Bolsonaro encontra com Trump na Casa Branca

Foto: Reuters/ Kevin Lamarque

Em declaração inicial na Casa Branca, nesta terça (19), o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o Brasil nunca esteve tão próximo dos Estados Unidos como em seu governo e que ambos terão muito a oferecer reciprocamente. Mais do que com cordialidade, Donald Trump disse que dará seu apoio ao ingresso do Brasil na Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), um dos pleitos de Brasília.

“O Brasil mudou a partir de 2019”, afirmou, referindo-se a sua posse como presidente do Brasil. “O presidente Trump quer a América grande, e eu quero o Brasil grande. A partir deste momento, o Brasil estará mais engajados com os nossos (sic) Estados Unidos”, completou. “O presidente Bolsonaro liderou uma das campanhas eleitorais mais impressionantes, assim como foi a minha”, disse o americano.

Trump tomou a iniciativa de quebrar o gelo oferecendo uma caminha, de número 19, da seleção dos Estados Unidos de futebol. “É uma honra entregá-la”, disse o americano. Às mãos de Bolsonaro chegou uma camisa 10 da seleção brasileira, que o presidente lembrou “simbolizar o maior jogador de todos os tempos, Edson Arantes do Nascimento”, o Pelé, e a entregou a Trump.

Sem conseguir explicar-se claramente, Trump sinalizou com a elevação do Brasil para o grupo dos maiores aliados dos Estados Unidos fora da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). Afirmou que a aliança de seu país com os Estados Unidos será a “maior que já tivemos”. “Não temos nenhuma hostilidade com o Brasil”, afirmou.

O assunto de seu maior interessa na conversa com Bolsonaro, a Venezuela, foi tratada de maneira genérica. Trump reiterou sua atual posição – a de que todas as opções estão sobre a mesa. Mas diplomaticamente disse que ainda iria conversar com o líder brasileiro sobre o tema. “É uma vergonha o que está acontecendo na Venezuela”, afirmou.

Trump afirmou que seu governo está trabalhando com o Brasil nas questões dos vistos e do comércio, sem oferecer detalhes. O Brasil isentou unilateralmente os cidadãos americanos de visto de turismo na segunda-feira, quando foi publicado decreto presidencial com essa medida. O presidente americano mencionou ainda a conclusão do acordo de salvaguardas tecnológicas  sobre o uso da base de lançamento de Alcântara, no Maranhão, e as negociações sobre a cooperação nas áreas de segurança e militar.

*Com informações das agências. Em atualização


Leia mais

O encontro de Bolsonaro e Trump nos EUA

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!