Capelania Musical para levar o Evangelho

Parte do grupo durante visita a um Hospital da grande Vitória. Foto: Facebook

O projeto leva mensagem da cruz para enfermos em Hospitais da região metropolitana da grande Vitória, no ES.

No Espírito Santo um grupo de cristãos resolveu se unir em prol do Evangelho. Desde 2014, o projeto Capelania Musical tem levado a mensagem da cruz através de canções. O trabalho começou com sete voluntários e hoje 153 pessoas fazem parte do grupo. Os participantes são de diferentes igrejas evangélicas da região metropolitana da grande Vitória.

Um ministério que fortalece a fé cristã, a união e ainda leva consolo para os enfermos que estão hospitalizados e precisam de alegria. Confira a entrevista com uma das líderes e voluntárias da Capelania Musical, Luciana Reis.

Como e quando surgiu o Capelania Musical?

Tudo começou no final de 2014 com um convite que eu recebi da Missionária e Capelã Christine Vianna, da Igreja Presbiteriana de Jardim Camburi, Vitória (ES). Ela já atua como capelã nos hospitais do Estado há muitos anos, mas sentia necessidade de organizar um grupo de cantores para atender alguns hospitais. No início eu tive receio porque a única coisa que eu sabia fazer era cantar na igreja, mas fazer isso em um ambiente hospitalar era bem diferente. No entanto, aceitei o desafio e convidei alguns amigos para irem comigo e 7 deles foram. O primeiro hospital que abriu essa oportunidade para nós foi o Hospital Vila Velha (ES) e nós cantávamos apenas no período do natal no primeiro ano. Mas no segundo ano já éramos uns 30 integrantes aproximadamente. O grupo foi aumentando devagarinho. Somos cantores e instrumentistas evangélicos, todos moradores da Grande Vitória, que se apresentam o ano inteiro, a fim de levar consolo e refrigério aos pacientes dos hospitais do Estado. A Capelania Musical é um ministério que visa fortalecer a fé em Cristo e consolar os enfermos pela mensagem da Palavra de Deus cantada. Somos atualmente 153 músicos (cantores e instrumentistas) voluntários. Atuamos em 7 hospitais entre públicos e privados. Somos servos comprometidos com o Reino de Deus e Sua glória. E estamos à disposição do Espírito Santo de Deus para o que Ele quer realizar com os enfermos.

Quem pode participar?

O projeto é destinado a músicos tanto para cantar quanto para tocar algum instrumento de corda, que sejam membros e estejam engajados em uma igreja Evangélica da região metropolitana da grande Vitória, que tenha mais de 16 anos. Mas que acima de tudo tenham disponibilidade para a obra. Os cantores não precisam ser profissionais. Se você tem esse perfil espiritual, é afinado e sabe tocar algum instrumento de cordas+, poderá se juntar a nós para realizar este trabalho.

Como funciona o projeto? 

Atendemos atualmente a demanda de sete hospitais na Grande Vitória, que englobam a capital do Espírito Santo e outros três municípios, particulares e públicos. Vamos a esses locais pelo menos uma vez por mês, durante a semana ou aos sábados, sempre de 14h às 17h, e executamos pelos corredores e ambientes privados (quartos) do hospital. Cantamos músicas cristãs com mensagens que levam consolo, esperança e ajudam os enfermos a direcionarem seus olhos para Aquele que entende o seu sofrimento e pode, se estiver em Seus planos, livrá-los da dor.

Qual objetivo do Capelania Hospitalar?

O objetivo do projeto é proporcionar conforto, encorajar os que sofrem a continuarem lutando por suas vidas, mas também levar a cada um deles a mensagem do Evangelho através da música cristã, por isso o trabalho tem cunho missionário. É muito comum encontrarmos pessoas que estão fora da comunhão, resolverem no seu íntimo reconciliarem-se com Deus após ouvirem canções que as aproximam, que revelam a Sua natureza misericordiosa, perdoadora. Há casos de cura, de reconciliação, e muitas outras obras que o Espírito Santo opera durante os louvores do seu povo.

Quais os resultados do projeto?

Desde que começamos, recebemos vários relatos dos próprios pacientes ou de seus familiares, do quanto esse trabalho trouxe alívio para a alma dos que sofrem. Há resultados favoráveis, concretos e documentados na resposta do paciente ao tratamento clínico que recebe. A natureza do nosso trabalho é espiritual, considerando que o ser humano é feito de corpo, alma e espírito e todas as partes do ser devem estar saudáveis para que a vida funcione.  As pessoas que sofrem dentro dos hospitais, muitas vezes, se deixam levar pelas más notícias sobre suas enfermidades físicas, mas ao ouvirem falar de um Deus que pode todas as coisas, depositam N’ele toda sua confiança e resolvem lutar pela vida. E muitos conseguem se recuperar rapidamente fazendo com que os próprios profissionais de saúde reconheçam a importância do nosso trabalho. Isso é muito gratificante para nós e nos estimular a continuar o nosso trabalho como cristãos.

Durante esses quatro anos de projeto quais os momentos mais marcantes para o grupo? Descreva uma situação que foi impactante?

Nesses quatro anos testemunhamos pessoas entregando a vida para Jesus, outras se reconciliando, pessoas emocionadas porque estavam clamando a Deus por uma resposta é e de repente surgíamos cantando no andar músicas que respondiam ao seu clamor. Mas me lembro uma vez que estávamos na UTI cantando “Creio que Tu és a cura” e de repente abriram a porta da UTI pra que a música chegasse aos pacientes. Uma moça que estava lá dentro implorou a Enfermeira para sair de lá na cadeira de rodas e foi até a porta da UTI. Ela chorou muito orando para Deus tirá-La daquela situação. Inclusive prometeu que se melhorasse iria servir conosco. Infelizmente não temos o contato dela, mas estamos aguardando ela chegar para que todos vejam que a mão de Deus fez isto. Outra situação é quando estávamos no Hospital Infantil e não tinha muitas crianças que podiam sair dos quartos naquele dia. Mas uma criança pôde e nós fizemos uma apresentação praticamente só para ela naquela tarde. Ela estava muito doente e os médicos ainda não haviam descoberto o que realmente ela tinha. Nós oramos e entregamos a situação dela ao Senhor, 8 horas depois recebemos a notícia de que ela havia falecido. O grupo até hoje lembra disso. É um misto de tristeza e alegria. Mas sabemos que todas as coisas contribuem para o bem daqueles que amam a Deus.

Como participar do Projeto
Informações:
(27) 99907-6461 (Luciana Reis)
Para conhecer melhor o projeto acesse aqui.

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!