Uma fé em sigilo

Fé em sigilo: “A Portas Abertas está presente na Coreia do Norte, ajudando, apoiando e servindo os cristãos secretos daquele país”

Fé em sigilo. Há mais de 25 anos, a Portas Abertas lança anualmente a Lista Mundial da Perseguição, que classifica os 50 países que mais oprimem cristãos no planeta. A organização define o ranking de acordo com os níveis de perseguição, violência, pressão, hostilidade e liberdade dispensada aos fiéis nesses locais.

Hoje, mais de 245 milhões de cristãos são perseguidos em todo o mundo, segundo a pesquisa. E esse número tende a crescer. No primeiro lugar no ranking desde 2002, a Coreia do Norte tem registrado todo tipo de abuso e infindáveis violações aos direitos humanos, como a cerceamento à liberdade de expressão, à crença e ao pensamento. E isso, claro, envolve intimamente o cristão.

Existem mais de 40 mil imagens da família Kim espalhadas por toda a Coreia do Norte. Há décadas, a família lidera o país com mãos de ferro. Os norte-coreanos são obrigados a se prostrar diante dessas imagens e demonstrar adoração aos líderes. Quem se negar pode ser preso, enviado a campos de trabalhos forçados, torturado e morto

Enquanto escrevo, penso na situação dos mais de 50 mil cristãos presos em campos de trabalho forçado na Coreia do Norte. O crime deles foi ter a fé em Jesus descoberta. Eles são considerados os inimigos número um do Estado e do regime.

A Portas Abertas estima que há mais de 300 mil irmãos em igrejas secretas e subterrâneas, e o governo não consegue controlá-los. Eles praticam um amor radical ao próximo e a Jesus. Não vão seguir facilmente o regime. Muitas vezes, a alternativa é fugir.

SEM SE PROSTRAR

Esse foi o caso da cristã norte-coreana Hannah. Ela e a família fugiram para a China, mas foram repatriados e enviados a um campo de trabalho forçado norte-coreano. “Presos em confinamento solitário, éramos espancados. Ninguém se atrevia a resistir, porque só pioraria a tortura. Mas meu marido era diferente.

Quanto mais batiam nele, mais ele defendia sua fé. Ele gritou: ‘Se acreditar em Deus é um crime, prefiro morrer! É minha missão viver de acordo com a vontade de Deus!’ Depois da nossa libertação, ele sugeriu que eu fugisse primeiro com minha filha para outro país. Eu fui e esperei por três anos. Descobri que ele tinha morrido logo depois da nossa saída”.

VALORES DE PAIS PARA FILHOS

Se educar filhos segundo princípios cristãos já não é fácil em um país livre, imagine então onde há perseguição. Pais cristãos norte-coreanos precisam de ajuda na hora de transmitir seus valores aos filhos, mesmo sem compartilhar abertamente a fé.

Outra cristã do país, Sang-Hwa, afirma: “Meus pais não podiam compartilhar nada comigo ou meus irmãos. Uma criança pode acidentalmente trair os pais”. Nesse contexto, como será possível compartilhar a fé para crianças e jovens?

A Portas Abertas está presente na Coreia do Norte, ajudando, apoiando e servindo os cristãos secretos daquele país. Entre os projetos da organização está a distribuição de material cristãos, de livros e da Palavra de Deus.

Neste início de ano, convido você a apoiar cristãos norte-coreanos por meio do projeto da Portas Abertas de distribuição de livros que ensinam pais a compartilhar valores e a fé com os filhos.

Mais informações sobre como contribuir estão no link www.portasabertas.org.br/doe.

Para saber mais sobre a Coreia do Norte e outros países que fazem
parte da Lista Mundial da Perseguição, acesse: www.portasabertas.org.br/listamundial.

Somos muito gratos por você continuar fortalecendo a Igreja Perseguida conosco. Desejo a você um abençoado novo ano, na certeza de que Cristo reina.

Marco Cruz é secretário-geral da Missão Portas Abertas


leia mais

Coreia do Norte: país número um em perseguição ao cristão
Fome na Coréia do Norte 
Os desafios de ser cristão secreto na Coréia do Norte