15.9 C
Vitória
sábado, 21 maio 2022

Jair Bolsonaro participa do Simpósio Cidadania Cristã em Brasília

Simpósio da Cidadania Cristã, realizado em Brasília, foi promovido pela Confederação dos Conselhos de Pastores do Brasil - Foto: Reprodução Palácio do Planalto

O evento, promovido pela Confederação dos Conselhos de Pastores do Brasil, reuniu lideranças políticas e evangélicas na Igreja Batista Central

Por Patricia Scott

O Simpósio Cidadania Cristã, realizado nesta última terça-feira (5), teve a presença de Jair Bolsonaro e também de ministros do governo. O evento, promovido pela Confederação dos Conselhos de Pastores do Brasil, aconteceu à tarde na Igreja Batista Central de Brasília. A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, esteve no encontro. Na ocasião, foi lido um documento com pedidos da ala evangélica ao presidente contra o aborto e a ideologia de gênero e a favor do homeschooling.

O presidente Bolsonaro, que foi o último a discursar, comentou sobre a expectativa a cerca da aprovação de André Mendonça ao Supremo Tribunal Federal (STF). “Não podemos perder a oportunidade de continuar mudando no destino da nossa nação. Temos aqui André Mendonça. O conheci na transição. Por coincidência, ele é do Vale do Ribeira, região mais pobre de SP que é minha região também. Apesar dele ser baixinho, né? Um pouco baixo, a cabeça um pouco pequena tem uma bagagem cultural imensa, sabe tudo sobre direito e é evangélico. Ou melhor, terrivelmente evangélico”, destacou.

Já a ministra da Mulher e da Família, Damares Alves, ressaltou que Bolsonaro escolheu para o STF um “pastor de criança”, que representará os pequenos na Corte. “Bolsonaro escolheu para o STF um pastor de criança. Não tem representação hoje. Olha para o STF hoje, qual é o ministro do STF que fala de criança?Pois agora as crianças terão voz porque um pastor será ministro no STF. Compromisso do Bolsonaro com a pauta da infância”.

Bolsonaro e a primeira-dama, Michelle, receberam oração dos líderes evangélicos – Foto: Reprodução Palácio do Planalto

Ela enfatizou também que o governo “vai ficar muito tempo no poder”. “Parte dos ataques que sofri, acreditem, foi porque eu sou evangélica e pastora. E o recado foi dado: ‘Não aceitamos vocês ainda’. Mas o recado está dado: é melhor ir se acostumando, porque nós vamos ficar é muito tempo no poder”.

O ministro do Trabalho e da Previdência, Onyx Lorenzoni, lembrou da campanha eleitoral para a presidência da República sem esquecer de mencionar a de 2022. “No ano que vem estaremos disputando palmo a palmo a liberdade, o direito de culto, a família, os princípios e os valores que nós queremos e professamos. Não será um momento qualquer no próximo ano. O próximo ano definirá o que nós, como país, seremos”.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se