Unesco declara Babilônia como Patrimônio Mundial

Foto: Hussein FALEH / AFP

A Babilônia foi o centro do Império Neobabilônico entre 626 e 539 a.C. Atualmente, 85% dessa história permanece sem ser escavada. Cidade bíblica tem diversos sítios arqueológicos pouco explorados

A Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) deu nesta sexta (5) o status de Patrimônio Mundial ao sítio arqueológico da Babilônia após uma intensa polêmica em torno da proposta do Conselho Internacional de Monumentos e Sítios que recomendava declará-lo Patrimônio Mundial em Perigo.

Cidade há 85 quilômetros ao sul de Bagdá (Iraque). Decisão foi tomada na 43ª reunião do Comitê do Patrimônio Mundial, que acontece até a próxima terça-feira em Baku (Azerbaijão).

O comitê emitiu essa resolução depois que um grande grupo de delegações, entre elas uma do Brasil, defendeu o valor histórico e patrimonial da Babilônia e destacaram o espírito de colaboração e a vontade do Iraque de receber uma missão internacional das autoridades.

No Brasil, as cidades de Paraty e Olha Grande receberam o título de Patrimônio Mundial 

Embora os graves danos sofridos, especialmente no fim do século XX, o comitê enfatizou que os esforços do Iraque justificavam dar ao país tempo para superar as dificuldades. Além disso, pediram ao governo para se comprometer a receber uma missão internacional coordenada pelo Icomos.

A única delegação que – embora tenha parabenizado o Iraque – apoiou a proposta do Icomos de declarar a Babilônia simultaneamente Patrimônio Mundial e Patrimônio em Perigo foi a da Espanha.

No relatório prévio aos debates, o Conselho propôs incluir a cidade em ambas as listas porque o “estado da conservação do lugar é muito preocupante e constitui um perigo confirmado diante da ausência de um enfoque de conservação coordenado, com intervenções prioritárias urgentes”.

A entidade argumentou que o estado de preservação do local está em muitos pontos em “um nível de decadência e deterioração que representa um risco óbvio ao valor universal extraordinário” que deve justificar cada Patrimônio Mundial.

No entanto, a maioria arrasadora das delegações optou por dar um voto de confiança ao Iraque e apoiá-lo nos esforços para avançar na restauração e na pesquisa.

Detalhes

O espaço possui resquícios arqueológicos dentro e fora da muralha externa da antiga cidade que se destacam por ser um testemunho único de um dos impérios mais influentes do antigo mundo e um dos maiores e mais velhos assentamentos da Mesopotâmia e do Oriente Médio.

Entre os principais monumentos estão o Palácio do Norte, os templos de Esagila, de Nabu, de Ishtar e de Marduk; e as ruínas de Etemenanki. A Babilônia foi o centro do Império Neobabilônico entre 626 e 539 a.C. Atualmente, 85% dessa história permanece sem ser escavada, mas o que já foi descoberto permitiu obter grandes informações sobre essa época.

O local sofreu sérios danos durante o regime de Saddam Hussein, que promoveu a chamada Missão Renascimento da Babilônia, e posteriormente durante a intervenção militar internacional, que começou em 2003.

Além disso, uma grande variedade de problemas de natureza antropogênica – como saques, construções ilegais e reconstruções inadequadas – e de caráter natural – como erosões -, agravaram o estado de conservação da região.

*Com informações de Agência EFE e R7


Leia mais

Manjares do Rei