back to top
20.9 C
Vitória
quinta-feira, 30 maio 2024

10 dicas para driblar a ansiedade

Foto: Reprodução

Ler a Bíblia diariamente, praticar atividade física, consumir alimentos saudáveis e ter um hobby são alguns hábitos que aliviam as preocupações do dia a dia  

Por Patricia Scott

Coração acelerado antes de uma prova, nervosismo em uma reunião importante e mãos suando no primeiro dia de trabalho. Essas são sensações comuns já experimentadas pela maioria das pessoas e estão relacionadas à ansiedade, que é natural no dia a dia.

O problema ocorre quando as preocupações relacionadas a acontecimentos rotineiros e ao futuro levam ao adoecimento. Insônia, falta de ar, palpitações, taquicardia e dificuldade de concentração, por exemplo, são sinais de alerta para o Transtorno de Ansiedade Generalizada, distúrbio mental que demanda avaliação e tratamento médicos.

Dados do Covitel 2023 (Inquérito Telefônico de Fatores de Risco para Doenças Crônicas Não Transmissíveis em Tempos de Pandemia) apontam que 26,8% dos brasileiros receberam diagnóstico médico de ansiedade. Um terço (31,6%) da população mais jovem, de 18 a 24 anos, é ansioso.

- Continua após a publicidade -

“Temos índices altos de adoecimento mental com impacto na vida escolar, no trabalho e também no interior das igrejas cristãs. Há um grito real de pessoas em sofrimento pelo alto nível de ansiedade, cotidianamente”, analisa a psicóloga Flávia Luz Vaz.

A especialista diferencia a ansiedade natural e o transtorno ansioso. “Aquela expectativa que gera um leve incômodo emocional é natural e não costuma afetar gravemente a rotina das pessoas. Pelo contrário, até contribui para a autoproteção”.

10 dicas para driblar a ansiedade
Psicóloga Flávia Luz Vaz – Foto: Arquivo Pessoal

Flávia esclarece, portanto, que a ansiedade não é uma vilã, embora possa se tornar, quando extremamente ativada. Ela funciona como um regulador de controle interno do organismo, que busca preservar a vida. 

A psicóloga cita os quatro padrões de respostas ansiosas: as fisiológicas, que se manifestam no corpo; as emocionais, como o medo e o nervosismo; as cognitivas, como o pensamento catastrófico “e se”; e as comportamentais, como evitar lugares e pessoas. “Não temos como eliminar seu fator de proteção, mas podemos e devemos regular a vida de forma a ‘encurtar’ a distância do cálculo que nosso cérebro faz sobre o perigo da situação, o que reduz a ansiedade”. 

A especialista ressalta que o estudo sobre ansiedade e ações de prevenção evitará o crescimento de doenças mentais na vida de adolescentes e jovens, como também o afastamento de muitos adultos das tarefas profissionais que, mediante crises ansiosas, estão recebendo licença ou aposentadoria. “A sociedade precisa compreender o que é ansiedade, como se manifesta e o que fazer para lidar com ela”, afirma Flávia.

Ao longo da vida 

A educadora Jennifer Pereira, da Escola do Futuro Brasil (EDF), chama a atenção para a redução da qualidade de vida do indivíduo, já que a ansiedade pode afetar o desempenho social e profissional. “Muitas pessoas ansiosas evitam interações sociais por sentirem o receio dos julgamentos, o que pode levar ao isolamento e à sensação de solidão que, inclusive, pode resultar em outro transtorno, como a depressão”.

10 dicas para driblar a ansiedade
Educadora Jennifer Pereira – Foto: Divulgação

Outro aspecto destacado pela educadora é que a pessoa ansiosa pode sofrer também de baixa autoestima, por sempre possuir uma visão negativa das próprias ações. Assim, “ela tende a possuir um grande senso de autocrítica”.

Jennifer considera, ainda, que a ansiedade pode afetar pessoas de todas as idades devido a desafios específicos de cada faixa etária. Ela argumenta que crianças e adolescentes podem sofrer com preocupações acadêmicas ou aceitação na comunidade escolar, como também alguma mudança que ocorre na família.

Na fase adulta, de acordo com Jennifer, a ansiedade é gerada por questões profissionais e de finanças, relacionamentos, pressão para alcançar sucesso, além das próprias expectativas. Já as pessoas de meia idade, assim como os idosos, podem ficar ansiosas em “consequência do próprio envelhecimento, como também o luto pela perda de pais e amigos, a saúde dos filhos e netos, preocupação com a aposentadoria e até a possibilidade de lidar com a solidão”.

A Bíblia e a ansiedade 

As Sagradas Escrituras revelam que o Senhor deseja que o homem não viva ansioso. Por isso, o apóstolo Paulo ensina, em Filipenses 4.6,7: Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os seus corações e as suas mentes em Cristo Jesus. 

E o sábio Salomão adverte: O coração ansioso deprime o homem, mas uma palavra bondosa o anima (Pv 12.25). Segundo ele, o antídoto para a ansiedade são as palavras boas, amáveis, de incentivo, que redirecionam os pensamentos a não focarem na falta, na ausência, no que ainda não aconteceu, mas ajudam a focar na certeza, na esperança que há em Cristo. 

Dentre as histórias de pessoas ansiosas na Bíblia, está a de Ana. Em 1 Samuel 1, a Palavra de Deus relata a angústia dessa mulher. Isso porque ela não tinha conseguido conceber filhos e estava sendo insultada por Penina, a outra esposa do seu marido. A ansiedade dela é causada por desejos não realizados e pelo assédio de uma rival. No entanto, quando Ana se rende ao Senhor, entregando a sua aflição, a mulher de Elcana tem a jornada ressignificada e gera Samuel. 

O Livro Sagrado também exorta que a ansiedade causa sofrimento desnecessário, distorce a realidade, impede de seguir os planos de Deus e enfraquece a fé. Assim, a chave para não cair nessas armadilhas está nas palavras do apóstolo Pedro: Lancem sobre ele [Jesus] toda a sua ansiedade, porque ele [Cristo] tem cuidado de vocês (1 Pe 5.7). 

Confira 10 dicas para prevenir a ansiedade

1) Faça respiração diafragmática [respiração profunda que contrai o diafragma]

2) Estabeleça horários para dormir e acordar

3) Programe uma rotina de oração

4) Faça atividade física aeróbica com regularidade

5) Consuma alimentos saudáveis

6) Leia a Bíblia diariamente  

7) Usufrua de momentos de lazer

8) Descanse sem fazer nada

9) Organize o tempo de trabalho

10) Tenha um hobby

 

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -