24.9 C
Vitória
quarta-feira, 27 outubro 2021

Tanques de guerra

Mais Artigos

Os tanques são senhas para que cada igreja entenda que está chegando a hora da batalha

Por José Ernesto Conti

Durante mais de 30 anos a igreja evangélica foi omissa para com nossa nação. Vimos e não fizemos nada para diminuir a influência do comunismo, travestido de socialismo em nossa nação. Vimos e apoiamos a doutrinação Gramsciniana sufocar nossas universidades e mudar a mente de nossa juventude e não fizemos nada.

A igreja evangélica criou uma bolha para si e passou a viver sonhando que só o mundo ouviria as trombetas apocalípticas e que nós estaríamos no paraíso. Quem pregou essa mensagem enganou a igreja e agora a realidade é viver em um mundo agressivo e desafiante, onde boa parte dos cristãos não estão preparados para enfrentar essa luta desigual contra as trevas.

Não estou querendo o pior para a igreja, mas está na hora dela acordar para a realidade. Os tanques estão nas ruas e isso não é figurativo. Temos um presidente sendo atacado de todos os lados por juízes raivosos, políticos com crise de abstinência e empresários inescrupulosos querendo sugar tudo para eles.

A igreja precisa ser o farol que há de guiar nossa sociedade nesse momento de trevas. Não existe neutralidade, o que existe é omissão. Não existe imparcialidade, existe desleixo e descuido para com nossa missão. Falta maturidade a igreja evangélica. Somos uma sociedade desarticulada e desnorteada. Mas ainda temos a maior e melhor mensagem que existe. Sabemos que existe um padrão que pode conduzir nossa sociedade para lugares mais altos.

Mas o desânimo da igreja está se alastrando como uma erva daninha, tirando da igreja todo o vigor e impedindo que boa parte dos membros continue ignorando a necessidade de sermos sal e luz. O sal tem que sair do saleiro e a luz precisa ser colocada no alpendre. O mundo precisa ver nossa cara, mesmo que para isso muitos sejam expostos a vergonha e ao desprezo, mas nossa mensagem é que importa nesse momento, não o mensageiro.

Hoje os tanques estão indo para as ruas, mas a igreja é quem tem a mais poderosa arma de batalha, sua mensagem. Os tanques são senhas para que cada igreja entenda que está chegando a hora da batalha. Chega de medo e fuga, é hora de mostrar que Deus pode governar esse país.

José Ernesto Conti, é pastor da Igreja Presbiteriana Água Viva

- Publicidade -

Comunhão Digital

- Continua após a publicidade -

Fique Por Dentro

Entrevistas