22.6 C
Vitória
sexta-feira, 18 setembro 2020

‘Um teto sem paredes acaba caindo, e as paredes são as reformas’, diz Guedes

Leia também

MEC promete protocolo e R$ 525 milhões para retorno às aulas presenciais

O ministro afirmou que a decisão sobre data para reabrir escolas não é do MEC, mas de Estados e municípios

Bolsonaro volta a estimular Renda Brasil

O governo também não quis deixar um vácuo aberto para os congressistas, que já têm projetos para reforçar o Bolsa Família

STF define julgamento de garantia a negros

A medida assinada por Lewandowski, em caráter liminar, determina apenas a repartição dos recursos e do tempo da propaganda de forma proporcional entre concorrentes brancos e negros

O Congresso autorizou o governo a descumprir o teto em 2020 para enfrentar o novo coronavírus, por meio do chamado “orçamento de guerra”

Por Eduardo Rodrigues e Lorenna Rodrigues (AE)

O ministro da Economia, Paulo Guedes, voltou a defender a importância da regra do teto de gastos como principal âncora fiscal do País, mas avaliou que o novo pacto federativo poderá tornar o teto “supérfluo” nos próximos anos. “Um teto sem paredes acaba caindo, e as paredes são as reformas econômicas. Tentamos fazer as reformas para que o teto não caia sobre a nossa cabeça. O problema é que o piso sobe, e estamos sendo comprimidos contra o teto. Ou travamos o piso, ou o teto quebrará em algum momento. A PEC do Pacto federativo é essa trava ao piso, desindexando, desobrigando e desvinculando o orçamento”, repetiu, em audiência pública na comissão mista do Congresso Nacional que acompanha a execução das medidas de enfrentamento à pandemia de covid-19.

Guedes lembrou que a emenda do teto de gastos foi aprovada em 2016 como o compromisso de controle dos gastos pelos 20 anos seguintes, impedindo o crescimento das despesas acima da inflação. “O teto é a promessa de seriedade onde não tínhamos seriedade. Foi grito desesperado. Tanto que não há teto em países avançados onde as autoridades têm responsabilidade sobre os gastos”, completou.

O ministro ressaltou ainda que a pandemia de covid-19 mostrou que é possível flexibilizar o teto quando existem motivos de força maior. O Congresso autorizou o governo a descumprir o teto em 2020 para enfrentar o novo coronavírus, por meio do chamado “orçamento de guerra”. “Os mercados compreenderam, porque não foi uma ação populista, ou uma irresponsabilidade fiscal. Após a pandemia temos que mandar sinal de que tudo volta ao normal com responsabilidade fiscal”, reforçou.

Pacto federativo

Guedes voltou a defender a aprovação da PEC do novo pacto federativo que, segundo ele, devolverá o controle do orçamento ao Congresso, desvinculando, desobrigando e desindexando a maior parte das despesas. Segundo ele, com a aprovação dessa reforma orçamentária, o teto se tornará supérfluo em alguns anos, ainda que hoje seja a única âncora fiscal que sobrou.

“Com o pacto federativo, em três ou quatro anos ninguém mais falará sobre o teto de gastos. Com o País crescendo a 3%, as receitas crescerão a 6% e será muito difícil criar crise, com uma expansão do gasto superior a isso. Hoje quem manda nos orçamentos públicos são grupos de interesses que indexaram tudo e a classe política não consegue decidir como usar os recursos”, concluiu o ministro.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

AGU: reeleição dos presidentes da Câmara e Senado é decisão interna do Congresso

Um dos temores do Tribunal é o de que nomes mais imprevisíveis e mais alinhados a Bolsonaro assumam o comando da Câmara e do Senado

Guedes diz que ‘cartão vermelho’ de Bolsonaro não foi direcionado a ele

O ministro lembrou que, desde início, o presidente disse que não queria consolidar programas sociais para criar o Renda Brasil, e que foi uma decisão política

Ainda acreditamos que é possível acoplar IVA federal com estadual, diz Guedes

O ministro ainda disse que é natural que os Estados façam esse movimento, com o maior peso de serviços na economia, mas "não podem espremer os municípios."

‘Vamos entrar em rota de implosão fiscal’, diz Guedes, sobre novo fundo a Estados

Os secretários de fazenda defendem a criação de um fundo de desenvolvimento regional e de um fundo de exportações

Ministro da Infraestrutura rejeita ideia de alçar voos mais altos na política

"Eu gosto é de trabalhar com técnicos, a gente está completamente focado nos nossos projetos", disse o ministro Tarcísio de Freitas

Guedes volta a defender fim de todas as indexações no orçamento federal

Ele argumentou que o governo e o Congresso podem destinar orçamentos maiores para as duas áreas, independentemente da existência dos pisos constitucionais

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

Arte da Graça em casa; Conscientização do setembro amarelo

Em formato online, o evento une shows e workshops incentivando a tolerância, paz e música. Saiba mais!

Aquecimento Sepal 2020, com Edméia Williams e Rodrigo Gomes

Transmissão acontecerá nesta segunda-feira, 14 de setembro, às 19 horas. Saiba como participar!

Encontro nacional Renas: “Ser criança em tempos de incerteza”

É a 13ª edição do Encontro Nacional da Rede Evangélica Nacional de Ação Social (Renas). Evento, que acontece em outubro, será online. Saiba mais!

Jornada Agentes de transformação online; Saiba mais!

Realizado pelo grupo Valorem, organização que reúne empreendedores cristãos para servir o reino de Deus através de negócios, a Jornada Agentes de transformação, acontece dias 11 e 12 de setembro.
- Publicidade -

Plugue-se

Amanda Loyola, floresce uma potência vocal do gospel

Artista capixaba, que ficou conhecida ao participar do quadro Jovens Talentos, do Programa Raul Gil, já lançou três canções pela Sony.

Luciano Camargo reverencia o gospel em trabalho solo inédito

Com 29 anos de carreira ao lado irmão, Zezé de Camargo, Luciano Camargo acaba de lançar 15 músicas dedicadas ao gospel. O álbum "A Ti entrego". Saiba mais!

“Compostagem” é o novo EP do rapper Felipe Vilela

O projeto conta com três faixas, entre elas a canção “Reluzir”, que traz a participação de Eli Soares O rapper Felipe Vilela acaba de apresentar...

Espiritualidade saudável e a qualidade de vida no mundo pós-moderno

"Formação Espiritual" reúne reflexões de teólogos e alerta para os perigos do ativismo, da pressa e do esfriamento das relações humanas e da fé.