O que é a verdadeira liberdade?

Liberdade

“Ora, o Senhor é o Espírito e onde está o Espírito do Senhor ali há liberdade” (2 Coríntios 3:17)

A busca incessante pela liberdade sempre pautou a vida humana. Não muito diferente de décadas atrás, esse ainda é um impasse de pais e filhos, pastores e ovelhas: até onde vai essa liberdade? Como manter o equilíbrio em nossos lares e em nossas igrejas? Fazer tudo aquilo que se tem vontade é a verdadeira liberdade? Em segunda Pedro 2:19, a Palavra revela que o homem se torna escravo daquilo que o domina. A carta aos Gálatas (5:16), orienta que sejamos livres para viver segundo o Espírito Santo e não conforme os desejos da nossa natureza humana.

Salomão excedeu a todos os reis da terra, tanto em riquezas como em sabedoria (I Reis 10:14). Um homem com tamanho poder que podia fazer as mais diferentes escolhas e, diante de toda compreensão que lhe foi dada, ao fim da vida, declara o quão efêmeras são as coisas desta terra. “Não me neguei nada que os meus olhos desejaram; não me recusei a dar prazer algum ao meu coração. Na verdade, eu me alegrei em todo o meu trabalho (…). Contudo, quando avaliei tudo o que as minhas mãos haviam feito e o trabalho que eu me esforçara para realizar, percebi que tudo foi inútil, foi correr atrás do vento; não há nenhum proveito no que se faz debaixo do sol”, registra em Eclesiastes 2:10-11.

Wanderley-Picinini
“A Palavra deixa claro que ter o Espírito como amigo é ter liberdade. Essa é a essência do Evangelho. Jesus foi ungido com o Espírito Santo, e o Senhor o mandou para dar liberdade aos cativos” – Pastor Wanderley Picinini

A vasta experiência de Salomão nos faz refletir, entre outros temas, sobre o sentido da verdadeira liberdade. O sábio rei foi capaz de compreender, mesmo muito antes da vinda de Jesus Cristo, o que seria confirmado pelo sacrifício na cruz: “É para a liberdade que Cristo nos libertou. Ficai, pois, firmes e não vos deixeis amarrar de novo ao jugo da escravidão” (Gálatas 5:1).

A ESCRAVIDÃO DO PECADO

Para Keila Tristão Santos, psicóloga e pastora da Igreja Batista Renovada Betel, esse ideal humano de liberdade se fortaleceu como um feito impossível de ser alcançado a partir dos pensamentos dos grandes filósofos como Descartes, Espinoza, Sartre e Marx. No entanto, Jesus falou sobre a liberdade a partir do ponto de vista do Reino. Do Seu Reino. A pastora explica que Ele nos ensinou sobre liberdade na visão de um Deus que criou Seus filhos para serem livres e que em cada espécie criada estava a liberdade e o limite dessa liberdade.

“O pássaro foi criado livre para voar, é a liberdade da sua espécie. A corsa foi criada livre para andar e correr, mas, por mais que fosse livre, não faz parte da sua natureza voar. O homem foi criado livre, uma liberdade que o limitava a ser humano, e não divino. Como vemos em Gênesis 3.4: ‘Disse a serpente à mulher: certamente não morrerão! Deus sabe que no dia em que do fruto comerem, seus olhos serão abertos e vocês serão como Deus’. A Bíblia chama de pecado essa desobediência ao limite de liberdade e declara que ele é altamente escravizante”, exorta. “Jesus veio para trazer liberdade novamente para o homem escravizado pelo pecado, como está declarado em Gálatas 2:4: foi para a liberdade que Cristo nos libertou”, conclui a pastora Keila.

Ouça a matéria:

Box_liberdadeO VERDADEIRO LIBERTADOR

Líder ministerial da Igreja Batista Central, o pastor Marcelino Augusto destaca a possibilidade real de, andando na contramão deste mundo, experimentarmos uma vida plena e abundante. “É fato notório que ainda existe muita escravidão e sabemos bem de o quanto o povo carece da urgente manifestação de um verdadeiro libertador. Mas nossa conversa é sobre a possibilidade de sermos livres, apesar de todas as circunstâncias que tentam a todo tempo nos aprisionar. Esse padrão de vida, que parece até meio utópico, só pode ser experimentado de uma maneira: vivendo na dimensão e no governo do Espírito Santo de Deus”, explica.

O apóstolo Paulo, ensinando aos Coríntios sobre a diferença entre a dispensação da Lei e da Graça, afirma que “…onde está o Espírito do Senhor, ali há liberdade” (2 Coríntios 3:17). Embora esse texto seja usado muitas vezes de forma equivocada para justificar exageros em nome de Deus, a verdadeira intenção de Paulo era trazer o entendimento de que, vivendo nessa dimensão espiritual e sob o governo do Espírito, nossa mente será “destravada” para um novo padrão de vida, no qual não seremos mais escravos de regras e dogmas nem governados por nossos desejos e vontades carnais.

Pastor Marcelino Augusto
“O Espírito de Deus é a chave que destranca nossas cadeias e abre nossas algemas. Ele é a fonte da verdadeira liberdade, que não pode jamais ser confundida com o direito de fazer o que quisermos, pois aí já não é liberdade, mas sim libertinagem” Pastor Marcelino Augusto, Igreja Batista Central

“Desse modo, a Lei se torna “desnecessária”, pois conforme já foi fartamente esclarecido nas próprias Escrituras Sagradas, a utilidade principal da Lei foi justamente trazer nosso pecado à tona, para que assim reconhecêssemos a necessidade de um Cristo, um Resgatador, um Libertador”, aponta Marcelino.

Ora, se o pecado não nos domina mais, a Lei, os dogmas e toda forma de religiosidade também perdem seu governo sobre nós. Ao vivermos sob a direção do Espírito, somos livres nEle, e assim podemos experimentar uma vida abundante, plena e intimamente profunda com Deus. “Fora dEle, qualquer outra busca será frustrada, a religião não nos liberta, mas a ‘independência espiritual’ também não traz verdadeira liberdade, pelo contrário, o distanciamento de Deus fará de nós escravos do orgulho, e assim sujeitos às consequências terríveis que ele produz. O Espírito de Deus é a chave que destranca nossas cadeias e abre nossas algemas. Ele é a fonte da verdadeira liberdade, que não pode jamais ser confundida com o direito de fazer o que quisermos, pois aí já não é liberdade, mas sim libertinagem”, enfatiza o líder ministerial.

A mensagem de 2 Coríntios 3:17 foi citada por todas as pessoas ouvidas nesta matéria e é adotada como referência pelo pastor Wanderley Picinini, da igreja Bola de Neve,
ao abrir seu testemunho. “A palavra deixa claro que ter o Espírito como amigo é ter liberdade. Essa é a essência do Evangelho. Jesus foi ungido com o Espírito Santo e o Senhor O mandou para dar liberdade aos cativos”, aponta.

Keila Tristão
“A Bíblia chama de pecado essa desobediência ao limite de liberdade e declara que ele é altamente escravizante” – Pastora Keila Tristão

Qualquer que seja a prisão que eventualmente tente encarcerar o homem em sua alma, em seu pensamento, o Espírito vem pra quebrar o jugo. “O Espírito Santo na vida de qualquer pessoa é libertador. Quebra as cadeias, os grilhões. Independentemente da cultura, do local, da família, por mais que você possa estar aprisionado, como João na ilha de Patmos, mas que se sentia livre. Até mesmo a situação de encarceramento físico o Senhor pode mudar, como fez na vida de Pedro”, finaliza o líder religioso.

Somente um relacionamento pessoal com Deus, através do Seu Espírito, vai nos levar a um nível de libertação e plenitude nunca antes experimentado. Assim saberemos o que de fato é ser livre. Livres inclusive para dizermos ‘não!’ a toda forma de pecado.

Dicas de leitura

Livro-espiritualidade-em-famíliaEspiritualidade em família

Mundo Cristão
Michelle Anthony

 

 

 

Livro-12-sinais-verdadeira-espiritualidade12 sinais da verdadeira espiritualidade: O Deus visível

Editora Vida Nova
Gerald R. Mcdermott

 

 

 

Livro-Uma-vida-de-milagres-agora-WEBUma nova vida de milagres agora

Graça Editorial
T. L Osborn
e LaDonna Osborn

 

 

 


 

Box_liberdade
SUA PRÓPRIA EXPERIÊNCIA

A pedagoga e professora de artes maciais Maria Cristina Justo Nascimento convive diariamente com crianças e jovens em suas aulas. “A experiência com Deus é algo muito intenso. No começo eu desconfiava de tudo, sempre questionava os testemunhos e achava que as pessoas estavam inventando aquelas histórias. Até que um dia, conversando com Deus, pedi a Ele que me permitisse essa experiência. Naquele mesmo dia, saindo da academia, fui abordada por um senhor que se aproximou e se desculpou por estar falando comigo: ‘Não sei qual a sua religião, mas Deus está me pedindo para lhe dizer que, a partir de hoje, você terá muitas experiências sobrenaturais para que testemunhe o poder do Espírito Santo por onde for’. Aquela revelação foi a chave para que eu me entregasse verdadeiramente a esse amor libertador”, conta Cristina. Para ela, é muito gratificante ter a oportunidade de falar dessa força libertadora aos alunos e ver que muitos deles são impactados.

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!