24 C
Vitória
sexta-feira, 16 abril 2021

Um jeito cristão de olhar 2020

Mais Artigos

Como cristãos precisamos olhar 2020 como um ano difícil quando Deus continuou comandando a história. E se Ele está no comando, precisamos confiar em Seu governo

Por Lécio Dornas

Em Novembro de 2018, a autora Ann Gibbons, escreveu um artigo para Revista Science, da American Association for the Advancement of Science, o qual ela inicia falando da pergunta que fez ao Dr. Michael McCormick, professor de História Medieval da Universidade de Harvard, acerca de qual teria sito o pior ano da história.

Em sua resposta o Dr. McCormick mencionou primeiro os anos de 1349, quando a peste negra exterminou metade da Europa, e o de 1918, quando a gripe matou de 50 a 100 milhões de pessoas, principalmente jovens adultos, para afirmar que o pior ano da história foi o ano 536, quando “uma névoa misteriosa mergulhou a Europa, o Oriente Médio e partes da Ásia na escuridão, dia e noite – por 18 meses.

‘O Sol emitiu sua luz sem brilho, como a lua, durante todo o ano’, escreveu o historiador bizantino Procópio. As temperaturas no verão de 536 caíram de 1,5ºC a 2,5ºC, o que tornou a década a mais fria dos últimos 2300 anos.”

Tente imaginar um ano e meio debaixo de escuridão e frio intensos.

2020 tem sido também um ano desafiador; tão difícil, que a Revista Time na edição de 14 de Dezembro, ao exibir na capa 2020 cortado por “X” em vermelho, colocou a guerra contra a COVID-19 no mesmo patamar de importância histórica que a morte de Adolf Hittler (1889-1845), o início da Guerra no Iraque (2003), e a morte de Osama Bin Laden (2011).

Mas convenhamos que 2020, numa perspectiva histórica, tem sido bem melhor que esses outros anos aqui mencionados. Porém para muitos isso não importa, pois é ele que nós estamos vivendo agora, é 2020 que estamos sentindo na pele e sofrendo ao vivo e a cores.

A história porém nos ajuda a olhar o nosso tempo com mais maturidade e nos protege de sermos influenciados pela emoção do calor da hora. A mesma história nos oferece outros anos que marcaram a humanidade, que nos legam um certo mapa para o que chamamos de um olhar cristão para 2020.

Pensemos no ano 740 a.C., por exemplo. Neste ano morreu Uzias, um dos maiores reis de Israel, que ficou no poder por 52 anos e foi um líder extraordinário, embora no final da vida deu lugar à soberba e morreu de forma triste.

Nesse ano Deus chamou Isaías para ser profeta. O trono estava vazio e o povo sem liderança. Um ano muito difícil portanto. Mas Deus deu a Isaías uma visão que proporcionou a ele uma leitura correta da sua realidade. Olhando a visão de Isaías nós encontramos subsídios para esse olhar cristão para 2020.

1. Em 2020 Deus esteve no trono
Nos dias de Isaías o rei estava morto, mas ele viu o Senhor assentado num alto e sublime trono (Isaías 6:1). Em 2020 o trono do universo não ficou vazio. Deus continuou com as rédias da história em suas mãos. As autoridades humanas, quer da política, do governo ou da ciência, muitas vezes se mostraram confusas e perdidas, mas o governo de tudo nunca saiu das mãos de Deus.

Como cristãos precisamos olhar 2020 como um ano difícil quando Deus continuou comandando a história. E se Deus está no comando, precisamos confiar em Seu governo. Lamentamos e choramos aqueles que partiram por conta da COVID-19, mas na sua infinita sabedoria e graça, aprouve a Deus poupar nossas vidas.

Então, precisamos olhar 2020 como o ano que Deus reafirmou que tem propósito nas nossas vidas. Nos rencociliarmos com os propósitos que Deus tem para nós será sorver o que 2020 teve de melhor para nós.

2. Em 2020 precisei me confrontar
Isaías foi lançado para dentro dele mesmo, num olhar introspectivo, ao contemplar o Senhor. “Ai de mim…” (Isaías 6:5). 2020 nos parou, colocou-nos em nossas casas com nossa família e nos tirou da nossa rotina. Tudo para que pudéssemos viver o nosso “ai de mim”. Para que enxergássemos nossas debilidades, nossos equívocos e pecados.

Ninguém volta dessa viagem para dentro de si mesmo sem ser uma pessoa melhor, mais madura e apta para enfrentar seu dia a dia com temperança, domínio próprio e mansidão. Como cristãos precisamos olhar 2020 como o ano do Senhor nos moldar, nos melhorar, nos lapidar. O ano quando Deus tocou em nosso caráter, em nosso temperamento e em nossa personalidade. Um ano que propicia isso entra para a história como um grande ano não é mesmo?

3. Em 2020 enxerguei o outro
Isaías, após ter sido confortado e impactado com o chamamento de Deus, recebeu um despertamento na direção do outro. O convite veio de Deus: “A quem enviarei?” E Isaías respondeu: “Envia-me a mim” (Isaías 6:8). 2020 nos mostrou o nosso irmão, o nosso vizinho, o nosso companheiro de trabalho e, em primazia, a nossa própria família.

Nos fez ser mais cônjuges, mais pais, mais filhos e mais irmãos! Como cristãos precisamos olhar 2020 como o ano da nossa aproximação daqueles que nos são mais caros e também da nossa sensibilização para a necessidade do nosso próximo. 2020 nos tornou mais solidários e menos egoístas… Mais humanos também. Me responda: Devemos ou não agradecer a Deus por 2020?

Não negamos as dificuldades e os sofrimentos impostos por 2020. Numa visão histórica sabemos que outros anos bem piores já vieram. Mas como cristãos, somos capacitados pelo Espírito Santo a olhar 2020 como um ano extraordinário de Deus para as nossas vidas, pois Deus está no trono, nossa confrontação nos melhora e o nosso próximo espera por nossa vitória contra nossa zona de conforto. Creio mesmo, como cristãos, que estamos prontos para um próspero ano novo!

Lécio Dornas é teólogo, educador, autor e pastor da Igreja da Família em Orlando, Florida – EUA

- Publicidade -

Comunhão Digital

- Continua após a publicidade -

Fique Por Dentro

Entrevistas