24 C
Vitória
quarta-feira, 21 abril 2021

Iraque: Visita do Papa levanta questões sobre a Igreja Perseguida

Pela primeira vez o Papa Francisco vai ao Iraque visitar igrejas atacadas pelo Estado Islâmico. Vaticano confirma a viagem mesmo com ameaças de terrorismo

Após controvérsias sobre surtos de coronavírus e o perigo do extremismo islâmico, o papa Francisco vai iniciar sua turnê pelo Iraque nesta sexta-feira, 5. É a primeira viagem ao exterior em 15 meses, com o objetivo de fornecer apoio às minorias cristãs na região. Ele vai visitar as igrejas que foram alvos do Estado Islâmico nos últimos anos.

A igreja iraquiana é uma das mais antigas do mundo, mas está ameaçada de extinção, devido aos frequentes ataques de grupos extremistas. Desde o início dos anos 90, o número de seguidores de Cristo no país caiu cerca de 90%.

O Papa vai visitar vários lugares no Iraque, entre os quais Qaraqosh e Bagdá, principais pontos de atuação da missão Portas Abertas. Nesta-sexta, 5, o líder passa por Bagdá, capital, e no dia 7, a visita será em Qaraqosh e Erbil, principais cidades onde acontece a perseguição e ataques aos seguidores de Cristo.

Perseguição aos cristãos

O Iraque ocupa o 11º lugar na Lista Mundial da Perseguição 2021, onde os seguidores de Jesus enfrentam perseguição em todas as esferas da vida; a perseguição parte de amigos, familiares, grupos extremistas, líderes de grupos não cristãos e de autoridades oficiais do país.

Desde o ano passado, muitos protestos violentos aconteceram e a extremistas islâmicos continuam ativos no Iraque, atacando e sequestrando cristãos. Muitos cristãos foram mortos em bombardeios e ações violentas.

Em 2014, dezenas de milhares de cristãos foram expulsos de casa após a invasão do Estado Islâmico. As igrejas no Iraque também viraram alvo dos extremistas e muitos templos foram destruídos. Os cristãos ex-muçulmanos muitas vezes são obrigados a manter a nova fé em segredo, porque sofrem pressão para abandonar o cristianismo, além de perderem emprego e acesso às necessidades básicas. A pressão vem em maior parte da família; uma mulher ex-muçulmana corre riscos de enfrentar diversos abusos, prisão domiciliar, assédio e violência sexual e até mesmo a morte, caso a fé seja revelada.

Portas Abertas no Iraque

Por meio de parceiros no Iraque, a Portas Abertas trabalha para apoiar os cristãos no país há mais de 20 anos com distribuição de Bíblias, treinamentos, ajuda emergencial em crises, projetos socioeconômicos e reconstrução de igrejas e lares destruídos pelo Estado Islâmico.

Com a reconstrução de casas e igrejas, os cristãos podem retornar para a cidade natal, tendo igrejas para congregar e assim propagando o cristianismo no país. Saiba como ajudar cristãos no Iraque através da sua doação.

Veja vídeo

*Com informações de Portas Abertas

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se