Após 17 dias, resgate na Tailândia chega ao fim

Grupo de 12 meninos que desapareceu na caverna. Foto: Reprodução/Thai PBS

“Como foi com Lázaro 2 mil anos atrás, testemunhamos a ‘ressurreição’ e resgate dessas crianças que foram livradas da morte”, celebra a missionária brasileira que mora na Tailândia

Caverna da Tailândia – Mergulhadores iniciaram a etapa final da operação de resgate às 10h08 desta terça-feira (10), 00h08 no horário de Brasília. Oito garotos já haviam sido levados para o hospital em Chiang Rai no domingo e na segunda-feira (09).

A Marinha da Tailândia anunciou a conclusão do resgate no Facebook:

“Não temos certeza se é um milagre, ciência ou o que for. Todos os 13 javalis selvagens estão fora da caverna”, disse a página do órgão de Defesa.

Choveu forte na região na madrugada desta terça-feira (10), o que poderia ter complicado a ação da equipe. O ex-governador de Chiang Rai e comandante da missão de salvamento, Narongsak Osotthanakorn, afirmou que o trabalho agora foi uma “corrida contra a água e o tempo”. As operações bem-sucedidas anteriores, que trouxeram oito garotos, foram realizadas com tempo seco.

Elisa Dell’Antônio e o marido estão em campo missionário na Tailândia. Foto: Nosso Casulo

A missionária brasileira que reside na Tailândia, Elisa Dell’Antônio agradeceu a todos os que se mobilizaram em oração. “O que eles ainda não entendem, nós já temos certeza”, ressalta a jovem.

“Desde o início temos orado e crido em um milagre. O que antes diziam impossível, agora é realidade e as vítimas estão a salvo. Continuo firme acreditando que o que o mundo viu acontecer foi a mão de Deus tirando esses meninos e seu treinador para fora da caverna. Assim como foi com Lázaro há 2 mil anos atrás, testemunhamos a “ressurreição” e resgate dessas crianças que foram livradas da morte”, celebra Elisa.

“Nossa oração agora é que os olhos sejam abertos para que todos vejam e reconheçam o agir de Deus nessa situação e que toda honra e glórias sejam devolvidas a Ele”. Como a Bíblia diz: a oração do justo pode muito em seus efeitos”, conclui a missionária.

Entenda
Registro durante resgate.

O grupo se abrigou do tempo ruim após um treino no sábado (23 de junho) na caverna que fica no distrito de Mae Sai, perto da fronteira com Mianmar. Porém, a chuva bloqueou a entrada principal da rede subterrânea, que é complexa e tem vários quilômetros de comprimento.

O resgate ficou mais dramático após a morte do mergulhador Saman Kunan, de 38 anos, após levar suprimentos e oxigênio para as crianças. No retorno, ele ficou sem oxigênio e não resistiu. Voluntário na ação de resgate, Saman era militar do grupo de elite da marinha e atleta de alto rendimento. As autoridades temiam que as vítimas pudessem passar até 4 meses dentro da caverna, enquanto se fortaleciam fisicamente e treinavam mergulhos.


Resumo do resgate

23 de junho – Grupo de 12 meninos, entre 11 a 16 anos, e o técnico, de 25 anos, desaparecem ao entrar na caverna para fugir de chuva;

2 de julho – Grupo é encontrado;

3 de julho – Equipes de resgate relatam 1° contato e entrega comida aos jovens;

8 de julho – Início do resgate: 4 garotos foram retirados da gruta por mergulhadores e 4 no dia seguinte (9 de julho) eles foram hospitalizados e estão bem;

10 de julho – Resgate chega ao fim ao 3° dia com a retirada de mais 4 garotos e o técnico. Todos foram hospitalizados.


*Com informações da Agência de Notícias O Globo

Leia mais

Mergulhador morre ao tentar salvar crianças
Começa operação resgate dos meninos presos na caverna
Exclusivo – Missionária na Tailândia fala sobre resgate dos meninos

 

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!