20 C
Vitória
segunda-feira, 17 maio 2021

Telemedicina a serviço da Igreja

Desde junho de 2020, membros da Igreja Cristã Maranata tem à disposição assistência médica gratuita para casos suspeitos de covid-19

Desde que a pandemia de covid-19 começou no Brasil, em fevereiro de 2020, os serviços de saúde ficaram sobrecarregados e com o aumento considerável no número de casos, a Igreja Cristã Maranata criou um serviço de Telemedicina de graça para os membros da igreja de todo o país, que apresentem sintomas da doença.

Denominado “Assistência Médica Igreja Cristã Maranata contra a Covid-19”, o projeto conta com a participação voluntária de 16 médicos de diferentes especialidades e de vários estados do Brasil, além de uma médica contratada. Todos são membros da denominação e já atenderam a 947 pacientes.

“A ideia surgiu quando o presbitério da Igreja viu a necessidade de ajudar os membros com suspeitas de infecção a continuarem reclusos em suas casas. Então resolvemos implantar as consultas online gratuitas dando todo o suporte para o membro da igreja e ao mesmo tempo, ajudar o governo a desafogar o sistema público de saúde”, explicou o pastor Robson Silva, coordenador do projeto.


“Estava com os sintomas da covid-19 e fui muito bem atendido pela médica do projeto, que, além de todo o cuidado, tirou minhas dúvidas e me deu todas as orientações. Gostei do atendimento e ainda tive acompanhamento durante o tratamento. Poderia ter optado por outros meios, mas por se tratar de igreja, tive mais segurança, além do atendimento ter sido feito online, em casa, evitando a ida ao hospital. Senti o amor e o cuidado da igreja com seus membros, sendo verdadeiramente uma família de Cristo. Fico feliz em saber que todos os irmãos da igreja podem contar com esse benefício”. Pastor Fábio Aguiar – São Paulo (SP)


 

Robson, que também é enfermeiro e responsável pela unidade médica do Maanaim de Domingos Martins (ES), disse que o atendimento é realizado à distância, pelo computador ou pelo celular. As consultas são feitas através de um software especializado em serviços médicos, com chamada de vídeo entre médico e paciente.

“Para a pessoa ter acesso à consulta, ela precisa comunicar ao pastor responsável pela igreja que frequenta e ele envia um e-mail ao presbitério contendo dados e informações do membro da igreja que está com suspeita de covid-19. A secretária responsável pelo projeto faz o agendamento da consulta e encaminha uma mensagem ou e-mail com os dados para a teleconsulta”, afirma.

O objetivo é o tratamento antes do agravamento da doença. “Queremos poupar a vida dos membros, protegendo-o, oferecendo tratamento antes de o quadro de saúde se agravar”, complementou. O acompanhamento dos pacientes
pós-consulta também faz parte do projeto.

“Além de dar todo o suporte para à saúde do membro da igreja, ajudamos o governo a desafogar o sistema público de saúde” – Pastor Robson Silva, coordenador do projeto

Voluntariado

Todos os profissionais que integram este projeto atendem de forma voluntária. Aliás, essa é uma marca registrada da Igreja Cristã Maranata em todos os projetos sociais que desenvolve. No caso da saúde, são médicos da igreja que dedicam parte do seu tempo para atender pessoas que carecem de atendimento médico. O mais importante é dar assistência ao membro da igreja.

Um deles é o cardiologista Sérgio Luiz Barrote, de Belo Horizonte (MG), que está na Igreja há 32 anos. Para ele, fazer o trabalho voluntário para membros da Igreja é recompensador. “Sempre me disponibilizei como médico voluntário em diversas ações da igreja voltadas para a área da saúde. Essa iniciativa do presbitério foi muito importante e oportuna”, afirmou.

Além do serviço de Telemedicina, Sérgio também atendeu os membros através de vídeo chamada. “Nesse projeto, atendi centenas de pacientes da Igreja, de todo o Brasil. É um trabalho muito gratificante. Creio que todos nós podemos contribuir para amenizar o sofrimento das pessoas”, afirmou.

“Criamos um laço com os nossos pacientes e essa situação deliciada que estamos vivendo, nos torna ainda mais unidos e sensíveis” – Ana Priscila Lima, médica

Antes de mais nada o paciente é um membro da igreja, irmão em Cristo. Então o atendimento também se torna ainda mais especial. O ortopedista Luiz Antônio Freixêdas, de Tremembé (SP), que também é voluntário no projeto, destaca que todas as consultas têm oração no início e no fim. A busca pelo direcionamento de Deus é constante em todas as ações e atendimentos.

