Música da banda Horanona embala campanha de rádio

Por Marianna Guimarães

A música “Esperança Pra Você” da banda capixaba Horanona é o tema da campanha “A Grande Esperança”, que toca na Rádio Novo Tempo do Espírito Santo. O título da campanha é homônimo ao livro da renomada escritora cristã Ellen. G. White. O livro faz um relato dos últimos momentos do conflito entre o bem e o mal. A campanha “A Grande Esperança” é promovida pelas Igrejas Adventistas do Sétimo Dia, a Rádio Novo Tempo Brasil e a Editora Casa Publicadora.
A Banda Horanona, formada pelos amigos Weslei Santos (Voz e Violão), Vitor Medeiros (Baixo e Voz), Bruno Pividori (Guitarras) e Junior Carneiro (Bateria), está junta desde 2009, quando foi a primeira colocada no Festival de Bandas do “Jesus Vida Verão”, onde só em 2010 subiram ao palco para tocar.

De lá pra cá a Horanona tem se destacado no cenário gospel nacional como banda de pop/rock. A materialização do trabalho dos cinco amigos se concretizou em 2011 quando lançaram o primeiro trabalho da carreira deles, o CD “Plugado e Sem Ruído”, que tem 15 faixas. Entre músicas inéditas de autoria do grupo, o CD traz uma regravação do clássico “Ele é exaltado”.

A equipe de Comunhão conversou com a banda para saber sobre a sensação de ter sua música como tema da campanha “A Grande Esperança” da Rádio Novo Tempo no Estado. Além disso, aproveitamos para saber o que eles estão planejando. Confira!

COMUNHÃO: A música “Esperança pra Você” de autoria do Weslei fala do medo das pessoas e do fim dos tempos, assim como o livro “A Grande Esperança”. Qual a sensação de ter uma música de vocês com tema de uma campanha em nível nacional?

HORANONA: É uma vitória muito grande, temos que agradecer a Deus por essa oportunidade que foi concedida. Faz parte do nosso sonho como banda, de querer sempre expandir os horizontes. Foi um presente que veio numa hora muito bacana.

A música fala de algo que para os cristãos é real. Como vocês enxergam a importância de cantar sobre essa verdade bíblica? Acham que os cristãos precisam lembrar disso com mais frequência, e que a vida eterna com Deus é o único propósito?
Com certeza! Tudo que fazemos aqui na terra é para que tenhamos uma vida no céu. Essa é a nossa caminhada, e no meio de tantos afazeres, sonhos materiais, conquistas e lutas, o nosso foco acaba sendo outro. Com isso, esquecemos da vida que temos que levar, que isso tudo aqui vai ficar para trás. Na guerra do dia a dia começamos a acreditar que podemos fazer tudo com as nossas mãos, tentamos ganhar a qualquer custo e, às vezes, abraçamos o mal por não ver saída. Mas Deus sempre é a esperança para nós e há de ser esperança para quem precisa e o quer. Quando menos esperamos, Ele nos lembra de que podemos confiar nEle a qualquer hora e em qualquer momento, deixando com que Ele entre e more de fato em nossos corações.

O álbum “Plugado e sem Ruído” é o primeiro trabalho de vocês. Como tem sido divulgá-lo pelo país?
Está sendo uma benção de Deus, poder ser recebido em um lugar que não te conhecem. Mais que isso, é bom saber que a sua música fez alguém repensar, ou causou transformação, isso é edificante para nós, de fato a maior recompensa que podemos receber. Graças a Deus, conseguimos vender todos os discos que fizemos na primeira remessa, e já estamos providenciando uma nova.

A banda já têm planos para um segundo CD ou ainda trabalharão mais a divulgação do primeiro trabalho?
Sim, vamos continuar na divulgação do “Plugado”, tem lugares que ainda queremos mostrar o nosso trabalho, com músicas do primeiro disco. E no segundo semestre já vamos começar a estruturar o próximo disco, se Deus quiser! Por enquanto, estamos somente pensando em ideias, escrevendo as músicas e buscando o melhor de Deus e o que ele quer transmitir, através do nosso Ministério.

Quanto tempo levou o processo de gravação do CD?

O “Plugado” ficou pronto com nove meses, como foi o primeiro álbum, nós tentamos caprichar e escolher bem nos timbres, nas edições e por ai vai. Demoramos um pouco, mais do que o esperado, mas conseguimos mostrar o que queríamos, tanto no som, como nas mensagens.

Vocês se encaixaram num estilo que agrada muito aos jovens, em especial. Como surgiu a ideia de formar a banda?
Antes dessa formação do Horanona, todos nós tocávamos juntos com o Pr. Carlinhos Félix. Chegou uma época em que Deus nos deu essa nova direção de montar a banda, com uma música que realmente tivesse a nossa cara e pudéssemos imprimir o nosso estilo e gosto nelas.

Vocês já tocaram com muitos cantores renomados da música gospel local. Como isso contribuiu para o trabalho em grupo?
Bom, aprendemos muito com isso. Cada cantor tem uma referência diferente do que sua música traz cada um tem uma linguagem e precisa que você primeiro entenda e depois toque. Com isso, conseguimos apreender essas informações e entender que a música não é feita de “oba-oba”, e sim de muita responsabilidade e competência. Ganhamos uma gama de profissionalismo com essas pessoas, desde como nos portar como profissionais a como prestar um serviço de excelência, primeiramente a Deus. E é isso que fazemos no Horanona, é nosso projeto, algo que fazemos com alegria imensa, mas andamos ao lado do profissionalismo, porque as pessoas não aceitam ouvir qualquer coisa. Tentamos, a cada apresentação, culto, cada “tocada” demonstrar isso com nossos arranjos, músicas e com as nossas próprias atitudes.

Assista ao vídeo da banda tocando durante Congresso Jubacel, em Minas Gerias