25.5 C
Vitória
quinta-feira, 18 agosto 2022

Vida Devocional: A Ginástica Do Crente

Oração_Comunhão
Vida devocional é como uma "dieta balanceada" da Palavra de Deus unida à prática cristã; São pequenos exercícios que nos aproximam do Senhor - Foto: pixabay

Vida devocional é como uma “dieta balanceada” da Palavra de Deus unida à prática cristã; São pequenos exercícios que nos aproximam do Senhor

Por Syria Luppi

Como está o seu tempo com Deus? O corre-corre diário é um “prato feito” para justificar nossa falta de compromisso com a vida devocional. Cuidar da vida pessoal, do trabalho, dos filhos, da casa, dos estudos… tudo isso nos toma tempo e pode, se não nos organizarmos, tomar o tempo que devemos dedicar ao Senhor.

Nossa vida espiritual precisa de alimentação e exercício. Isso se consegue com uma vida devocional ativa. Se para manter nosso corpo vigoroso precisamos nos alimentar várias vezes ao dia, isso é ainda mais necessário quando o assunto é nossa vida espiritual. A Palavra mesmo diz ser bem aventurado aquele que “tem o seu prazer no Senhor e na Sua Lei medita de dia e de noite”.

Vida devocional é como uma “dieta balanceada” da Palavra de Deus unida à prática cristã, que pode ser: culto doméstico, culto pessoal, oração, vigília, jejum. São exercícios de fé que nos aproximam do Senhor e nos fazem cumprir Seu propósito aqui na terra.

A oração e a leitura da Palavra são indispensáveis para o crente manter a comunhão com Deus e crescer espiritualmente. De acordo com a palavra de Deus, a prática devocional deve ser uma prioridade em nossa vida: “Orai sem cessar” (1 Ts 5:17); “filho meu, se aceitares as minhas palavras e esconderes contigo os meus mandamentos, para fazeres atento à sabedoria o teu ouvido e para inclinares o coração ao entendimento e, se clamares por inteligência, e por entendimento alçares a se buscares a sabedoria como a prata e como tesouros escondidos a procurares, então, entenderás o temor do Senhor e acharás o conhecimento de Deus” (Prov. 2).

“Não cesses de falar deste Livro da Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas o cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito. Então farás prosperar o seu caminho e serás bem-sucedido” (Js 1:8)

Nossa vida espiritual é tão carente de alimentação e exercícios quanto a vida física. De que se alimenta o nosso espírito para manter-se saudável? Não é de um sermão uma vez por semana na Igreja, nem de uma leitura ocasional da Palavra de Deus. Paulo, orientando ao seu filho na fé, recomenda a Timóteo o cuidado de alimentar-se “com as palavras da fé e da boa doutrina” (1 Tm 4:6). Não é exagero declararmos que a maioria dos crentes de hoje não costuma investir diariamente num período de devoção com Deus. Há os que cometem este erro por falta de ensino, outros por falta de estímulo e há aqueles que erram por pura negligência, preguiça. Deus espera que O busquemos diariamente. Em Mateus 6:11, Jesus nos ensinou a buscarmos todos os a face do Pai Celeste e Sua provisão para aquele dia, especificamente.

Temos uma inclinação surpreendente para o comodismo. É só observar o que aconteceu com os israelitas no deserto e tomarmos como exemplo claro. Deus queria que Seu povo esperasse o maná do céu diariamente, não queria que eles fizessem reservas: “Disse-lhes Moisés: Ninguém deixe dele para a manhã seguinte (…) Eles, porém, não deram ouvidos a Moisés, e alguns deixaram do maná para o dia seguinte; porém deu bichos e cheirava mal. E Moisés se indignou contra eles. Colhiam-no, pois, manhã após manhã, cada um quanto podia comer; porque, em vindo o calor, se derretia” (Êxodo 16).

Mesmo sendo advertidos para não colher mais do que a porção diária do maná, alguns deles tentaram fazê-lo por pura acomodação, para não precisar levantar cedo e ter o mesmo trabalho no dia seguinte, uma vez que quando o sol se levantava, o maná derretia.

É uma tendência natural do homem procurar atalhos para tornar tudo mais cômodo, mais fácil. Os israelitas demonstraram estar dentro deste mesmo tipo de pensamento quando acharam que poderiam “driblar” a regra da busca diária. E nós também continuamos presos ao mesmo erro.

Culto doméstico: adoração no lar

Além de ser uma ótima oportunidade de diálogo e harmonia em família, o culto doméstico é mandamento de Deus (Deut. 11:18-21). No livro de Salmo 128, encontramos o valor da adoração a Deus no lar. É plano dEle que em cada lar haja um ambiente espiritual que honre e glorifique o Seu nome. Com Deus no lar a família é mais feliz, o retorno dessa prática é bênçãos do Senhor:

Para o pai – Salmos 128

  • Ele teme a Deus e anda nos seus caminhos
  • Adora a Deus; reparte felicidade com os seus
  • É companheiro e amigo dos filhos e da esposa, ajudando-os a serem bons cristãos
  • Ele ama a esposa e dá exemplo aos filhos
  • Tem cuidado e zelo pela família (1 Tm 5:8)

Para a mãe

  • Ela é comparada a uma árvore frutífera
  • Dá fruto, dá sombra, dá abrigo, dá aconchego
  • A árvore precisa ser cuidada: amor, zelo, afeto, carinho
  • É diligente, é virtuosa (Pv 31)
  • É admirada e elogiada pelo esposo e pelos filhos

Para os filhos

  • São comparados a plantas de oliveiras
  • Dão fruto (GI 5:22-23)
  • Dão sombra (amparo, abrigo contra o desconforto)
  • As plantas precisam ser regadas, cuidadas: amor, cuidado, afeto, tempo, diálogo

O culto doméstico é um valor que precisa ser resgatado em nossos dias. Ele pode ser feito diariamente durante 10 ou 15 minutos. É importante que toda a família esteja presente, tendo o cuidado de reservar um horário em que todos possam participar.

Um cântico pode ser entoado por todos, em seguida a leitura de um pequeno trecho da Palavra de Deus, onde cada dia um membro da família conduzirá. Um comentário significativo pode ser feito, enfatizando os pontos, aplicando-os à vida da família. É importante ter um momento de pedidos de oração. Ali cada membro poderá expor suas necessidades e interceder pelos outros. Caso não haja condições de unir toda a família, orienta o Pr. Ozias, é importante que cada um faça seu culto e busque compartilhar, numa hora específica, o que tem aprendido com o outro.

Tenha certeza que muitos obstáculos surgirão para impedir este grande momento em família na busca pelo poder do Alto. Esses obstáculos podem ser vencidos com oração e perseverança. É preciso que haja um esforço da parte de todos, principalmente dos pais (dar exemplo). “A adoração a Deus no lar precisa ser valorizada. A avalanche de pecados que são jogados contra os lares, especialmente através da mídia só pode ser derrotada com a família unida em torno do altar da adoração a Deus”, fala o pastor.

“Tu, porém, quando orardes, entra em teu quarto e, fechada a porta, ora a teu Pai, que está oculto; E teu Pai, que vê o que está escondido, te recompensará” (Mt 6:6)

Há pessoas que durante toda a semana não oram e nem lêem a Bíblia, mas acham que um culto durante a semana é suficiente para mantê-las abastecidas. Não há nada que nos leve a estar mais próximos de Deus do que o relacionamento diário. A falta de tempo com Deus é o maior obstáculo ao crescimento do crente.

A vida devocional demanda compromisso, esforço e tempo. É preciso disciplina para nos mantermos espiritualmente vivos e vigorosos. Segundo o Pr. Ozias Lima Ribeiro, nosso problema não é conseguir tempo para a vida devocional, mas sim sermos disciplinados. “Temos ao nosso redor os ladrões’ do tempo, muitas vezes não temos forças para nos libertar destes ladrões. Algumas vezes o tempo é mera desculpa para não separarmos uns momentos para a leitura da Bíblia. Eu mesmo, algumas vezes, dependendo das atividades do dia, tenho que me policiar. O crente não pode esquecer que meditar na Palavra e orar diariamente deve ser prioridade em sua vida”, falou o líder da Igreja Batista Canaã, em Viana.

