Como colocar e manter as contas em dia

Desperdício é o que leva o dinheiro desnecessariamente como: pagar por serviços que não são usados, comprar eletrodomésticos que ficam encostados em casa, roupas que nunca sairão do guarda-roupa, alimentos que vão parar no lixo etc.

Cuidar do próprio dinheiro tem sido um problema para muitos. A maioria trabalha muitas horas, mas não investe nem 10 minutos para cuidar das suas contas e finanças. E, assim, mais de 61 milhões de brasileiros estão na lista dos inadimplentes. Vamos mudar essa realidade?

Vou enumerar cinco dicas simples que você pode adotar a partir de hoje para fazer o seu dinheiro valer mais. Saiba que se você tomar as rédeas da sua vida financeira, não vai mais depender de ninguém e poderá ver a promessa de viver do trabalho de suas mãos cumprir-se em sua vida.

1) Anote seus gastos

Começar um controle financeiro é muito fácil: basta ter uma folha de papel, um lápis e uma calculadora simples. Anote de um lado da folha todos os ganhos e, do outro, todos os gastos. Depois, analise se os ganhos são suficientes para cobrir os gastos e você terá um panorama da sua vida financeira. Faça o mesmo para os meses seguintes (uma página para cada mês). Fazendo isso, será possível verificar onde o dinheiro vem sendo mais utilizado e, sabendo para onde o seu dinheiro vai, você poderá distribuí-lo melhor.

2) Conheça os vilões do orçamento

Os grandes vilões são os chamados “gastos arbitrários”, que são despesas de valores baixos feitas frequentemente, como salão de beleza toda semana, aquele café com pão de queijo todo dia, comprinhas não planejadas (roupas, presentes, brinquedos e outros itens “baratinhos”) entre outros. Esse tipo de gasto costuma levar boa parte do orçamento sem que as pessoas percebam e é aí que mora o perigo! Anote todas essas compras na hora e você vai surpreender-se ao ver quanto dinheiro esses pequenos gastos representam no final de uma semana e de um mês.

3) Evite o desperdício

Desperdício é o que leva o dinheiro desnecessariamente como: pagar por serviços que não são usados, comprar eletrodomésticos que ficam encostados em casa, roupas que nunca sairão do guarda-roupa, alimentos que vão parar no lixo etc. A eliminação do desperdício deve ser sua meta número um. Dessa forma, o dinheiro vai aparecer e poderá ser investido de uma forma produtiva como juntar para pagar uma dívida, comprar algo necessário, fazer um curso etc.

4) Saiba como distribuir melhor sua renda

Nós, cristãos, devemos lembrar que não existe prosperidade real onde não há fidelidade. Por isso, o passo número um é ser fiel nos dízimos e nas ofertas (vide Malaquias 3-10). Jamais deixe de honrar a Deus devolvendo os primeiros 10% de toda a sua renda. Ou seja, separe o dízimo antes de pagar qualquer conta ou pessoa. Deus tem de ser o primeiro na sua vida. Depois, procure viver com 80% do seu ganho e poupar 10%.

5) Reduza os gastos que forem possíveis

Medidas simples ajudam muito, como não deixar luzes acesas ou ar condicionado ligado onde não há ninguém, não dormir com a TV ligada, não tomar banhos demorados, não falar à toa ao telefone etc. Todo valor economizado é um ganho, pois, assim como os gastos arbitrários levam pouco a pouco boa parte do orçamento, as economias a longo prazo trazem grandes ganhos. Se uma família economiza quinze reais na conta de luz, cinco na de água, dez na de gás e outros dez na de telefone, já estará economizando R$ 40 por mês. Pode parecer pouco, mas ao longo de um ano a economia – só dessas quatro contas – chegará a R$ 480.


Patricia Lages é jornalista e escritora best-seller, especialista em finanças.

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!