22.7 C
Vitória
segunda-feira, 15 agosto 2022

Trump inicia oficialmente campanha de reeleição

Foto: Reprodução

Apesar das polêmicas, o governo Trump foi marcado por discursos contra o aborto, encontro com pastores e estabeleceu parcerias do governo com as igrejas

O presidente dos EUA, Donald Trump, deu início oficialmente a sua campanha para reeleição no próximo ano. Na noite desta terça-feira (18), Trump falou em um comício em Orlando, no estado da Flórida.

No discurso direcionado a uma enorme multidão de apoiadores que durante seu mandato, a economia americana se tornou a “inveja do mundo” e a “maior” na história do país. Trump afirmou que seu governo foi o que teve mais conquistas durante seus primeiros dois anos e meio.

Para o estudioso de relações internacionais Rafael Simões, a eleição do presidente norte-americano, Donald Trump, deve ser entendida como um fenômeno global de disruptura com padrão vigente. “Desde o fim da segunda Guerra Mundial em que instituições transnacionais como ONU, FMI e Banco Mundial, União Europeia tinham um controle, uma maior ingerência sobre assuntos nacionais. Isso tem sido questionado nos últimos anos”, explica Simões que é Coach Integral Sistêmico, bacharelando em Teologia pela Faculdade Unida de Vitória (ES) e graduado em Comércio Exterior pela Faesa (ES).

Rafael Simões. Foto: Arquivo/Comunhão

“Tendo dito isso há uma grande possibilidade da reeleição do presidente Trump, uma vez que ele conseguiu implementar políticas de crescimento e aumento de emprego no seu país, que dá a ele um grande capital político para pleitear uma nova temporada na Casa Branca. Para o Brasil, isso é bastante interessante, uma vez que o Governo eleito, de Jair Bolsonaro, investiu pesado nas relações diplomáticas e alinhamento com os Estados Unidos e, caso haja realmente a reeleição do presidente Trump, será de grande valia para o Brasil”, ressalta.

“Para os cristãos, de maneira geral, também será positivo. Já que há uma semelhança entre os eleitores do presidente norte-americano e os eleitores do presidente brasileiro: em sua grande maioria são cristãos, conservadores e mais alinhados à direita, que foi o que levou Trump com seu Partido Republicano ao poder, e aqui no Brasil também, em parte, formando esse movimento de disruptura”, concluir Simões.

Foto: Reprodução

No momento, mais de 20 pessoas estão buscando a nomeação do Partido Democrata para a candidatura. Pesquisas de opinião mostram o ex-vice-presidente Joe Biden como favorito.

*Com informações da Agência Brasil.


leia mais

Bolsonaro encontra com Trump na Casa Branca
Pela primeira vez, Trump discursa contra o aborto
Trump fixa como meta acabar com o HIV
Trump assina ato em prol de vítimas do Estado Islâmico

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Entre para nosso grupo do Telegram

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se