25.8 C
Vitória
sexta-feira, 4 dezembro 2020

Teólogo afirma que cristãos não podem ser contra Israel

Leia também

Com fim do auxílio, desigualdade pode voltar aos anos 80

O auxílio diminuiu a diferença de renda entre os mais pobres e os mais ricos, o que pode ser verificado pela redução do índice de Gini

Transformador reserva é enviado a Macapá

O Ministério de Minas e Energia, revelou que a empresa tem sinalizado que o equipamento pode ser ligado ainda na segunda quinzena deste mês

‘Rachadinha’ é empecilho para candidatura de Arthur Lira

As investigações apontam que a "rachadinha" na Assembleia de Alagoas ocorreu, em parte, quando Lira ocupava um cargo no Legislativo estadual

Gerald McDermott mostra em livro como os judeus foram horrivelmente injustiçados pelos cristãos ao longo de milênios.

Por diversas razões a igreja deveria pensar de forma diferente sobre a terra de Israel e os judeus como o povo da aliança de Deus, argumenta o teólogo Gerald R. McDermott, professor na Escola Teológica Beeson, em Birmingham, Alabama.

Ele explica isso detalhadamente em seu novo livro, chamado “Israel Importa”, ainda inédito no Brasil. “Os judeus foram horrivelmente injustiçados pelos cristãos ao longo de milênios”, resume McDermott, apontando para o fato que o momento atual do mundo apresenta “grandes complexidades geopolíticas”, especialmente no Oriente Médio.

Teologia equivocada

“O erro de pensar que Jesus se afastou do judaísmo e começou uma nova religião favorece o distanciamento entre cristãos e judeus. Isso faz com que vejamos os judeus como o ‘outro’”, disse ele.

Porém, destaca o estudioso, nas últimas décadas, há um ressurgimento do movimento Sionismo cristão. Essa visão bíblica destaca que a terra de Israel e o povo judeu continuam no centro dos propósitos eternos de Deus.

McDermott reconhece que essa ideia é muito rejeitada nos círculos acadêmicos desde a Reforma, pois a maioria de seus líderes defendia que houve uma “substituição” de Israel pela Igreja.

Contudo, após anos de estudo, ele insiste que não conseguiu encontrar embasamento bíblico para tais argumentos, especialmente por que várias vezes nas Escrituras lê-se que os propósitos divinos são imutáveis e há muitas profecias referentes aos judeus e a terra de Israel para serem cumpridas.

Fazendo uma análise do pensamento teológico desde os primeiros séculos, ele destaca que desde os pais da Igreja como Tertuliano até eruditos mais recentes como o teólogo Karl Barth, defendiam que chegaria o dia em que os judeus retornariam à sua antiga pátria.

A maioria desses teólogos não aceitavam “espiritualizar” as promessas feitas por Deus aos judeus, tentando colocar a Igreja no centro. Eles também apontavam para o cumprimento de todas as profecias bíblicas, especialmente as relativas aos últimos tempos, que dão a Israel um papel de destaque.

O professor McDermott questiona que a chamada “teologia da substituição” e sua versão mais moderna, a “teologia da realização”, não conseguem justificar de modo consistente como ficam as promessas de Deus sobre a terra de Canaã e o repetido uso de “aliança eterna” relativa a muitos pactos divinos com o povo judeu.

“Paulo diz em Romanos 11:28 que os judeus que não aceitaram Jesus como Messias eram inimigos do Evangelho”, contudo, continuam sendo “amados por Deus”. Além disso, o versículo 31 usa o termo “também”, ou seja, Deus não exclui os judeus de seus planos para trocá-los pelos cristãos.

Outro texto lembrado por ele é Atos 1:6. “Quando os discípulos de Jesus perguntaram antes da sua ascensão: Senhor, quando restabelecerá o Reino para Israel? Jesus não disse que eles estavam errados por pensar que haveria um Israel futuro, estabelecido pela mão de Deus”, sublinha.

Mas o motivo principal pelo qual os cristãos não podem ser contra o povo judeu e sua terra, obviamente, é por que Jesus era judeu, assevera McDermott.

“Os judeus foram criados por Deus como representantes da humanidade. Então, se a Bíblia mostra que eles se afastaram de Deus, isso realmente mostra como todos nós agimos. Jesus disse que a salvação vinha dos judeus e previu que algum dia Jerusalém o receberá e ali ele governará com seus apóstolos sobre as tribos de Israel”, insiste.

