Catedral de Notre-Dame será reconstruída

Foto: Reprodução

O incêndio foi totalmente extinto só na manhã desta terça-feira (16). Equipe vai analisar os danos

Paris – As chamas que destruíram parcialmente a Catedral de Notre-Dame, em Paris, ainda nem estavam completamente extintas quando o presidente da França, Emmanuel Macron, prometeu reconstruir o monumento centenário e convocou uma campanha de arrecadação de fundos. As primeiras ofertas milionárias foram anunciadas nesta terça-feira (16).

O bilionário francês Bernard Arnault, colecionador de artes e presidente do maior conglomerado de marcas de luxo do mundo, LVMH, anunciou uma doação de 200 milhões de euros para a reconstrução da catedral.

A oferta de doação veio depois que seu rival ofereceu 100 milhões de euros. O bilionário François-Henri Pinault – que preside a holding francesa Kering, grupo de artigos de luxo que detém marcas como Gucci, Yves Saint Laurent e Balenciaga, e que é casado com a atriz Salma Hayek – disse ao diário francês Le Figaro que espera que o dinheiro – que será pago pela empresa de investimentos da família Pinault, Artemis, ajude a “reconstruir completamente a Notre-Dame”.

Valérie Pécresse, presidente do Conselho Regional de Île-de-France, uma das 13 regiões administrativas da França e que abriga a Grande Paris, afirmou que doará 10 milhões de euros para a reconstrução.

O presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, pediu aos parlamentares doações para a reconstrução da Notre-Dame, “como sinal de solidariedade”, em uma caixa do lado de fora do plenário em Estrasburgo. Por fim, a agência cultural das Nações Unidas, a Unesco, também prometeu “apoiar a França” na restauração do monumento, declarado Patrimônio da Humanidade em 1991.

O dono de uma empresa madeireira francesa afirmou à Rádio FranceInfo que está disposto a oferecer as melhores vigas de carvalho disponíveis para reconstruir o complexo que formava o telhado da catedral.

“O trabalho certamente levará anos, décadas até. Mas exigirá milhares de metros cúbicos de madeira. Teremos que encontrar os melhores exemplares, com grandes diâmetros”, disse Sylvain Charlois, do grupo Charlois.

Além de tempo, o trabalho de restauração será um desafio da natureza. Bertrand de Feydeau, vice-presidente do grupo de preservação Fondation du Patrimoine, afirmou à Rádio FranceInfo que a França não tem mais árvores grandes suficientes para substituir as antigas vigas de madeiras na Notre-Dame.

O especialista em patrimônio cultural explicou que o telhado de madeira foi, em parte, construído há mais de 800 anos, com vigas de florestas primárias. Feydeau afirmou que o telhado da catedral não poderá se reconstruído exatamente como era antes do incêndio. “Nós não temos, no momento, árvores em nosso território do tamanho das que foram cortadas no século 13”. Segundo ele, o trabalho de restauração terá que usar novas tecnologias para reconstruir o telhado.

A tragédia

A famosa catedral de Notre-Dome, em Paris, foi atingida por um incêndio nesta segunda (15). De acordo com os registros, o fogo tomou conta do sótão da igreja. O porta-voz da Notre Dame, André Finot, afirmou ao jornal New York Times, que o incêndio começou no fim da tarde, por volta das 18h30 (horário local).

À rede de notícias britânica BBC, autoridades relataram que o fogo pode começado por conta de reformas que estavam sendo feitas na catedral. Na última sexta-feira (12), 16 estátuas que adornam os telhados do monumento foram retiradas para restauração.

A polícia francesa está tratando do incêndio como um acidente. A prioridade é retirar os turistas que estavam dentro da catedral. Nas redes sociais, há imagens e vídeos que mostram a dimensão do estrago que tomou conta do monumento histórico mais visitado da Europa.

Em seu perfil no Twitter a prefeita de Paris, Anne Hidalgo, pediu que os cidadãos respeitem os perímetros de segurança. Segundo ela, “os bombeiros estão tentando controlar as chamas”.

*Com informações das agências/ Em atualização