26.3 C
Vitória
sábado, 10 abril 2021

Streaming impulsiona indústria fonográfica

As vendas de música nos EUA bateram recorde em 13 anos, após o laçamento de plataformas de streaming como Spotify e Apple Music. No Brasil, projeto gospel Deezer tem crescimento de 300% em 3 anos

As vendas de músicas gravadas nos Estados Unidos cresceram 13%, após os lançamentos de plataformas de streaming, como o Spotify e Apple Music. O valor arrecadado foi de US$ 11 bilhões no ano passado.

Número recorde desde 2006, de acordo com relatório emitido pela Associação da Indústria de Gravações da América (RIAA na sigla em inglês). O resultado é ainda melhor desde a era dos “CD’s”.

Além disso, o mercado norte-americano teve seu auge em 1999, quando as vendas de CDs formaram quase 90% de suas receitas de US$ 14,6 bilhões. Atualmente, mais de 60 milhões de pessoas nos EUA pagam hoje por assinaturas de streaming, segundo a RIAA.

Mercado internacional

O streaming constitui quase 80% das vendas nos Estados Unidos, o que representa maior mercado de música do mundo. As receitas aumentaram 20%, para US$ 8,8 bilhões. Mas em um ritmo mais lento que em 2018, quando as vendas das plataformas de streaming saltaram 30%.

streaming
A maioria das pessoas buscam músicas no Spotify. – Foto: Aline Pagotto

“A maioria das pessoas está aceitando que vamos começar a ver uma desaceleração [no crescimento do streaming] na América do Norte e nos grandes mercados europeus”, disse o diretor-gerente da Midia Research, Mark Mulligan.

A Vivendi, por exemplo, responsável por contratos de artistas como Billie Ellish e Taylor Swift, vendeu recentemente pequena parte da Universal Music avaliada em 30 bilhões de euros. Valor acima dos 6,5 bilhões de euros oferecido pela SoftBank em 2013.

Vale destacar que a Universal Music é controlada pelo bilionário francês Vincent Bolloré, que indicou neste mês que abrirá o capital da empresa “no máximo em 2023”.

Música gospel

A música gospel também se destaca nas plataformas digitais. A Deezer é a pioneira em realizar um projeto de conteúdo e de comunicação direta com o público gospel, criando e alimentando playlist com sucessos e lançamentos dos mais diversos cantores e bandas. No Brasil esse segmento tem crescido bastante.

Segundo Lincoln Baena, gerente do canal gospel da Deezer, atualmente, a plataforma de streaming global vê o crescimento do segmento em streams, da ordem de 300% no período de trabalho.

A Deezer reforçou o investimento no gênero, e com isso o aumento foi de 80% em 2019 se comparado ao ano anterior. O projeto está sendo ampliado para a América Latina, junto à manutenção do sucesso e pioneirismo no Brasil, com continuação de liderança e curadoria de Lincoln Baena.

*Da redação, com informações da Folha de São Paulo

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se