Cristão nigeriano testemunha no Brasil sobre perseguição

(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

Nas 18 igrejas em que passou em diferentes estados no Brasil, Ibrahim contou aos cristãos sobre o cenário da perseguição na Nigéria

O cristão da Nigéria esteve no Brasil durante o mês de outubro e, ao lado de uma equipe do missão Portas Abertas, visitou 18 igrejas em quatro estados diferentes relatando perseguições.

Cerca de 5.100 pessoas ouviram o testemunho de Ibrahim e entenderam mais sobre a perseguição em seu país. Segundo o cristão nigeriano, ataques do grupo extremista islâmico, Boko Haram, atingiram seu vilarejo em 2014.

Durante o momento devocional que realizava em casa, ouviu o som de tiros. Ele relata que subiu no muro e viu muitas pessoas armadas, de várias idades, entrando na vila. Além das pessoas, um “tanque de guerra” atirava para todos os lados.

No entanto, Ibrahim orou pedindo misericórdia ao Senhor, para que sua vida fosse poupada. Assim, ouviu uma voz dizendo que ele não morreria. Nesse ínterim, algo lhe disse para subir em uma árvore no quintal, porém, ficou com medo e achou que ali estaria exposto.

Ao descer da árvore, saiu correndo entre os extremistas para sair da Vila. Integrantes do grupo começaram a segui-lo e atirar, entretanto, nenhum tiro o acertou, e quando olhou para trás não havia mais ninguém lhe perseguindo.

REFUGIADO

Por conta disso, o cristão precisou ficar em um campo de refugiados com a família. No local não havia comida, roupas, colchões, remédios ou outras coisas que necessitavam.

Ali que conheceu colaboradores da Portas Abertas. A partir desse momento, as coisas começaram a mudar. Dessa forma, conseguiu aos poucos reestruturar sua vida. Passou também a compartilhar seu testemunho, não apenas em seu país.

Apesar de toda a destruição direcionada aos cristãos nigerianos, Ibrahim conta que a igreja continua fortalecida em Cristo. Em síntese, eles continuam realizando culto nas igrejas, mesmo sabendo que ao se reunirem podem ser atacados. Depois de ter sua vida milagrosamente salva naquele ataque, o cristão nunca pensou em abandonar a fé.

Para a igreja brasileira, a mensagem foi: aproveitem a liberdade religiosa que existe neste país, porque um dia a Nigéria já foi livre, mas hoje está na 12ª posição na Lista Mundial da Perseguição 2019.


LEIA MAIS

Maior número de pessoas desaparecidas está na Nigéria 
Ataques na Nigéria – Igreja pede oração pelo país 
Shockwave: Dois mil grupo de jovens em oração pela Nigéria