27 Missões cristãs do Paquistão terão que encerrar atividades

A determinação é do governo do Paquistão
"Visão Mundial" é uma organização não-governamental humanitária especializada na proteção à infância. Foto: Reprodução/ Google

O prazo para que ONGs e Agências missionárias encerrem suas atividades no país é de 90 dias. A ordem é do governo do Paquistão. A Visão Mundial é uma das que terão que fechar. Decisão gerou protestos.

O Paquistão ordenou 27 instituições de caridade. A determinação inclui grupos cristãos. Todas terão 90 dias de prazo para encerrar suas operações no país. O Ministério do Interior do país emitiu uma ordem nacional com a ordem. E provocou protestos de organizações de direitos humanos.

Talal Chaudhry, ministro do Interior, disse à agência Reuters que o motivo para fechar 27  ONGs que atuam no Paquistão é que elas não estariam “fazendo o trabalho que disseram que fariam e trabalhando em áreas onde não estavam autorizadas”. Ele se recusou a dar exemplos específicos. Declaração trata de uma perseguição religiosa. A maioria dessas ONG são sustentadas por ministérios cristãos.

Em uma entrevista ao Christian Today, um porta-voz da Visão Mundial afirmou que eles esperam continuar seu trabalho com as crianças do Paquistão: “Estamos implementando vários projetos. Trabalhamos com crianças e jovens para proporcionar-lhes acesso à educação, proteção, geração de renda sustentável, cuidados de saúde, alimentos e cuidados dentro de suas casas e comunidades”.

Visão Mundial

A Visão Mundial é a mais conhecida agência de ajuda humanitária. Ela está entre as agências que terão que fechar. O trabalho humanitário dela já cuidou de aproximadamente 800 mil crianças desde 2015. Os missionários temem pelo futuro delas caso sejam obrigados a fechar suas portas no país: “Nossa principal preocupação é a continuação do trabalho com algumas das crianças mais vulneráveis ​​no Paquistão”.

O Fórum Humanitário do Paquistão, que representa 63 grupos de ajuda internacional, disse que o governo paquistanês emitiu “cartas de rejeição” para alguns de seus membros sem justificativa.

Nos últimos anos, o país endureceu sua posição em relação às ONGs, em especial as cristãs. O governo exigiu que eles realizem um processo de registro minucioso para continuar trabalhando no país.

Em janeiro de 2017, o Ministério do Interior ordenou o fechamento de mais de uma dezena de organizações que trabalhavam com mulheres e na defesa de direitos humanos. A decisão oi derrubada nos tribunais. E deixou as organizações cristãs esperançosas de que poderão reverter essa nova tentativa de fechar o trabalho delas.

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!