21.8 C
Vitória
segunda-feira, 18 janeiro 2021

USP lança teste rápido de covid-19 pela saliva

Um dos grandes desafios dos pesquisadores foi padronizar o teste, ou seja, criar soluções químicas que mantivessem o coronavírus estável

Por Gonçalo Junior (AE)

A Universidade de São Paulo oferece a partir desta terça-feira, 1, um teste rápido que identifica o coronavírus pela saliva. Criado pelo Centro de Estudos do Genoma Humano e Células-Tronco do Instituto de Biociências, em parceria com o Instituto de Química, o teste RT-Lamp detecta casos de covid-19 em até 24 horas. Na fase inicial, ele estará disponível apenas na capital paulista para 90 pessoas por dia, entre atendimentos presenciais e remotos.

O teste simplifica o método de coleta e análise. É possível até solicitar o kit de coleta para fazer o exame em casa. O próprio paciente recolhe a saliva em um tubo de ensaio no sistema de autocoleta. Os resultados são enviados por e-mail. Indolor e não invasivo, o teste dispensa o uso de swabs, aquela espécie de cotonete que recolhe amostras de nasofaringe. Isso também significa menor risco de infecção, pois não há necessidade da atuação de um profissional de saúde. Tão preciso e sensível quanto o RT-PCR, referência na detecção de casos ativos do novo coronavírus, o teste pela saliva é mais barato. A coleta presencial custa R$ 90 enquanto o PCR oscila entre R$ 350 e R$ 400.

A pesquisadora Maria Rita Passos-Bueno explica que a redução de custos se deve ao fato de o teste da saliva não precisar extrair o ácido nucleico das amostras. Isso requer reagentes importados e caros. Esse ácido, também conhecido como RNA, é um composto “primo” do DNA. Resumindo: os processos são mais simples no teste da saliva.

Um dos grandes desafios dos pesquisadores foi padronizar o teste, ou seja, criar soluções químicas que mantivessem o coronavírus estável, sem sofrer a ação das inúmeras enzimas presentes na saliva. Foram realizados mais de mil testes em 25 funcionários do Instituto de Química e 30 pessoas relacionadas ao Instituto de Biociências. “Com o teste RT-Lamp, a população poderá contar com uma opção mais acessível, segura e rápida de testagem”, explica a coordenadora do projeto.

O teste da saliva e o PCR são diferentes dos chamados “testes rápidos”, aqueles que pretendem detectar anticorpos contra o novo coronavírus em cerca de 20 minutos e são normalmente vendidos nas farmácias. Eles não servem para diagnosticar a covid-19 nem para definir casos assintomáticos. Eles identificam apenas se a pessoa possui anticorpos sem definir em que momento ela foi infectada. Além disso, nem todos os testes rápidos foram avaliados tecnicamente, o que pode contribuir para o aumento dos chamados falso negativos ou positivos.

Os pesquisadores alertam que as cargas do novo coronavírus são maiores do 2º ao 7º dia após o contágio, o que aumenta o risco de transmissão. Isso reforça a necessidade de realização de testes logo após a possível contaminação, assim que os primeiros sintomas forem percebidos.

O projeto de pesquisa do teste da saliva conta com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de S. Paulo (Fapesp) e da JBS, empresa do ramo alimentício que destinou R$ 50 milhões para 38 pesquisas científicas de enfrentamento ao coronavírus. Os pesquisadores agora buscam mais investimentos para ampliar a capacidade de testagem. O número de atendimentos por dia, por exemplo, pode aumentar.

Além disso, o objetivo é oferecer o teste em localidades com pouca infraestrutura para coleta e análise, incluindo os laboratórios de referência das universidades. “No momento atual é necessário um teste direto ao consumidor, de acesso fácil, custo acessível e que permita a testagem a fim de identificar pessoas infectadas. Qualquer teste deve apresentar uma boa sensibilidade para detectar altos níveis de cargas virais, que conferem maior risco de contágio. Esta estratégia é fundamental para detecção de assintomáticos e diminuição do risco de contágio”, opina a pesquisadora.

