Bethel, em Vitória.

Simone, que é professora e proprietária de uma academia no Centro de Vitória, afirma que seus alunos, geralmente, não vêm à academia na primeira vez por livre e espontânea vontade. “A maioria começa a malhar por indicação médica, quando acende a luz vermelha das taxas altas de colesterol e glicose, excesso de peso, pressão alta etc.”
Na casa de Simone alimentação equilibrada e exercícios físicos fazem parte da rotina de todos. “Gosto do corpo definido, mas é uma opção pessoal. Na hora de orientar meus alunos faço avaliações e dou dicas baseadas no perfil de cada um. Sou apaixonada por cuidar da saúde das pessoas e vejo o quanto são desinformadas. Mas depois que começam, reconhecem o valor de se cuidar”. Com 18 anos de experiência profissional, Simone Del Maestro comenta que Deus nos deu um corpo para cuidarmos bem dele.
“Hoje temos pessoas ansiosas, que comem errado para compensar seus conflitos psicológicos. Precisam de auto-estima, valorização e quando começam a se cuidar mudam de vida, por dentro e por fora”.
A professora dá dicas para quem quer começar a fazer atividade física. O primeiro passo é procurar um médico, fazer os exames necessários para saber se está apto. “É a partir dessa avaliação que a pessoa fica liberada ou não para as práticas esportivas”. É importante que a pessoa procure um profissional de educação física para desenvolver um programa indicado às suas necessidades (condicionamento físico atual e histórico). O instrutor precisa saber o estilo de vida e a rotina do aluno: se trabalha em pé ou sentado, se tem algum hobby, se é uma pessoa estressada. “Tudo isso faz parte da avaliação. Fazemos a medição de altura, peso, objetivos e traçamos um planejamento, completou Simone.
É necessário começar devagar. O ideal para quem está iniciando a prática de atividades físicas é dedicar-se duas vezes por semana, durante 40 minutos a 1 hora. Não adianta começar de uma vez. Quem não gosta de academia, pode andar de bicicleta, realizar caminhadas e desenvolver o ritmo para corrida. “É importante definir o que gosta e o que quer fazer de atividade física. Seja qual for a atividade, vale consultar um profissional para obter orientações para um bom resultado e evitar lesões musculares”, ponderou a professora.
O pastor Usiel Carneiro é adepto da atividade física. “Gosto de ciclismo e corrida. Pratico mais a corrida e mais de uma vez por ano participo de provas de média distância (21 km) ou corridas em trilhas, onde tenho mais contato com a natureza. Pratico remo em canoa havaiana duas vezes por semana”, falou.De acordo com ele, essas atividades trazem grande bem-estar. “Busco orientação para minhas atividades com um profissional e isso tem ajudado muito em meu desempenho nas corridas e em meu estado de saúde. Tem tido oportunidades de aprendizado e adoração a Deus em cada uma dessas atividades”.
Como seu exemplo, o pastor Usiel lembra que o crente precisa ser bom exemplo de vida saudável. “Falo isso também para os pastores. Infelizmente, em nome do ministério, muitos de nós pastores temos negligenciado o templo do Espírito Santo que é o nosso corpo. Vivemos mais zelosamente o cuidado com o templo da igreja e o chamamos ‘casa de Deus’ e pecamos contra a verdadeira ‘casa de Deus’ que somos nós”, concluiu.
A matéria acima é uma republicação da Revista Comunhão. Fatos, comentários e opiniões contidos no texto se referem à época em que a matéria foi escrita.  
Compartilhe