24.4 C
Vitória
segunda-feira, 15 agosto 2022

União Européia: Propostas para reduzir emissões em pelo menos 55% até 2030

(Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil)

Comissão Europeia adota pacote de propostas para fazer com que as políticas de clima, energia para reduzir  de emissões de gases de efeito estufa

Por Ilana Cardial

A Comissão Europeia adotou, nesta quarta-feira, 14, um pacote de propostas para fazer com que as políticas de clima, energia, uso de terras, transporte e tributação do bloco contribuam com redução de emissões líquidas de gases de efeito estufa. A meta é reduzir as emissões em pelo menos 55% até 2030, em comparação aos níveis de 1990.

“Com as aprovações de hoje, a Comissão apresenta as ferramentas legislativas para alcançar as metas acordadas na Lei Europeia do Clima”, afirmou o órgão por meio de nota. O objetivo, segundo a instituição, é tornar o Acordo Verde Europeu uma realidade e fazer com que o continente seja o primeiro a ser neutro em relação ao clima.

Entre as medidas adotadas pelo órgão executivo da União Europeia (UE), está o chamado “Mecanismo de Ajuste de Fronteira de Carbono”, que irá inserir o preço do carbono nas importações de produtos selecionados. O objetivo é assegurar que uma ação climática “ambiciosa” no continente não conduza à “fuga de carbono”. “Isso irá garantir que as reduções de emissões europeias de gases de efeito estufa contribuam para um declínio global das emissões, em vez de impulsionar a produção com uso intensivo de carbono fora da Europa”, diz a Comissão.

“O Acordo Verde Europeu é a nossa estratégia de crescimento que caminha para uma economia descarbonizada. A Europa foi o primeiro continente a declarar que será neutro para o clima em 2050. Agora, somos os primeiros a apresentar uma proposta concreta”, disse a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

Além disso, o Sistema de Comércio de Emissões (ETS, na sigla em inglês), que precifica o carbono e limita a emissão do gás para determinados setores da economia, será aprofundado. O ETS já reduziu as emissões de geração de energia e indústrias de uso intensivo de energia em 42,8% nos últimos 16 anos, segundo a Comissão. A nova proposta é que o limite geral de emissões seja ainda mais baixo e que a taxa anual de redução de emissões seja elevada.

Para que os fundos do clima na UE sejam reforçados, a Comissão diz que os Estados-membros deveriam gastar toda a sua receita do comércio de emissões em projetos relacionados com o clima e a energia.

A Diretiva de Energia Renovável, por sua vez, elevará a meta de produção de energia por fontes renováveis para 40% até 2030. Há metas específicas nos setores de transporte, aquecimento e refrigeração, edifícios e indústria.

Em relação ao sistema tributário, a Comissão afirmou que uma revisão será feita nos produtos de energia, a fim de “alinhar a tributação dos produtos energéticos com as políticas da UE nas áreas de energia e clima”.

Com informações de Agência Estado 

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Entre para nosso grupo do Telegram

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se