20.6 C
Vitória
sexta-feira, 7 agosto, 2020

Desemprego e empreendedorismo durante e no pós-covid 19

Leia também

Comércio demite 2,137 milhões de trabalhadores no trimestre encerrado em junho

Com muitos trabalhadores fora da força em função da pandemia, número de pessoas ocupadas no Brasil teve redução recorde de 9,6% no período

Américas continuam a ser epicentro da pandemia da covid-19

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, insistiu na necessidade de adoção das medidas já conhecidas para controlar os contágios de covid-19

Embaixada brasileira foi atingida por explosões em Beirute

Apesar da destruição, o governo brasileiro informou que o impacto não causou danos estruturais ao prédio da embaixada brasileira Por Renata Tranches (AE) O Ministério das...

O empreendedorismo familiar já é uma prática tradicional no mundo rural na agricultura e pecuária de subsistência

Vivemos tempos difíceis! Já vão para mais de seis meses em que o mundo entrou em uma nova era: a era do COVID-19. O primeiro caso de contaminação no Brasil foi registrado em 26 de fevereiro deste ano e em apenas um mês os reflexos na economia do país já se mostravam. Entre março e abril 1,1 milhão de vagas de empregos formais foram fechadas, elevando a taxa de desemprego no pais para 12,6%. E isso sem incluir os trabalhadores informais, sem carteira de trabalho assinada, em sua grande maioria absorvidos pelas micro e pequenas empresas, que por sua vez foram as primeiras a sofrer com o revés da economia. Entre os meses de abril e maio o SEBRAE registrou que 12% destas pequenas empresas demitiram seus funcionários e 44% paralisaram suas atividades por falta de capital de giro.

Começamos o segundo semestre de 2020 com perspectivas sombrias. Mesmo com a abertura gradual do comércio, a retração severa da economia no durante e pós-covid aponta para uma volta lenta do mercado de trabalho e uma espera longa para a multidão de desempregados no país.

Mas apesar do cenário difícil que se mostra no Brasil, o brasileiro é sobretudo um forte! Nossa formação cultural, miscigenada e sofrida pelo duro julgo da colonização fez de nós indivíduos com um especial “jogo de cintura” para descobrir novas alternativas e oportunidades. Somos um povo que se vira nos trinta e se sai muito bem de situações complicadas. A vocação do brasileiro para o empreendedorismo só é superada pela China e EUA. Mesmo dentro desta crise do COVID, o SEBRAE registrou o surgimento de 10 milhões de Microempresas Individuais (MEI) em maio!

Mas, empreendedorismo não é apenas abrir empresas! Empreender é se empenhar para atingir aquilo em que verdadeiramente acreditamos. Ser um empreendedor é ser alguém capaz de se superar a cada dia e de buscar saídas criativas para problemas.

Quando uma mulher resolve fazer chocolate na época da páscoa para ajudar na renda familiar, isso é empreendedorismo! A mulher brasileira, sobretudo, conhece bem esta prática de buscar soluções alternativas e criativas para o sustento e melhoria da condição financeira familiar. Assim como Lídia (At. 16.14) e Priscila (At 18.2-3) ela vai à luta vendendo cosméticos, roupas, lingerie, doces, salgados; fazendo trabalhos de costura e reformas; artesanato; aulas particulares e muito mais.

Estas atitudes são muito mais bem-sucedidas quando a família empreende junta. O empreendedorismo familiar já é uma prática tradicional no mundo rural na agricultura e pecuária de subsistência. Neste tempo de COVID, de novas atitudes e de retorno a antigas práticas, precisamos também reaprender a parceria doméstica para a sobrevivência de nossas famílias, onde cada membro familiar participa junto buscando informações para compreender e ajudar o empreendimento do outro. Se um membro da família se dedica a atividade empreendedora, os demais colaboram na divulgação e na busca de novas estratégias para a melhoria do “negócio familiar”.

Já podemos visualizar que 2021 e 2022 serão anos de empreendedorismo no nosso país.  Empreender é importante tanto nos períodos de vacas gordas como de vacas magras (Gn 41. 29-36). Quando tudo vai bem, muitos empreendem em função de novas oportunidades. No período das vacas magras, por necessidade. O desafio que se nos coloca é encontrar oportunidades nas necessidades. Que Deus nos abençoe e ilumine com muita criatividade e força para enfrentar os tempos que virão.

Lidice Meyer é Antropóloga, Professora na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Lisboa, Portugal

- Continua após a publicidade -

Comunhão Digital

- Continua após a publicidade -

Fique Por Dentro

Semana de lives da Consciência Cristã 2021; Confira as datas!

O tema das lives, que acontece de hoje, 3, até sábado, 8, é "Feitos à imagem de Deus", que será a abordagem do Consciência Cristã 2021

Helena Tannure e Alda Célia no Congresso Vitoriosas

É a terceira edição do evento, que é voltado para mulheres. O tema do Congresso Vitoriosas 2020 será Transformadas. Saiba mais! 

Lagoinha abre curso Linhas de ensino; Saiba mais!

As aulas das turmas do primeiro módulo do Curso Linha de ensino se iniciam a partir de 17 de agosto. Saiba mais!

Fórum literário: O absurdo, a esperança e mais além

Realizado desde 2016, o Fórum literário é um curso para peregrinar nos caminhos da arte e da fé cristã. Evento, que será online, começa hoje, 27. Saiba mais aqui! 

Plugue-se

“Recuperando a esperança” e fortalecendo a fé

Baseado em milhares de histórias verdadeiras, "Recuperando a esperança" é um forte lembrete de nunca é tarde demais para mudar e se transformar

Justin Bieber e esposa batizados: “momento especial”

Justin Bieber e esposa foram batizados e publicaram fotos do momento nas redes sociais

Doses diárias de sabedoria com devocional de Provérbios

O devocional de provérbios é um lançamento da gravadora Nova Fase, apresentado pelo pastor Alirio Misael

Mari Borges passa a integrar o time de artistas da Musile

Cantora mineira, que tem 11 anos de carreira, vem crescendo nas plataformas. Seu canal no Youtube ultrapassa os 600 mil inscritos