Acrescentou ainda que “Se os cristãos começam a pensar que são, de alguma forma melhores só por que acreditam em Jesus como o Messias, não conseguirão entender totalmente a graça de Deus”.

O governo de Israel também erra

Apesar de suas objeções teológicas, McDermott não concorda com os sionistas cristãos que acreditam que a nação de Israel está isenta de erros. Ele não tem medo de criticar o governo israelense quando há motivos. Em seu livro, ele reconhece que, por vezes, os palestinos foram injustiçados e os líderes políticos de Israel tomaram atitudes “belicosas e imprudentes”.

Também reclama que o Israel moderno deveria fazer mais para proteger os judeus messiânicos, que ainda sofrem represálias. Para os cristãos que se preocupam com os palestinos, o estudioso encoraja-os a visitar Israel. Somente assim poderão ver como eles vivem e também se informarem melhor sobre os grupos terroristas palestinos e suas constantes ameaças de guerra e atentados.

Questionado sobre a promessa do presidente Trump em mudar a embaixada para Jerusalém, McDermott defende que tal gesto “ajudaria a causa da paz”. “Seria apenas o reconhecimento da verdade bíblica: Jerusalém é a capital de Israel, não outra cidade. Em segundo lugar, os líderes palestinos são bandidos e perceberiam com este movimento que não podem mais ditar as regras como eles fizeram com Obama e ainda fazem com as Nações Unidas”, conclui o professor.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Brasil e Israel: união para salvar Amazônia

O acordo entre Brasil e Israel tem o objetivo de contribuir para que o governo tenha mais dados para impedir as queimadas e o desmatamento na Amazônia. Saiba mais!

Palestina renovou laços com Israel

O ex-ministro da AP e confidente de Abbas tentou ver o retorno à coordenação com Israel como "uma vitória de nossa grande nação"

Número 2 da Al Qaeda foi morto secretamente no Irã

Autoridades iranianas estão acobertando a morte de Abdullah. Nenhum governo reivindicou responsabilidade pela ação. Saiba mais

Trump, Israel, os Árabes e os Acordos de Abraão

O Acordo é um trunfo do presidente Trump, pois fortalece a diplomacia de Washington ao unir esses importantes aliados americanos

Edição 277

O caso da menina de 10 anos que engravidou após ser violentada por um tio em São Mateus, interior do Espírito Santo e teve o aborto autorizado pela justiça, chamou atenção para a triste estatística de casos de abuso sexual em crianças no Brasil. E a igreja diante disso?

Existem passagens na Bíblia que são erradas de serem aplicadas a nós hoje?

"É preciso reconhecer o que é permanente e válido para nós, e o que é temporal, local e cultural" Sim, certamente sim! Este assunto é...

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

Conferência Paixão pela Juventude 2020

Realizado pela Juventude Batista Brasileira, evento será online e acontece em duas datas. A primeira será neste sábado, 28, e a segunda, dia 5 de dezembro. Saiba mais!

Miniconferência on-line: “Fé e Ciência para Corpos e Mentes”

Cientistas cristãos brasileiros respondem questões de fé e ciência para corpos e mentes. Tema será abordado na mini Conferência online. Saiba mais!

Seminário de ciências bíblicas em edição virtual; começa hoje

Realizado há 20 anos pela Sociedade Bíblica do Brasil, evento incentiva o estudo e capacita líderes sobre o uso da Bíblia.

Grandes artistas do Brasil no “BH profetiza”

Realizado pela cantora Camila Campos, O BH profetiza vai reunir diversos cantores, entre eles Weslei Santos, Gai Sampaio, pastora Helena Tannure e outros. Evento será transmitido ao vivo, nesta terça-feira, 17 
- Publicidade -

Plugue-se

Novo álbum musical do Missionário R. R. Soares

O álbum "Em O nome de Jesus", com 12  músicas inéditas, foi lançado depois de cinco anos. Primeiro single do projeto está disponível em todas as plataformas e Youtube

Wilson Witzel é batizado em igreja evangélica

O batismo ocorreu um dia antes de Witzel protocolar sua defesa no tribunal misto, que julga o processo de impeachment dele. Saiba mais!

3 palavrinhas é indicado ao premio Gerando Salvação

Na categoria “Projeto Infantil”, o 3 palavrinhas, que é considerado o maior canal infantil gospel do mundo, concorre ao lado de Aline Barros e outras estrelas do segmento. Saiba mais!

Saiba mais sobre o cristianismo em alguns livros

No Dia do Evangélico Comunhão selecionou 10 livros para estudar e conhecer mais sobre o cristianismo. Saiba mais!