25.8 C
Vitória
quarta-feira, 21 outubro 2020

Vacinas poderão controlar a covid-19, diz diretor do Butantan

Leia também

Brasil e EUA em novo acordo

Robert Lighthizer, participou do mesmo evento, e afirmou que o atual relacionamento beneficia ambos os países

Juiz bloqueia R$ 29 mi de Doria por ‘autopromoção’

Campos considerou que há indícios de que Doria os princípios da impessoalidade e da moralidade administrativa

Conselho de Ética: investigação contra Chico Rodrigues depende de Alcolumbre

A estratégia da cúpula do Senado é derrubar o afastamento determinado pelo ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF)

Medicamentos não vão acabar com novo coronavírus, alerta pesquisador

As vacinas em desenvolvimento no mundo contra o novo coronavírus, oficialmente denominado SARS-CoV-2, poderão conseguir controlar a doença causada por ele, a covid-19. No entanto, nenhuma delas será capaz de acabar com a circulação do coronavírus no planeta. A declaração é do médico Ricardo Palacios, diretor de Pesquisa Clínica do Instituto Butantan, um dos centros de pesquisa do mundo que participa do desenvolvimento de vacinas contra o vírus.

“Nós queremos gerar uma expectativa correta para a população. Nós não vamos acabar com o coronavírus com uma vacina. Qualquer uma que seja a vacina. O coronavírus veio e veio para ficar. Ele vai nos acompanhar. Durante todo o tempo de nossas vidas, nós teremos coronavírus circulando”, disse ontem (2), em um debate virtual promovido pela Agência Fapesp e o Canal Butantan.

De acordo com o diretor, as vacinas que estão em desenvolvimento no mundo pretendem controlar a covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus. O pesquisador faz uma analogia entre a covid-19 (causada pelo coronavírus), e a gripe, causada pelo vírus influenza.

Proteção

Pessoas vacinadas contra o vírus influenza podem chegar a desenvolver a gripe, mas, na maioria das vezes, a doença não se desenvolve de forma grave, que poderia levar à morte. Segundo ele, o mesmo deverá ocorrer com as vacinas contra o novo coronavírus. Elas serão pouco eficientes em impedir a infecção das pessoas com o novo coronavírus, mas deverão proteger as pessoas de desenvolver a covid-19 em sua forma grave.

“O vírus influenza não desapareceu e segue conosco. Seguirá, talvez, durante toda a nossa vida. Mas a gente tem uma doença [a gripe] controlável. A maior parte das pessoas vacinadas consegue controlar a doença. Se chegar a se infectar, não terá uma doença grave, não morrerá dessa doença”, explicou.

Segundo Palacios, o objetivo de todas as vacina é proteger contra a doença e não contra a infecção. “Proteger contra a infecção é uma coisa a mais que, eventualmente, pode acontecer e até pode acontecer por um tempo limitado”, disse.

O Instituto Butantan, na capital paulista, é um dos centros do mundo que participa das pesquisas de construção de uma vacina contra o novo coronavírus. O instituto firmou uma parceria, no dia 10, com o laboratório chinês Sinovac Biotech, que possuiu uma vacina em fase avançada de desenvolvimento, a Coronavac – que utiliza o coronavírus inativado para estimular uma resposta imunológica do organismo.

*Da Redação, com informações da Agência Brasil. 

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Mercado de ideologias

Ninguém em sã consciência pode negar a aproximação da ideologia progressista com o grande capital

Brasil e EUA em novo acordo

Robert Lighthizer, participou do mesmo evento, e afirmou que o atual relacionamento beneficia ambos os países

Medo do novo e a “síndrome da cabana”

O fim do distanciamento social pode provocar “síndrome da cabana” ou distanciamento social pode causa transtorno mental. Saiba mais!

Ocupação de UTI no Estado de SP é a mais baixa da pandemia

"Estamos no controle da pandemia, mas a vacina é e será a única maneira de retornarmos ao normal", completou o secretário Gorinchteyn

Bolsonaro volta a dizer que vacina contra covid-19 não será obrigatória

Na última sexta-feira, 16, o Presidente já havia sinalizado que o governo não iria obrigar a população a se vacinar

Mundo chega a mais de 40 milhões de contaminações por covid-19

O aumento do número de infecções pode ser explicado em parte pela elevação do número de testes de diagnóstico em alguns países

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

Semana dos manuscritos do Mar Morto; Saiba mais!

Arqueólogos e especialistas vão apresentar um dos mais impactantes achados da humanidade, na semana dos manuscritos do Mar Morto. Evento, que começa nesta segunda,19, é gratuito!

Live Solidária “Um Com Eles” em Libras

A live solidária, realizada pela Portas Abertas, será transmitida pelo Facebook, e estará acessível a todos que entendem a língua brasileira de sinais. Saiba mais!

Desafio Superação em corrida virtual; É neste domingo, 18

Em alusão ao Outubro Rosa, o Desafio Superação vai mobilizar mulheres cristãs de todo o Brasil em prol da saúde. Saiba mais!

Vovô Raul Gil recebe artistas gospel em live; Saiba mais

A live gospel do Vovô Raul Gil será no dia 21 de outubro e vai reunir personalidades e artistas evangélicos. Saiba mais!
- Publicidade -

Plugue-se

Rayssa Peres em “Somos mulheres de Deus”

Música é uma homenagem às mulheres. Conheça a canção!

Deive Leonardo de volta as pregações presenciais

Fenômeno da internet, Deive Leonardo grava a primeira série presencial em Itajaí (SC) depois de um bom tempo sem gravar por conta da pandemia.

Episódios do Nossa Música Brasileira; Assista aqui!

Nossa Música Brasileira acontece em formato on-line, com episódios até o final de 2020.. Confira aqui!

Os vencedores da Billboard Music Awards 2020

Kanye West levou nove prêmios, em seis categorias. A cantora Lauren Daigle, que ganhou em três categorias do prêmio em 2019, venceu esse ano como melhor artista cristã.