back to top
23.9 C
Vitória
domingo, 23 junho 2024

Damares Alves critica proposta para o novo PNE

Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

“Não há democracia se somente um dos lados pode opinar e influenciar em algo tão importante que é a educação de um povo”

Por Patricia Scott

Nos últimos dias, a elaboração do novo Plano Nacional de Educação (PNE) para o decênio 2024-2034 tem gerado debates e dividido opiniões. A senadora Damares Alves (Republicanos-DF) criticou as propostas iniciais apresentadas no Documento de Referência.

“Nós conservadores estamos unidos e em alerta acompanhado o Documento de Referência da Conferência Nacional da Educação, que para muitos foi recebido com desconfiança por apresentar flagrantes perseguições políticas em boa tarde do texto. É perceptível, no documento, tendências ideológicas contrárias ao pensamento conservador, o que denota o caráter antidemocrático da CONAE [Conferência Nacional de Educação]”, postou a parlamentar evangélica no X (antigo Twitter).

Damares alertou quanto aos “trechos repletos de tendências ideológicas contrárias ao agro, o motor da nossa economia, e a autonomia da família brasileira na escolha da modalidade de ensino para os filhos”. A senadora frisou ainda a perseguição ao ensino domiciliar e o ataque às “liberdades de pensamento e expressão”.

- Continua após a publicidade -

“Não há democracia se somente um dos lados pode opinar e influenciar em algo tão importante que é a educação de um povo. Continuaremos resistindo a essas constantes tentativas de silenciamento seletivo. Nossa Constituição protege a liberdade de pensamento e o pluralismo político. E que assim se cumpra”, compartilhou na rede social.

Damares escreveu também que irá acompanhar os debates e as resoluções que serão aprovadas como norteadoras do Plano Nacional de Educação (PNE), que ainda será discutido no Congresso Nacional. “Estarei lá firme, no Senado Federal, como membro da Comissão de Educação do Senado Federal acompanhando e ajudando em todo debate”.

Cabe destacar que, assim como a senadora, a Associação Nacional de Juristas Evangélicos (ANAJURE) também é contrária a diversos pontos da proposta. Segundo a instituição, elas são “radicais”, baseadas na ideologia de esquerda.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -