Talento Capixaba com Gabriel Rocha

 

Nascido num lar cristão e filho de pastor, Gabriel Rocha sempre teve tudo para trilhar uma vida totalmente dedicada ao Pai.

Desde a infância, já mostrava seu talento musical, e aos 9 anos se tornou baterista da banda da igreja que frequentava (Comunidade Água Viva), tocando em congressos, acampamentos e eventos evangelísticos.

Porém, como para alguns o caminho é mais difícil, Gab, como é conhecido, escolheu seguir por uma estrada tortuosa, a das drogas, com apenas 15 anos. Aos 16, começou sua carreira artística profissional, atuando em diversos grupos do meio secular. Até os 27, o cantor ficou mergulhado nesse universo, quando decidiu colocar um ponto final numa história que ele mesmo percebeu que não teria um desfecho feliz.

“Fiz questão de ir dirigindo para a clínica, onde fiquei internado por seis meses, para ter certeza de que quem estava decidindo mudar o modo de viver era eu, que não estava sendo forçado por ninguém a nada”, revelou.

Agora, aos 31 anos, Gabriel lança seu primeiro CD, “Seja”. Produzido de forma independente no Estúdio Torre por Rodolfo Simmor, o álbum traz canções que falam dos momentos vividos pelo músico, além de trazer inspirações que vêm do seu coração. “Componho aquilo que Deus coloca no meu coração. Às vezes é uma declaração de amor para minha esposa ou para meus filhos. Escrevo sobre tudo. ‘Lado a Lado’, por exemplo, é uma musica que fiz para o meu pai, Waldemar Rocha, pastor da Comunidade Água Viva. Deus me dá toda liberdade para compor, e toda a obra é dedicada a Ele, afinal foi Ele quem me deu a vida. Gosto de trazer alegria para as pessoas, de trazer emoção e reflexão”, lembra.

Tendo como música de trabalho “Clareou”, Gabriel Rocha assina todas as nove canções do projeto. “Estou trabalhando com ‘Clareou’, que é a terceira faixa do CD. Essa música está tendo grande aceitação do público, e estou feliz com isso”.

O cantor, que toca bateria, violão e guitarra, afirma que seu trabalho é fruto de uma longa jornada, especialmente com Deus. “Eu sou cristão, e tenho vida com Deus, levo meu trabalho com seriedade. A música que faço é cristã porque eu sou cristão, então isso soa verdadeiro. Tenho canções que falam de amor, de fé, de gratidão”.

Sobre o mercado gospel, Gab afirma que é promissor. “O mercado cresce cada vez mais e acabou se tornando um gênero de alto consumo. Penso que os cristãos deveriam conhecer um pouco mais quem são as pessoas que estão falando de Deus na música”.

 A matéria acima é uma republicação da Revista Comunhão. Fatos, comentários e opiniões contidos no texto se referem à época em que a matéria foi escrita. 
Compartilhe