Outras pesquisas

Detectar o novo coronavírus pela saliva é um tema que vem atraindo a atenção dos cientistas. Um grupo de pesquisadores da Escola de Saúde Pública da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, publicou artigo na revista científica MedRxiv apresentando o desenvolvimento de um teste para coronavírus a partir da saliva chamado SalivaDirect. Nos últimos meses, a Food and Drugs Administration (FDA), agência regulatória de medicamentos e alimentos americana, autorizou o desenvolvimento de cinco testes que utilizavam saliva como amostra.

Pesquisadores da Universidade Federal de Goiás (UFG) também desenvolveram um teste semelhante. O projeto está em fase final de validação e, depois, seguirá para aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Desenvolvido inicialmente para empresas e hospitais, o teste meuDNA Covid foi lançado no final do mês passado em uma parceria do laboratório Mendelics com o Hospital Sírio-Libanês. Disponível na capital e em algumas cidades da Grande São Paulo, o exame custa R$ 169 e o resultado também fica pronto em 24 horas.

Como fazer o teste da saliva?

Pessoalmente:Centro de Estudos do Genoma Humano e Células-Tronco da USP

Endereço: Rua do Matão, 106 – Cidade Universitária – Butantã

Remotamente: Kit para autocoleta entregue no endereço de preferência. O portador aguardará o paciente finalizar sua coleta para levar o material ao laboratório.

Valores: R$ 90,00 (USP) e R$ 150,00 (entrega)

Agendamento: www.genomacovid19.ib.usp.br/

Pagamento: cartão de crédito e boleto.

Prazo de entrega: 24 horas

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Juíza federal dá 24h para União e AM apresentarem plano para oxigênio

Os órgãos pedem uma liminar urgente para obrigar os governos federal e estadual a agirem para resolver a situação de desabastecimento de oxigênio

Itamaraty: Índia tem ‘boa vontade’ para liberar vacina

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Índia, Anurag Srivastava, disse que é "muito cedo" para falar sobre exportação de vacinas para outros países

PT vai ao STF para pedir atuação do governo federal na crise de Manaus

O estoque de oxigênio se esgotou em diversos hospitais e pacientes morreram por asfixia, segundo relato de médicos

Internações por covid-19 em Manaus dobram em menos de 15 dias

o Amazonas teve 258 novas internações por covid-19, número que é 53% maior do que o pico do novo coronavírus em 2020

Farmácias anotam recorde de 32 mil casos de covid

No acumulado desde abril, as farmácias aplicaram 2,2 milhões de testes rápidos, sendo 339 732 positivos (15,31%)

Acordo prevê imunizante indiano para SUS e clínicas

a Associação Brasileira das Clínicas de Vacinas (ABCVAC) informou que o setor negocia a compra de 5 milhões de doses dessa vacina

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

Encontro para a Consciência Cristã em fevereiro; Saiba mais!

Pela primeira vez em mais de duas décadas, o tradicional encontro para a Consciência Cristã será realizado online.

The Send online será neste sábado, 9

Um dos maiores eventos de louvor, adoração evangelismo no mundo, o The send, costuma reunir milhares de pessoas. Saiba mais!

Passion Conference no último dia do ano; Saiba mais!

O cantor Fernandinho é o único artista brasileiro a participar da Passion Conference. Saiba mais!

Aulas criativas e transformadoras sobre a Bíblia

Para quem ensina a Bíblia, mas tem dificuldade no preparo das aulas, um workshop gratuito será apresentado pelo pastor Lécio Dornas, em janeiro. Saiba mais!
- Publicidade -

Plugue-se

Vietnã ganha a primeira Biblioteca pública cristã

Vietnã ocupa a 19 colocação na Lista Mundial da Perseguição de 2021, da Portas Abertas. Saiba mais!

“A Deus seja a glória”, Nani Azevedo sai do hospital

Internado há vários dias por complicações de covid-19, o cantor Nani Azevedo recebeu alta hospitalar nesta sexta-feira, 15.

“Abandono” é o novo single da Banda Catedral

Canção inédita é uma crítica social 

Morre o pai da cantora Cassiane

O anúncio de sua morte foi feito pelas redes sociais de Cassiane. As causas da morte ainda não foram reveladas pela família. Saiba mais!