24.9 C
Vitória
terça-feira, 26 outubro 2021

Virou lei no ES: igreja é serviço essencial

“Agora temos garantias”, afirma o pastor José Ernesto Conte. Mesmo com autorização para funcionamento, secretaria de saúde do estado do Espírito Santo recomenda evitar cultos presenciais durante a pandemia

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB) sancionou uma lei que incluiu templos religiosos e igrejas na lista de atividades essenciais no Estado. Com isso, as instituições podem manter o atendimento presencial, mesmo diante de uma calamidade de saúde pública, como na pandemia da Covid-19.

A lei prevê que pode ser estabelecido um limite no número de pessoas que frequenta as igrejas e os templos, de acordo com a gravidade da situação.

“Observávamos é que alguns prefeitos e governadores proibiram reuniões em famílias até mesmo dentro de suas casas, proibindo a liberdade de culto. Com esse reconhecimento, agora nós temos garantias. Claro que vai precisar ter consciência dos dois lados”, declarou o pastor José Ernesto Conte, ex-presidente do Conselho Estadual das Igrejas Evangélicas do Espírito Santo (Ceigeves).

Cultos na pandemia

Apesar da pandemia e das recomendações de isolamento social, em Vila Velha (ES), a Igreja Assembleia de Deus Nova Vida não parou com os cultos presenciais. Mas teve regras. O número de pessoas dentro dos templos diminuiu. As cadeiras ficam separadas a uma distância de 1,5 metro. E o tempo de duração dos cultos também foi reduzido.

“Todas as entradas da nossa igreja se encontram abertas, mesmo com o ar condicionado funcionando, para manter a ventilação. Não há cumprimento, contato algum entre as pessoas. Nós cumprimos todos os protocolos de segurança do Ministério da Saúde ”, explicou o pastor Eduardo Vieira.

Culto_presencial
Na Igreja Assembleia de Deus Vida Abundante, em Cariacica (ES), tem feito o distanciamento social, com exceção para grupos familiares, mesmo assim, todos usam máscara de proteção e álcool em gel. Foto: Karoline Henrique

Para ele, a lei traz segurança para as igrejas continuarem atendendo. A igreja é um alicerce da sociedade. Tem importância espiritual grande para as pessoas. Então, a partir dessa lei as igrejas tem condições de atuar e ter a liberdade de cultuar com os cuidados necessários. Além de trazer tranquilidade para o nosso trabalho”.

O número de casos de covid-19 no Estado diminuiu nos últimos dias. Pastor Conte ressalta que 60% das igrejas presbiterianas do Estado, onde atua como pastor, já retornaram as atividades presenciais. “Mas essas igrejas estão mantendo os protocolos de recomendações do Ministério da saúde para evitar contágio. Mas isso aconteceu após a redução de casos no estado”, afirmou.

Recomendações

Apesar da lei, o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, recomenda ainda é evitar a realização de cultos presenciais, por conta da quantidade de pessoas no mesmo ambiente.

“Neste momento, não é adequado a realização de cultos presenciais. No entanto, nunca estiveram proibidas as realizações. As autoridades sanitárias realizam uma recomendação de não realização de atividades presenciais em municípios de risco alto e moderado. Essa recomendação está mantida mesmo com a publicação da lei”, explicou o secretário em coletiva de imprensa realizada na segunda-feira (20).

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se