back to top
21 C
Vitória
terça-feira, 28 maio 2024

Saiba como vivem os cristãos no Catar, anfitrião da Copa do Mundo

Culto na Assembleia de Deus Bethel - Doha Catar - Foto: Facebook/Igreja Bethel AG Doha Catar

Os seguidores de Jesus representam 9,6% da população do país, onde muitas igrejas só funcionam sob o amparo de denominações reconhecidas pelo governo

Por Patricia Scott 

Devido à Copa do Mundo, os holofotes mundiais estão apontados para o Catar, que é uma península localizada no litoral do Golfo Pérsico, no Oriente Médio. Dados da Forbes apontam que, em 2022, ele foi considerado o 4º país mais rico do mundo. Ele faz fronteira com a Arábia Saudita e é separado por um estreito do Golfo Pérsico do Bahrein,

A principal religião do país é o islamismo. No entanto, outras crenças podem ser praticadas no país entre elas o Cristianismo.

Aproximadamente 9,6% da população do Catar é cristã, formada em sua imensa maioria por trabalhadores filipinos, indianos e libaneses, além de alguns convertidos do islamismo. Grupos missionários estrangeiros não têm permissão para atuar no país, que está na 18º posição da Lista Mundial da Perseguição (LMP) 2022.

- Continua após a publicidade -

Avanço das igrejas
Anteriormente à construção contínua de igrejas, os cristãos se reuniam em casas particulares e centros comunitários para adoração, conforme informação da Religion and Public Life (RPL). Vale salientar que os símbolos cristãos não são permitidos no exterior das igrejas. O governo e os líderes cristãos promovem a comunicação amigável.

Apenas seis igrejas são reconhecidas pelo governo do Catar: católica romana, anglicana, ortodoxa grega, ortodoxa síria, copta e cristã indiana. Entre a minoria cristã, os católicos romanos estão no topo da lista, seguidos por protestantes, anglicanos e cristãos não afiliados.

As denominações menores sem reconhecimento oficial, em grande parte protestante, devem realizar cultos sob o amparo de um dos seis grupos reconhecidos. A Igreja Anglicana abriga 60 evangélicos, protestantes e pentecostais. “Uma Igreja Anglicana foi inaugurada em setembro de 2013 com capacidade para 15.000 lugares e é supervisionada pela Diocese Anglicana de Chipre e do Golfo”, diz a RPL.

A instituição, ligada à Harvard Divinity School, diz ainda que várias outras igrejas estão planejadas para o Complexo Religioso de Mesaymir ou “Cidade da Igreja”. Ele é visto como um movimento consistente no país, que visa modernizar e atrair trabalhadores expatriados.

População do país
O país asiático tem uma população de aproximadamente 2,8 milhões de habitantes. Do total, aproximadamente 75% são estrangeiros, representados especialmente pelos indianos. Quase 90% da população é residente na área urbana.

Dados do Catar Statistics Authority apontam que a população masculina atual é de aproximadamente 2.036.932 homens e cerca de 646.575 mulheres. Esses números fazem do Catar o país com o maior número de homens para cada mulher.

As mulheres enfrentam restrições e limitações aos direitos humanos devido à sharia (conjunto de leis islâmicas). Elas são obrigadas a obedecer ao marido, serem vulneráveis à violência doméstica e restringidas legalmente de herdar metade do que um familiar masculino nas mesmas condições receberia.

No Catar, os homens são mais visíveis na esfera pública e, portanto, estão à frente da interação com as autoridades. Os que estão na liderança cristã são obrigados a relatar detalhes das atividades da igreja.

Os homens cristãos ex-muçulmanos não são imunes à pressão doméstica. Quando a conversão se torna conhecida, a família pode ameaçar de tirar as esposas e os filhos e colocá-los com outra família. A fé cristã de um pai jamais deve ser compartilhada com um filho.

Comunidades estrangeiras também ajudam a compor a população catariana, entre elas nepalenses, filipinas, paquistanesas e de outras nacionalidades menos representativas. Segundo levantamento do país, cerca de 800 brasileiros vivem no Catar.

Dinastia reinante
Comandado pela família al-Thani, que ganhou esse direito político concedido pelo Reino Unido e pelo Império Otomano. A dinastia reinante no Catar está no poder desde 1825. Após a renúncia sobre a região do Catar pelos otomanos, o país passou a ser um protetorado britânico, em 1916. Quase 60 anos depois, o país conquistou a independência do Reino Unido, tornando-se um Estado Soberano.

Somente em 2003, uma Constituição foi aprovada após um referendo com cerca de 98% de aprovação. O Catar corresponde a uma Monarquia Absolutista e Constitucional. No Catar, partidos políticos são proibidos e não há legislatura independente.

Com informações G1 e Religion And Public Life

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -