“Difícil é ser cristão”, diz roqueiro Alice Cooper

Foto: Reprodução

Convertido, o astro do rock, Alice Cooper falou sobre o período em que se afundou nas drogas e testemunhou sua conversão. “O cristianismo me colocou no caminho certo”, diz

Após se converter ao cristianismo, um dos mais icônicos artistas do rock, Alice Cooper, compartilhou seu testemunho recentemente em um culto da igreja Parkside, em Chagrin Falls, Ohio, EUA.

O pastor Alistair Begg, que é amigo de Cooper, e dirigente local, o convidou para dar uma palavra aos membros. O roqueiro estava acompanhado de sua esposa, Shery. Ele falou sobre detalhes de seus problemas mais sombrios quando estava no auge da carreira e fama, sendo inclusive eternizado no Memorial da Fama do Rock and Roll.

“Fui o mais longe possível da igreja e, é claro, tornei-me um alcoólatra; tornei-me viciado em drogas e Sheryl viveu isso comigo. Não importa quantas drogas eu tomava, não estava satisfeito. Isso não era satisfatório”, relembrou Cooper.

Alice Cooper contou seu testemunho ao lado da esposa na Igreja Parkside, em Ohio, nos EUA. Foto: Fox 8 News

Ao falar de sua mudança de vida, que o trouxe alegria, o artista enfatizou. “Beber cerveja é fácil; destruir seu quarto de hotel é fácil.

Mas o grande desafio é abdicar da alegria passageira para encontrar satisfação em Jesus: “Ser cristão é uma tarefa difícil. Essa é a verdadeira rebelião”, contou.

Durante seu discurso, Cooper disse que está quase 40 anos sóbrio.

Ele fundou uma organização baseada na fé chamada Solid Rock (termo que pode ser traduzido como “rocha firme”), dedicada a ajudar os adolescentes a encontrar um propósito.

Em seguida, pouco antes de orar agradecendo a presença do casal, o pastor Alistair Begg comentou a transformação vivida por Alice Cooper: “Deus se apoderou de sua vida e o virou de cabeça para baixo, o que na verdade o transformou [para trilhar] o caminho certo”, disse.


Leia mais

De ex-assassino para pastor evangélico
Livramento faz ator se voltar para Deus