back to top
22.1 C
Vitória
domingo, 26 maio 2024

Quando a fé se transforma em manipulação

Muitas dessas violações acabam passando despercebidas ou sendo ocultadas, tanto pelos fiéis quanto pelas lideranças eclesiásticas

Por Rodolfo Capler

Em 2009, a jornalista Marília Cesar de Camargo publicou o livro “Feridos em nome de Deus” (Mundo Cristão, 2009). A obra é um livro-reportagem sobre os abusos espirituais praticados contra fiéis de sua antiga comunidade de fé. Movida pelos rumores de violações e manipulações em nome Deus, a jornalista empreendeu uma jornada de entrevistas e apurações de fatos, que resultaram nessa obra que até hoje desperta o interesse de leitores em todo o país, por abordar o delicado tema dos abusos espirituais.

Segundo o teólogo Dale Chamberlain, abuso espiritual “é qualquer tentativa de exercer poder e controle sobre alguém usando religião, fé ou crenças”. Eles podem acontecer, portanto, em ambientes religiosos ou em relacionamentos pessoais, manifestando-se de diferentes formas, como controle sobre vestimentas, comportamentos, sexualidade, decisões e finanças.

Para os pesquisadores Lisa Oakley e Justin Humphreys, coautores de “Scaping the Maze of spiritual abuse”(2019), líderes abusadores são caracterizados pelos seguintes comportamentos: afirmam falar em nome de Deus; usam a culpa e a vergonha como forma de controle; evocam autoridade inquestionável; usam a Bíblia para justificar o abuso; espiritualizam a busca desavergonhada pelo dinheiro; mantém as pessoas presas em relacionamentos abusivos; ensinam que a dúvida é pecado; esmagam aqueles com opiniões diferentes e isolam as pessoas que se evadem da igreja.

- Continua após a publicidade -

Com frequência, os abusos espirituais são praticados em três contextos distintos: líderes que abusam de sua posição em relação aos fiéis, fiéis que cometem abusos uns contra os outros, e a igreja, que pode acabar abusando de seus próprios líderes. Infelizmente, muitas dessas violações acabam passando despercebidas ou sendo ocultadas, tanto pelos fiéis quanto pelas lideranças eclesiásticas. Por isso, é imprescindível que as comunidades de fé locais abordem com urgência esse assunto, que tem causado tanto sofrimento e destruição na vida de tantas pessoas.

A melhor maneira de acabar com o ciclo de abusos espirituais é confrontar os indivíduos abusivos em seus comportamentos prejudiciais. De acordo com o Dr. George K. Simon, autor do livro “Como lidar com pessoas manipuladoras”, as personalidades controladoras só podem ser contidas através de confronto público e decidido. Se você está sofrendo abusos, não hesite em buscar ajuda e, se puder, confronte aqueles que estão causando danos, para que outras pessoas não sejam feridas em nome de Deus.

Rodolfo Capler é jornalista e teólogo, graduado pela Faculdade Teológica Batista de São Paulo (FTBSP), pastor da Igreja Batista Alternativa e autor dos livros “Geração Selfie”, “O país dos Evangélicos” e “Projeto de Poder”.

Mais Artigos

- Publicidade -

Comunhão Digital

Continua após a publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

Entrevistas