29.9 C
Vitória
terça-feira, 18 janeiro 2022

Uma história real: “Já não sou eu quem vive”

“Já não sou eu quem vive”, é uma história baseada no diário de uma jovem cristã, em meio à pandemia, em Manaus (AM)

Ao longo de oito dias, 17 de pessoas estiveram envolvidas nas gravações da primeira websérie cristã rodada no Amazonas. “Já não sou eu quem Vive”, a história se passa em meio à pandemia do novo coronavírus e retrata a vida da estudante Esthefany da Silva Maia, de 19 anos.

O enredo aborda seu cotidiano e seu envolvimento com o Clube de Desbravadores, da Igreja Adventista. A Websérie estreou no dia 20 de setembro, no Feliz7Play, a plataforma de vídeos da Igreja Adventista.

Esthefany era uma jovem estudante com muitos sonhos. Após descobrir que era portadora da doença de lúpus, sua vida foi marcada por muitas mudanças e a vontade de fazer a diferença entre as pessoas com quem convivia.

O diagnóstico da doença incurável e uma nova amizade trouxeram à Esthefany uma mudança de direção em sua vida. Vivendo dias desafiadores com as complicações da enfermidade, ela passou a escrever suas reflexões e projetos em um diário presenteado pelo pai, Armando Maia. Foi deste diário que nasceu a websérie.

“Foi a partir desse caderno que o roteiro começou a ganhar forma, inspirando, inclusive, o próprio título da série e a essência de quem foi essa jovem missionária. Também reconstruímos a história ouvindo várias testemunhas, principalmente os pais da Esthefany”, explica Pollyana.

Produção

Para o diretor, conduzir o projeto no Amazonas foi uma experiência desafiadora e ao mesmo tempo gratificante.

“Adaptar uma história real para a ficção é uma responsabilidade muito grande, pois está ali a experiência de vida pessoal de outra pessoa. Então, é preciso respeitar os sentimentos das pessoas reais sem que fique disfuncional para as telas. A obra nos proporcionará uma experiência inspiradora e cheia de esperança”, destaca.

Elenco

O elenco foi composto por profissionais de Manaus. Durante os oito dias de gravações, realizadas no final do mês de agosto, todos os protocolos de segurança foram seguidos.

Novellino interpretou o pai da Esthefany. Ele atua no teatro desde os 13 anos de idade e o projeto da websérie foi muito significativo em sua vida.

“Foi inspirador e emocionante, pois ser instrumento para ajudar a contar a história de luta, superação e vitória na fé da Esthefany e sua família nos faz refletir sobre o rumo que estamos dando nas nossas próprias vidas e nos motiva a também a cuidar e ajudar outros”, enfatiza o ator.

“Foi uma experiência nova e incrível. Conheci pessoas legais e vou guardar essa experiência para o resto da minha vida”, pontua Valentina Marques, que interpreta Letícia, irmã de Esthefany.

“A história da Esthefany traz um legado de esperança que vai impactar os jovens e adolescentes. Ela vai mexer com todos que entrarem em contato com as preciosidades que ela deixou em seu diário”, reforça o pastor Sergio Alan, presidente da Igreja Adventista na região noroeste.

Veja episódio

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se