22.3 C
Vitória
domingo, 25 outubro 2020

SP pede R$ 1,9 bilhão ao governo Bolsonaro para dobrar produção da Coronavac

Leia também

Investimento Direto no País soma US$ 1,597 bi em setembro, diz BC

No acumulado dos 12 meses até setembro deste ano, o saldo de investimento estrangeiro ficou em US$ 50,026 bilhões

8,073 milhões de pessoas estavam em trabalho remoto em setembro, diz IBGE

Os empregadores, 9,4% trabalhavam de forma remota em setembro, e apenas 5,0% dos trabalhadores por conta própria estavam em trabalho remoto

Lenda viva no esporte! Os 80 anos de Pelé

A Fifa ainda publicou histórias curiosas sobre o "Rei do Futebol", envolvendo a origem do seu nome, o sucesso que fez em Nova York, a relação com celebridades da música e a participação em filmes.

No Brasil, o medicamento será testado em cerca de 9 mil voluntários em 12 centros de pesquisa

Por Mateus Vargas (AE)

O governo de São Paulo busca investimento de pelo menos R$ 1,9 bilhão do Ministério da Saúde para ampliar a previsão de entrega da vacina Coronavac no próximo ano, de 60 milhões para 120 milhões de doses. Desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac, o medicamento será fabricado no Brasil pelo Instituto Butantan.

O ministério ainda não se manifestou sobre o pedido. O presidente Jair Bolsonaro já criticou a negociação do governador João Doria (PSDB) para produção da vacina. “O mais importante, diferente daquela outra (vacina) que um governador resolveu acertar com outro país, vem a tecnologia para nós”, disse Bolsonaro em 6 de agosto.

O aporte do ministério na produção do Butantan foi tema de reunião nesta quarta-feira, 26, do ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, com o representantes do governo paulista.

“Não vejo a menor possibilidade de o governo brasileiro não entrar na iniciativa do Butantan. O ministro abriu reunião colocando interesse em conhecer e apoiar”, disse o secretário especial e chefe do escritório de representação paulista em Brasília, Antonio Imbassahy.

A Coronavac está em fase 3 de pesquisas, a última antes de receber o aval para ser distribuída. No Brasil, o medicamento será testado em cerca de 9 mil voluntários em 12 centros de pesquisa.

Caso os estudos deem certo, a Sinovac promete enviar 45 milhões de doses a São Paulo até dezembro. Outras 15 milhões seriam fabricadas, no primeiro trimestre de 2021, no Butantan, somando 60 milhões. A ideia é dobrar as doses distribuídas, se houver o investimento do governo federal.

Após a reunião com Pazuello, o secretário de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, afirmou que o investimento previsto pode ser insuficiente. “Talvez precise mais”, disse, citando necessidade de ampliar a estrutura do Instituto e importar equipamentos.

Se houver a ampliação da fábrica do Butantan, a ideia é produzir mais vacinas também para outras doenças. O diretor-geral do instituto, Dimas Covas, disse que pode dobrar a produção de imunizantes para gripe, de 80 para 60 milhões de doses. A ideia é atingir uma capacidade produtiva de 400 milhões de doses contra diversas doenças em “3 a 4 anos”, afirmou.

Hoje o Butantan produz 120 milhões de unidades por ano, mas a ampliação já prevista da fábrica para formular o medicamento contra a covid-19 ampliará a capacidade para 220 milhões.

Segundo Dimas Covas, o recurso pedido ao ministério bancaria o estudo clínico da Coronavac no Brasil, com R$ 85 milhões e a reforma da fábrica, estimada em R$ 60 milhões. O restante, mais de R$ 1,8 bilhão, seria investido na compra da própria vacina.

Questionado sobre a resistência de Bolsonaro à vacina chinesa, o secretário de Saúde paulista disse que o produto é “apolítico”. “Estamos tratando de medidas técnicas e com gestores técnicos. Dessa maneira que deve ser encarado. Não viemos de forma política”, afirmou.

A aposta do governo federal é no modelo de vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford e o laboratório britânico AstraZeneca. O governo liberou cerca de R$ 2 bilhões para que a Fiocruz receba, processe e distribua cerca de 100 milhões de doses.

Tanto a vacina de Oxford como a Coronavac devem ser aplicadas em duas doses. Assim, 100 milhões de doses, por exemplo, devem imunizar 50 milhões de pessoas.

A expectativa do governo paulista é encerrar os estudos clínicos no meio de outubro e submeter a vacina às análises da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), órgão que dá o aval para distribuição do produto no País.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Covid-19: Anticorpos duram sete meses no organismo

Estudo com 6 mil pessoas mostrou que os infectados pela covid-19 geram uma reação imunológica adequada. Saiba mais!

Consórcio para comprar vacina esbarra em problema político, dizem especialistas

A vacina produzida pela Sinovac BioTech com o Instituto Butantan deve estar disponível, provavelmente, em janeiro, disse Vecina

Líder da Missão Praia da Costa, Pastor Simonton Araújo, está na UTI

Pastor Simonton Araújo dirige a Missão Praia da Costa, em Vila Velha (ES), há 24 anos: "Seja feita a vontade do PAI!", escreveu

No Congresso, Doria pede que Bolsonaro respeite Pazuello

"Esperamos que a posição do ministro expressa ontem (terça-feira) seja a do governo Bolsonaro", disse o ministro

Bolsonaro volta a dizer que vacina contra covid-19 não será obrigatória

Na última sexta-feira, 16, o Presidente já havia sinalizado que o governo não iria obrigar a população a se vacinar

OMS: possível vacina da Pfizer requer paciência e remdesivir não é eficiente

Michael Ryan, diretor da OMS, afirmou que "pessoas devem usar máscaras apropriadamente, mas também tomar as outras medidas"

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

Semana dos manuscritos do Mar Morto; Saiba mais!

Arqueólogos e especialistas vão apresentar um dos mais impactantes achados da humanidade, na semana dos manuscritos do Mar Morto. Evento, que começa nesta segunda,19, é gratuito!

Live Solidária “Um Com Eles” em Libras

A live solidária, realizada pela Portas Abertas, será transmitida pelo Facebook, e estará acessível a todos que entendem a língua brasileira de sinais. Saiba mais!

Desafio Superação em corrida virtual; É neste domingo, 18

Em alusão ao Outubro Rosa, o Desafio Superação vai mobilizar mulheres cristãs de todo o Brasil em prol da saúde. Saiba mais!

Vovô Raul Gil recebe artistas gospel em live; Saiba mais

A live gospel do Vovô Raul Gil será no dia 21 de outubro e vai reunir personalidades e artistas evangélicos. Saiba mais!
- Publicidade -

Plugue-se

Kemuel fará reality; Novidade será anunciada em live

Isadora Pompeo, Rebeca Carvalho, Sarah Beatriz, Neil Barreto, Felipe Vilela e Pyero Tavolazzi são alguns dos convidados da live com Kemuell neste domingo, 25

Discos de platina e platina triplo para Davi Sacer

om milhões de plays, o cantor e compositor recebe premiações durante a gravação do seu novo projeto no Rio de Janeiro (RJ)

Sucesso no Brasil, Deezer gospel celebra quatro anos

Lives com artistas acontecem durante o mês como parte da comemoração de aniversário. Saiba mais!

“40 Dias – Milagre Da Vida”: impacto e esperança

Pastores e líderes de diversos lugares do país, mobilizaram pessoas de suas igrejas, amigos e familiares para conferirem no cinema a história impactante de Abby Johnson