19.9 C
Vitória
segunda-feira, 4 julho 2022

Ucrânia acusa Rússia de lançar substância tóxica sobre Mariupol

Substância teria sido utilizada em ataque realizado em Mariupol. Foto: Agência Ansa

As vítimas sofreram de insuficiência respiratória em virtude da substância tóxica lançada por um drone. A Rússia descarta cessar-fogo e soldados da Ucrânia falam em ‘batalha final’ em Mariupol

Por Lilia Barros

A tensão da guerra na Ucrânia parece estar ganhando força. Apesar das sanções econômicas estabelecidas pelos seus aliados ocidentais, a agressividade entre as duas forças militares aumenta. Autoridades ucranianas disseram que um drone russo lançou uma substância tóxica na cidade de Mariupol, na noite desta segunda (11). Os parlamentares da Ucrânia afirmaram que as vítimas sofreram de insuficiência respiratória.

O porta-voz do Pentágono, John Kirby, divulgou uma declaração dizendo que vai monitorar de perto a situação e a secretaria de Relações Exteriores do Reino Unido disse estar trabalhando urgentemente para verificar detalhes, e vai responsabilizar Putin.

Enquanto a Rússia descarta cessar-fogo. Moscou rejeita pausa em ataques até próxima rodada de negociações com Kiev, sem data para acontecer. Por outro lado, os soldados da Ucrânia falam em ‘batalha final’ em Mariupol.

Na visão do professor de Relações Internacionais da Fundação Getúlio Vargas, Pedro Brites, a ação russa ao leste da Ucrânia será determinante para negociação. Ele acredita que “o campo de batalha que vai determinar como as negociações vão caminhar” entre russos e ucranianos. Segundo ele, a Rússia passa por reorganização das tropas, após enfrentar dificuldades para obter controle na capital Kiev e Kharkiv. O professor lembrou que houve fracasso nas primeiras rodadas de negociação e que embora tenha tido avanços pequenos, na prática não houve acordo para a paz, e nenhum dos dois países está próximo de atingir minimamente seus objetivos.

Nesta terça-feira (12), a CNN geolocalizou um vídeo compartilhado nas redes sociais em que uma grande coluna de veículos militares pode ser vista voltada para noroeste, em direção à região ucraniana de Donbass.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se