Namoro: Deus no início de uma vida a dois

Foto ilustrativa

O ponto principal é saber conduzir o namoro de modo que Deus seja convidado a estar presente.

Namorar é, na origem, se envolver emocionalmente. A palavra grega para ‘enamorar’ é peripatheo, que significa ‘estar fortemente afetado’. No namoro, as pessoas são afetadas pela personalidade, carisma e beleza daquele a quem devotam confiança e expectativa de um futuro feliz. Se namorar é estar afetado – e o cristão não é menos afetado pela paixão – o ponto principal é saber conduzir o relacionamento de modo que Deus seja convidado a estar presente.

Compromisso, verdade, companheirismo, planejamento. Essas são características para um relacionamento dentro dos ensinamentos do Senhor. Embora a Bíblia em si não trate especificamente a respeito de namoro, é certo afirmar que o período em que o casal está se conhecendo deve sempre vislumbrar o casamento.

É um momento em que aumenta a cumplicidade, mas o contato sexual deve ser resguardado para o matrimônio (Cantares de Salomão 4.12; I Coríntios 6:15-20; I Timóteo 5.22; 2Timóteo 2.22, Hebreus 13:4).

O namoro, assim como todas as outras situações da vida do cristão, deve ser pautado pelo respeito, ensina o pastor Vilmar Diniz Oliveira, da Primeira Igreja Batista de Vitória, “Quando amamos, respeitamos e, se respeitamos, estamos provando que amamos. Gosto de citar João 13. 34 e 35 que diz: ‘Um novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei a vós, que também vós vos ameis uns aos outros. Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros’. Não há prova maior de amor do que o respeito. Quando o jovem toma consciência de que Deus está sempre presente, e que sua Palavra é a regra de conduta e vida, logo percebe que viver segundo o padrão do ‘mundo’ é perda de tempo. Viver debaixo da orientação de Deus para a vida amorosa, especialmente no período do namoro, é fundamental para um futuro lar feliz”, explicou.

Com experiência no aconselhamento de casais, Elizeu e Anísia Lopes, da Assembleia de Deus de Boa Esperança concordam com o pastor Vilmar quando o assunto é seriedade na relação. Casados há 24 anos, ministram o Curso Casados para Sempre, onde sete casais se reúnem durante 14 semanas para aplicação e compartilhamento de lições. “O padrão para o namoro cristão é: 1º espiritual, 2º racional, 3º emocional e 4º físico. O casal de namorados deve fazer tudo para a glória de Deus, e para isso é preciso vigiar, orar, meditar na Palavra e obedecer. Só assim se dará um testemunho cristão. Jesus quer fazer parte de nossos relacionamentos, principalmente aqueles que envolvem o nosso futuro cônjuge. Se deixarmos para buscar a Deus somente em determinados pontos de uma relação, os casais (namorados, noivos ou casados) estão propensos a um declínio espiritual”, frisou Elizeu.

As tentações sempre vão existir para aprimorar o caráter dos cristãos e, depois de vencidas, o retorno é o aumento do fervor da fé. Na opinião dos namorados Max Douglas e Sabrina Tozzo não pode haver relacionamento sem a presença de Deus. Membros da Igreja Batista de Barcelona, na Serra, o casal venceu dificuldades e se manteve unido pela crença no Pai. “Não existem dois sem três. Uma vida com Deus é a certeza de passos firmes em terreno sólido. O Senhor nos dá a garantia de uma vida próspera e abençoada. Transparência, esse é o segredo: um namoro transparente reflete a presença de Deus. A partir da frase: ‘Será que Deus se agrada disso?’, percebemos até onde nossas atitudes podem chegar”, disse Sabrina.

Alerta vermelho

A influência comportamental do mundo é um problema e deve ser combatido pelos casais com disciplina e vigilância. “O contato físico tornou-se mais freqüente, tanto na sociedade como também no seio da igreja. Os jovens sabem o que devem fazer, mas na hora do namoro sentem-se pressionados a serem ‘homens’ e ‘mulheres’ de verdade, ainda que não esteja na hora de tal demonstração. Paulo diz em I Coríntios 6:12: ‘Todas as coisas me são lícitas; mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas'”, alerta Vilmar.

Com tanta influência exercida pela mídia, por grupos de amigos, de colegas do trabalho ou da faculdade, quando reconhecer que o namoro atravessa dificuldades e é preciso “soar o sinal de alerta”? “Quando o namoro foge do centro da vontade do Senhor, e nossa atitude não condiz com aquilo que faz o coração do Senhor se alegrar. A orientação de Deus é primordial, a sintonia com o Pai nos auxilia tanto na manutenção do relacionamento, quanto nas tomadas de decisões, afinal estamos caminhando para a constituição de uma família. Este é o projeto de Deus”, falou Sabrina Tozzo.

Para o casal Eliewerthon Bonfim e Danielle Karla de Souza, da Assembléia de Deus de Coqueiral de Itaparica, os namorados devem se preparar para as adversidades buscando a Deus desde o primeiro momento. “Consideramos o namoro uma etapa importante para um relacionamento. É nessa fase que o casal passa a orar junto, tem a oportunidade de se conhecer e identificar se possui objetivos comuns. É através de um namoro equilibrado que se tem o sucesso matrimonial. O casal deve ajoelhar e buscar a Deus em sua relação desde o início”, frisou Eliewerthon.

O importante é que também no namoro, o cristão não se veja como alguém imune contra as tentações e os obstáculos. Ciente de sua condição humana e, portanto, falha, é que o homem pode ser humilde o suficiente para saber que apenas em Deus está a força para tudo vencer. “Não creio que o termo correto seja ‘namoro cristão’ pois também teríamos que nomear o ‘almoço cristão’ e o ‘banho de mar cristão’. Namoro é namoro, em qualquer situação, e deve ser visto como tal. Vejo o namoro como algo muito sério, que pode afetar positiva ou negativamente a vida dos jovens, sejam ou não cristãos. Namoro é coisa séria e deve ter o padrão de Cristo. Sua Palavra é nossa base sempre”, disse o pastor Vilmar.

Em I Tessalonicenses 4:1-8, Paulo mostra que o homem deve viver a fim de agradar a Deus. Para prosperar, ele deve fugir da prostituição; para buscar a santificação, ele precisa deixar o desejo da lascívia. Desejar um namoro santo é levar Deus a sério, vivenciando no dia-a-dia os princípios cristãos. Deus deve ser glorificado no namoro do cristão, apenas pelo fato de que todas as outras coisas devem ser realizadas para a honra d’ Ele. “Portanto, quer comais, quer bebais, ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus” (I Coríntios 10:31). E essa base é a chave para um namoro sadio, baseado no desejo de tornar o companheiro feliz. Apenas fundamentado na Palavra de Deus é que o namoro sobreviverá às tempestades. Somente em Cristo está o essencial: o amor.

A MATÉRIA ACIMA É UMA REPUBLICAÇÃO DA REVISTA COMUNHÃO. FATOS, COMENTÁRIOS E OPINIÕES CONTIDOS NO TEXTO SE REFEREM À ÉPOCA EM QUE A MATÉRIA FOI ESCRITA.

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!