Na estrada: A trajetória de Eyshila Santos

“A música que canto é a que vivo. Se choro, sorrio, venço ou perco, é através do cântico que sai da minha boca”

Uma cantora que encanta multidões. Uma voz suave e impactante que conquistou seis discos de platina e nove de ouro ao longo de uma carreira com 14 álbuns lançados e mais de 200 composições interpretadas. Um talento que venceu o Troféu de Ouro, em 2015, sendo também várias vezes indicado ao Grammy Latino, e que onde passa deixa a marca do Evangelho em suas ministrações.

Aos 47 anos, 30 deles dedicados à música, Eyshila Oliveira Santos, ou simplesmente Eyshila, é uma das mais reconhecidas artistas cristãs do Brasil. “Comecei a cantar aos 5 anos na igreja. Fiz parte de grupos infantis e de adolescentes, até que aos 15 ingressei no Altos Louvores, onde fiquei por quase sete anos, e tive a primeira experiência com gravações, estúdios e grandes eventos”, conta.

Todo o sucesso veio de forma inesperada. “Jamais imaginei ser cantora ou compositora. Esse nunca foi o meu sonho, mas Deus mudou meus planos e agradeço a Ele por ter insistido em mim”. Movida pelo desejo de simplesmente adorar a Deus, Eyshila se inspira “nas orações que o Espírito Santo coloca em meu coração, na Palavra de Deus” e em mensagens que escuta na igreja ou nas histórias que a encorajam. Assim, expressa em suas canções sua vida íntegra com Deus. “A música que canto é a que eu vivo. Se choro, sorrio, venço ou perco é através do cântico que sai da minha boca”, acrescenta.

“A música nos dá o poder de entrar na vida das pessoas e transformar o caos em bênção”

Composições

Com uma discografia bastante extensa, fica difícil apontar qual a canção de maior sucesso. “Gosto de canções que me inspiram e me levam a níveis mais altos de intimidade com Deus, que trazem uma atmosfera celestial ao lugar onde estou inserida”, afirma.

E muitas delas, como “Fiel a Mim” e “Nada Pode Calar uma Mulher de Fé”, fazem sucesso até hoje. “Uma mãe não pode ter filhos preferidos, assim sou eu com minhas canções. Quando vou cantar, faço um apanhado de músicas do passado e das mais atuais.
Todas falam de momentos especiais em minha vida”, declara.

Sem contar as que foram gravadas por outros artistas, como “Santo Espírito”, na voz da amiga Fernanda Brum. “É maravilhoso ver sua música interpretada por alguém que consiga captar sua essência. Creio que essa canção ajudou milhões de pessoas que precisavam de palavras pra orar quando só tinham lágrimas”, diz.

Suas composições fizeram tanto sucesso no Brasil que a cantora teve várias indicações para prêmios. “Mas eles são apenas uma demonstração de que o público torce por nós. Nunca me considerei maior por causa dos prêmios que recebi, nem menor por aquele que perdi. O importante foram as batalhas que superei, pois me deram credibilidade para cantar o que eu canto e pregar o que eu prego”, declara.

Eyshila, que considera a música uma ferramenta de transformação, diz ter um desejo ardente no coração. “Quero levar ao mundo a música sagrada e libertar os cativos de suas prisões físicas, emocionais e espirituais, pois ela nos dá esse poder de entrar na vida das pessoas e transformar o caos em bênção”.

Testemunhos na literatura

Além da música, outra paixão da cantora é a literatura. Há duas obras lançadas, “Uma História de Amor e Perseverança” e “Nada Pode Calar uma Mulher de Fé”. São testemunhos, orações e esboços de mensagens que viraram páginas de livros.
“Sempre amei ler e escrever, é uma terapia pra mim. Meu pai me incentivou a ler livros e revistas. Esse amor pela leitura me levou a gostar de escrever diários. Sempre anoto minhas orações e esboços de mensagens em cadernos. Alguns trechos dos meus livros fui buscar nesses registros. Escrever é uma das maneiras que Deus usa para me curar e levar cura a outros”, contou.

 

Eyshila abriu seu coração e dividiu com o público seus testemunhos de cura espiritual e restauração que viveu com o esposo quando se envolveu com as drogas. Outro momento contado nos livros foi quando perdeu o filho primogênito, Matheus Oliveira, 17 anos, acometido por meningite viral, em junho de 2016. Um período muito doloroso, mas que não a fez desistir do ministério. “Enfrentei o luto chorando aos pés do Senhor, pois esse é o lugar onde as lágrimas não são desperdiçadas.

O meu livro foi mais uma maneira que Deus achou de transformar essa perda em ganho. Meu desejo foi repartir com essa geração cada gota de consolo que Deus derramou sobre mim, através de uma multidão, que chorou comigo e minha família. Pensei que iria parar de compor, cantar e pregar. Mas sou um milagre que sonha. O que Deus tem para o meu futuro não se compara ao que fez no passado, pois é o Deus do infinitamente mais”, revelou.

Para a cantora, a maior das experiências foi superar as próprias dores para ministrar sobre outras vidas com autoridade divina. Após a morte do filho, Eyshila escreveu duas canções, “O Milagre Sou Eu” e “Licença pra Vida”. “Não são nossos diplomas, troféus ou prêmios que nos empoderam, mas a presença do Senhor em nós. Deus sempre tem o poder de fazer com que tudo coopere para o bem daqueles que o amam”, garante.

“Seguir a direção de Deus tem sido minha válvula de escape em cada momento crucial da minha caminhada”

Novo momento

Sempre antenada às playlists de sucesso do mundo gospel, a cantora, que é da época do LP, agora encara o digital, com novos planos e sonhos. Seu mais recente lançamento, “Eu Ainda Vou Sonhar”, composição autoral, já virou um hit na internet.

“A gente nunca pensou que essa transição do LP para o CD e agora o digital fosse tão rápida. Confesso que tive um pouco de resistência, mas entrei de cabeça. Esse novo formato veio para nos abençoar, ajudando-nos a evangelizar. É algo de Deus para esse tempo, e estou muito feliz por este momento.” Além disso, Eyshila está de casa nova após passar por duas grandes gravadoras e com grandes projetos.

Um EP já está saindo do forno e num futuro próximo, um novo álbum, com canções próprias e novos livros. “A Sony Music veio em um momento muito oportuno. Quando Deus quer mover algo em nossas vidas no mundo espiritual, manifesta isso no mundo físico.”

Eyshila está pronta para viver um novo tempo até quando Deus mandar parar. “Deus me deu asas para voar na direção que o vento do Espírito mandar. Seguir a direção dEle tem sido minha válvula de escape em cada momento crucial da minha caminhada. Cada vez que meu Mestre mandar, prefiro obedecer. Tenho certeza de que o Senhor está reservando o melhor tempo para nós e vai ser mais grandioso que aquilo que ficou para trás”, concluiu.

DISCOGRAFIA

1995 – Glorificando
1997 – Tira-me do vale
1999 – Mais doce que o mel
2001 – Deus proverá
2003 – Na casa de Deus
2005 – Terremoto
2006 – 10 anos ao vivo
2007 – Até tocar o céu
2009 – Nada pode calar um adorador
2010 – Falando de amor
2011 – Os sonhos não tem fim
2012 – AVEC 30 anos
2013 – Jesus, O Brasil te adora
2015 – Collection Ao vivo: 20 anos de Ministério
2014 – Deus no controle
2016 – O milagre sou
2017 – Vai amanhecer (EP)


leia mais

Eyshila lança primeiro single pela Sony
Em nova fase, Eyshila assina com a Sony