Maio: mês da Família

Mês de maio é uma época a qual se comemora e muitas datas festivas: noivas, mães, dia do trabalhador. Mas também é o mês da família. Diante disso, as igrejas costumam preparar uma programação especial para elas. Um exemplo é o Ministério Oikos, que oferece as demais igrejas um pacote com toda a programação para que realizem o mês do lar, que nesse ano terá como tema ‘Famílias Saudáveis para um Mundo Melhor’.

Liderado pelo pastor Gilson Bifano, Oikos é um ministério de apoio a família que surgiu em 1997, com a visão central de advogar a importância dela e promover seu fortalecimento. Há três anos que o ministério oferece um calendário variado no mês de maio.

Dentro da programação estão incluídos sermões, pastorais para boletins, apoteose, cânticos, palestras, enfim, tudo para ajudar as igrejas celebrarem em grande estilo o mês da família.

As igrejas geralmente fazem uma programação diferenciada e especial em maio para a família que busca consolo e força em tempos contemporâneos de crise e catástrofes. “O mês da família demonstra que a família tem um lugar especial na agenda da igreja. Mas o perigo está justamente aí, pois deixar para se falar ou ministrar as famílias somente no mês de maio e não nos demais meses do ano”, alerta o pastor Gilson Bifano, diretor e conferencista do Oikos

Atualmente as famílias são bem diferentes das antigas e tradicionais, onde todos almoçavam juntos à mesa, havia um respeito maior do filhos pelos pais e vice-versa. Já a família moderna evoluiu em quesitos positivos e também em alguns que podemos dizer negativos. Para Bifano explicou que as influências da filosofia pós-modernista inverte os valores estabelecido anteriormente, modificando o lar cristão.

“Os valores das famílias, incluindo as cristãs, são relativos e não mais absolutos. Creio que o maior instrumento deste enfraquecimento é a televisão que joga, todos os dias, lixo da imoralidade, da inversão de valores sobre os lares. Esses lixos vão sendo absorvidos, no inconsciente da pessoas e, no decorrer do tempo, as decisões vão sendo tomadas de acordo com esses valores que vão sendo assimilados e não mais de acordo com os valores cristãos pautados na Bíblia”.

Mas isso não quer dizer que todas as famílias estão com essas mudanças de valores significativamente firmadas. O pastor aconselha que não se deve pensar na família somente no mês de maio e sim ministrar de forma contínua para que a família seja abençoada, sem deixar de levar em consideração que família não se resume somente em trabalho com casais e sim, de pais e filhos e demais.

Compartilhe