Jesus nos deixou o exemplo de devocional: “De madrugada, ainda bem escuro, levantou- se, saiu e foi a um lugar deserto, e ali orava” (Mc 1:35). Jesus muitas vezes saía cedo para estar a sós com o Pai. O texto destaca que Cristo “foi a um lugar deserto”, o que fala da importância de estarmos a sós com Deus neste momento. Em vários textos da Palavra há um destaque para reservarmos as manhãs para o devocional com Deus.

Lemos no Velho Testamento: “De manhã, Senhor, ouves a minha voz; de manhã te apresento a minha oração e fico esperando” (S1 5:3). Deus demonstra valorizar as manhãs, sendo a prioridade do dia estar com Ele. O profeta Isaías declarou: “O Senhor Deus (…) me desperta todas as manhãs, desperta-me o ouvido para que eu ouça como os eruditos” (50:4). Para Moisés, Deus fez o convite: “Subas pela manhã e põe-te diante de mim no cume do monte” (Êxodo 34).

“Temos ao nosso redor os ‘ladrões’ do tempo, muitas vezes não temos forças para nos libertar deles. Algumas vezes o tempo é mera desculpa para não separarmos uns momentos para a leitura da Bíblia e a Oração.” – Pr. Ozias Lima

As bênçãos da vida devocional são inúmeras. Ela aperfeiçoa e sustenta a comunhão do pecador com Deus e elimina, por intermédio de Cristo, a distância que há entre o homem e Deus e leva o crente a experimentar intimidade com o Senhor.

“Nós não podemos amar o que não conhecemos. Se não nos dedicamos à vida devocional para buscar intimidade com o Senhor, não teremos forças para vencer as provações da vida, não teremos forças para sermos crentes fiéis em tudo. Observamos que há muitos crentes que vivem a vida baseada na experiência que outros tiveram com Deus, pois a sua vida é vazia de intimidade e resposta do Senhor de suas orações. Isso é reflexo da inexistência de uma vida devocional. O plano de Deus para nosso relacionamento com Ele envolve a busca diária. Mas costumamos errar justamente neste ponto”, falou o Pr. Ozias Lima.

Ainda segundo o pastor, a prática do devocional diário é um passo vital para andarmos em renovação espiritual: “Por isso, não desanimamos; pelo contrário, mesmo que o nosso homem exterior se corrompa, contudo, o nosso homem interior se renova de dia em dia (II Cor. 4:16). A Bíblia nos apresenta a visão de que na vida cristã todos nós precisamos de renovação diária. Por isso é tão importante que tenhamos um tempo diário meditando na Palavra, orando, adorando ao Senhor.

Todos nós almejamos um avivamento genuíno, uma vida cristã íntegra, que faça diferença na sociedade, mas avivamento sem vida devocional não existe. Fica só na euforia, na superficialidade. Não sobrevive ao tempo, nem produz santidade de vida, não mexe com o caráter do crente. “Isso, infelizmente, se reflete na Igreja. Crentes sem intimidade com o Senhor tornam a Igreja fria, sem amor aos perdidos, sem expressão na comunidade”, lembra o pastor.

A beleza do período devocional com Deus reside no princípio de estar a sós com Deus Isto não só nos ajuda a cultivar a intimidade com o Senhor, como também é um mandamento de Cristo: “Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto e, fechada a porta, orarás a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará” (Mt 6:6). Estar aos pés do Senhor é uma necessidade de cada um de nós. Ali não só pedimos, mas adoramos e nos rendemos com total liberdade de rasgar o coração. Esta rica prática diária te levará a um novo nível de relacionamento com Deus.

“Nós não podemos amar o que não conhecemos. Se não nos dedicamos à vida devocional para buscar intimidade com o Senhor, não teremos forças para vencer as provações da vida, não teremos forças para sermos crentes fiéis em tudo.” – Pr. Ozias Lima.

Esta matéria foi publicada originalmente na edição 74 da revista Comunhão, de Novembro de 2003. As pessoas ouvidas e/ou citadas podem não estar mais nas situações, cargos e instituições que ocupavam na época, assim como suas opiniões e os fatos narrados referem-se às circunstâncias e ao contexto de então.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Entre para nosso grupo do Telegram

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se