“Sou médico voluntário na Igreja há um bom tempo, antes da pandemia. Sempre dei apoio de saúde aos demais membros. Com a pandemia, tivemos agora essa prática do atendimento online. E nas consultas temos a prática de fazermos orações no início e no fim, pois entendemos a necessidade de buscarmos ao Senhor para que Ele nos ajude e nos oriente. Estaremos sempre a postos para servir ao nosso irmão na fé”, relatou.


“Achei muito bacana essa iniciativa da igreja, pois me senti segura e amparada. O SUS de onde eu moro me pediu exame e eu estava angustiada. Fiquei muito preocupada quando o resultado chegou e eu tive a confirmação que estava com a covid-19. Me cadastrei no projeto e rapidamente fui atendida por um dos médicos da igreja, que por sinal, foi excepcional. A atenção e o carinho dos profissionais de saúde foram fundamentais nesse momento que estamos vivendo. Me senti abraçada pela igreja”.
Adelina de Morais Santana – Ibatiba (ES)


Estudos, orientações e cuidados

Os médicos voluntários do projeto foram treinados para manusear o programa de Telemedicina. Além disso, foi criado um grupo de WhatsApp pelos próprios profissionais, “onde são discutidos artigos científicos, e de casos de pacientes e tentativa de padronização das consultas”, explicou Sérgio.

Em nome do auxílio na contenção da pandemia, foi preciso estudar para prestar um melhor atendimento. “Por ser uma doença nova, os profissionais de saúde estão estudando muito e trocando experiências. Estamos acompanhando tudo relacionado à pandemia para dar o melhor atendimento aos membros da Igreja, até por que existem casos que necessitam de uma abordagem mais detalhada”, afirma Freixêdas.

O médico destaca que o foco do projeto é adotar um atendimento precoce, para prevenir complicações causadas pelo coronavírus. “Com isso, a chance de ninguém evoluir com piora do quadro da doença é muito grande”, explica.


“Eu tive sintomas leves da covid-19, mas o vírus permaneceu por 25 dias em mim. Estava insegura e com dores. Então consegui o atendimento pelo projeto da igreja, onde o médico foi objetivo e preciso no procedimento, diante do meu relato e por isso, atendeu minhas expectativas. Esse projeto foi muito importante na minha vida. É uma iniciativa humanitária visando o bem-estar dos seus membros em meio ao caos que está a saúde pública. A instituição colocou em prática uma das doutrinas que Deus nos ensina: a união do corpo. Unidos pelo mesmo sangue de Cristo zelando uns pelos outros”. Cleifa Moreira – Paragominas – PA


 

Durante o atendimento, os membros recebem orientações, são encaminhados para a realização de exames, medicados e acompanhados posteriormente. “O papel é mais de orientação, conferimos os sintomas e vamos checando, se tiver paciente com saturação baixa, encaminhamos para o hospital”, completou Sérgio Barrote.

A telemedicina cumpre um papel que vai além da saúde. A médica Ana Priscila Lima, também voluntária do projeto, destaca que é preciso estar preparado para levar conforto espiritual para os membros.

“Criamos um laço com os nossos pacientes e essa situação deliciada que estamos vivendo, nos torna ainda mais unidos e sensíveis. Muita gente, além de um diagnóstico, precisa de uma palavra amiga, de abrigo do corpo e da alma”, afirma. “É muito gratificante poder ajudar meus irmãos em Cristo. Me sinto feliz e realizada por Deus ter me dado essa oportunidade”, completou.


“Eu tive os sintomas da covid-19, passei bastante mal e procurei o pronto atendimento onde moro, mas o médico não me atendeu direito e me mandou pra casa. Então resolvi entrar em contato com o projeto da Igreja Cristã Maranata, e tive um excelente atendimento por parte dos médicos. E os medicamentos que me foram receitados valeram demais. Hoje, graças a Deus, estou praticamente recuperado. Essa iniciativa da igreja foi muito válida. Quem guarda e quem dirige a nossa vida é o Senhor, mas além d’Ele, tem também a ciência que nos orienta para que possamos melhorar”. Jairo Francisco da Silva – Santa Luzia (MG)

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se