Setembro Amarelo: combate ao suicídio

Foto: Reprodução

A campanha Setembro Amarelo deste ano terá como foco a prevenção do suicídio entre os jovens. Ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta, ressaltou aumento de casos entre o público

Você sabia que a cada 40 segundos uma pessoa no mundo tira a própria vida? Isso significa mais de um milhão de mortes por ano, segundo estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS), traduzindo-se em uma grave questão de saúde pública.

No Brasil, são registrados 12 mil casos anualmente, o que o coloca na oitava posição mundial em números absolutos. Casos de suicídio também são registrados entre pastores e líderes ministeriais da igreja. Comunhão já realizou um debate sobre o assunto

O Ministério da Saúde vai aproveitar setembro, mês de conscientização sobre a importância da prevenção do suicídio. E para enfatizar a necessidade de atenção especial com o bem-estar e a saúde mental de crianças e adolescentes.

Segundo o ministro Luiz Henrique Mandetta, o foco das ações desenvolvidas durante o Setembro Amarelo será o público jovem. É nesse público que vem aumentando o número de casos e de tentativas de suicídio.

“Vamos focar nesta questão dos jovens, tanto na questão do suicídio quanto das tentativas, procurando alternativas de políticas públicas indutórias”, disse o ministro durante a 7ª Reunião Ordinária da Comissão Intergestores Tripartite, realizada na última quinta (29), em Brasília.

Mandetta ressaltou que o aumento do suicídio entre os jovens é um fenômeno mundial que, nos últimos anos, vem causando crescente preocupação também no Brasil. O problema é complexo. “A barra está muito pesada, e isso está fazendo com que percamos muitos jovens”, afirmou o ministro.

Por isso a tamanha importância de debater isso no setembro amarelo. A questão do suicídio e outros temas de saúde mental devem ser tratados, entre todas as faixas etárias,  com informações claras e com o máximo de naturalidade possível.

“Assuntos como depressão, ansiedade e os cuidados com a saúde mental têm que ser incluídos na agenda. Temos que dizer que a depressão existe e que não se trata apenas de um estado de melancolia. Precisamos desmistificá-los, abordá-los como outros assuntos de saúde, como a hipertensão ou a diabete e valorizar a vida”, exemplificou o ministro ao defender a ação conjunta de profissionais das áreas de e educação.

Realizada em quase todo o mundo, a campanha Setembro Amarelo ocorre anualmente em setembro e tem o objetivo de sensibilizar e conscientizar a população sobre a questão e informar sobre os sinais que precisam ser observados com atenção, bem como os locais onde procurar ajuda.


Leia mais

Impacto evangelísticos: decida viver
Setembro Amarelo acende o alerta contra o suicídio
Ações de prevenção ao suicídio no Setembro Amarelo