back to top
27.9 C
Vitória
quarta-feira, 12 junho 2024

André Valadão explica suas declarações sobre os LGBTQIA+

Pr. André Valadão
André Valadão: "Não é ser de direita. É ser certo."

Em entrevista exclusiva à Comunhão, o pastor explica o que quis dizer em polêmico culto e mostra como pretende agir daqui para a frente.

Por Cristiano Stefenoni

Durante toda a manhã desta terça-feira (04), o nome do pastor André Valadão apareceu entre os “trending topics” como o assunto mais comentado no Brasil. O motivo: sua fala durante um culto no último domingo (02), na Igreja Batista Lagoinha, em Orlando (EUA). Na transmissão ao vivo, ele teria usado termos que, a princípio, incitariam os evangélicos a combaterem a comunidade LGBTQIAPN+, utilizando como exemplo a destruição dos antediluvianos por meio de uma punição divina.

“Lógico que não é matar, mas levar ao arrependimento”, explicou André Valadão em entrevista exclusiva à Comunhão. De acordo com ele, a sua fala foi retirada do contexto do culto e não reflete a verdadeira intenção da pregação. “Que absurdo pegarem só esse momento da mensagem”, criticou.

O pastor enfatizou ainda que o seu objetivo foi motivar os membros da igreja a terem Jesus como o Senhor de sua casa. “O que tenho falado é em ‘puxar a corda’, voltar ao início, à essência do cristianismo”, justifica.

- Continua após a publicidade -

O fato é que, após a postagem do vídeo, a repercussão foi imediata. Imprensa, políticos, influenciadores, ativistas, artistas, pastores, atletas e a comunidade em geral foram às redes sociais repercutirem o assunto.

Enquanto isso, o Ministério Público Federal e os MP’s de outros estados como o de Minas Gerais, por exemplo, decidiram abrir uma investigação para apurar um possível crime de homofobia por parte do pastor.

Contudo, para dar a sua versão sobre o assunto, André Valadão falou a Comunhão explicando o que realmente quis dizer em suas palavras durante o polêmico culto, demostrando como pretende agir daqui para a frente. Ele também fala das ameaças que tem recebido em função de suas declarações, confira:

Comunhão: Em sua justificativa nas redes sociais, você disse que foi mal interpretado ao usar o termo “resetar”. Poderia explicar melhor qual foi a real intenção dessa fala?
André Valadão: Resetar, voltar à essência, ao início. Termino a fala dizendo que isso cabe a nós. Não foi sobre matar, pelo amor de Deus. Que absurdo pegarem só esse momento da mensagem. Deus tem uma aliança com a humanidade em não mais destruí-la, por isso cabe a nós levar a graça, óbvio! Está em nossas mãos! Lógico que não é matar, mas levar ao arrependimento.

Muitos questionam a sua insistência em combater o homossexualismo. Por que resolveu adotar essa bandeira? Ainda vai continuar a fazê-lo?
Todo mês de junho pregarei na igreja sobre o que a Bíblia diz sobre este tema mundial. Nossos filhos são ensinados na Bíblia e precisam, diante desta agenda, ver o que a Palavra de Deus diz a respeito. Se o tema do mês no mundo é isso, então iremos para a Bíblia ler e estudar o que a ela diz, afinal, somos cristãos.

Há quem diga que o senhor tem buscado se promover para que, caso haja algum tipo de suspensão ao seu conteúdo, isso seja usado como pretexto para falar de censura do atual governo. Como o senhor vê essa teoria?
A censura não tem absolutamente nada a ver com governo. Tem a ver com a profissão de fé cristã. Repito, nada a ver com política.

O Ministério Público foi acionado e promete se posicionar. Como o senhor encara as consequências que virão daqui para frente?
A verdade, só a verdade. A consequência do que o cristão acredita e professa já está na Bíblia claramente definido.

Muitos políticos da Direita conservadora têm a imagem ligada ao senhor. Acha que fatos como esse podem acirrar ainda mais os embates entre posições políticas diferentes?
Não é ser de direita. É ser certo. Não é ser de direita ou esquerda, é ser Reino de Deus na Terra.

O senhor chegou a receber algum tipo de ameaça?
Ameaças constantes, sempre. Não temo a isso.

Quais serão os seus próximos passos daqui para a frente em relação a esse assunto?
Prosseguir. Não sou eu, é a Bíblia. Não é uma placa de igreja. É um só povo e um só Deus.

Confira abaixo a explicação dada por André Valadão em suas redes sociais

Para assistir ao vídeo que gerou toda a polêmica, clique aqui.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -