24.4 C
Vitória
segunda-feira, 15 abril 2024

Série: os 7 erros da benção dos pais

Fabio Hertel
“Como todo governo que quer implementar suas ideologias, acaba se ancorando no aspecto da comunicação do marketing", alerta Fábio Hertel

 Sabedor que poderíamos não ler toda a Bíblia, Deus colocou os pontos vitais, principalmente no que tange à prosperidade das famílias, logo no Gênesis

 Por Fabio Hertel

ERRO 07: SER POSITIVISTA APENAS

No último ensaio desta série, você poderia ainda estar se perguntando: Como posso ter certeza de que minha Bênção fará diferença na vida de meus filhos? Então, eu conduziria a resposta também perguntando: Você tem certeza de que irá para o céu após a morte? Você tem certeza de que ao compartilhar as boas novas do evangelho, as vidas de seus ouvintes serão transformadas? Penso que para todas estas perguntas só teremos respostas mediante à porção da nossa fé. Fé que vem pela Palavra de Deus. Então vamos a ela.

No princípio

- Continua após a publicidade -

 Sabedor que poderíamos não ler toda a Bíblia, Deus colocou os pontos vitais, principalmente no que tange à prosperidade das famílias, logo no Gênesis. E é neste livro introdutório que encontramos o próprio Deus escolhendo a Bênção como ferramenta para garantir e perpetuar sua vontade de nos ver frutificar, multiplicar, assumir o comando, cultivar e guardar sua criação (Gn 1:28; 2:15). Foi iniciativa de Deus também, iniciar o ciclo de uma Cultura de Bênçãos nas famílias. “Eu te abençoarei…” então “…você será uma Bênção para outros.” (Gn 12:2). Dezenas de outros textos comprovam que esta Cultura de Bênçãos deveria ser perpetuada de geração a geração (Gn 12:3; 17:7; 18:19; 25:11; 28:14). Assim, Abraão abençoou Isaque e ainda lhe deu toda a sua herança (Gn 25:5), atitude aprovada por Deus (Gn 25:11). Isaque abençoou Jacó (Gn 27:27-29). Jacó abençoou José e ampliou a proposta abençoando também seus netos (Gn 48:11-22). A Bíblia ainda investiu um capítulo inteirinho para revelar as Bênçãos de Jacó sobre todos os seus filhos. (Gn 49).

O sobrenome de Deus

 O sobrenome dos patriarcas não é revelado nas Escrituras, mas o de Deus sim: “Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó (Ex 3:6a). Com este “sobrenome” Deus deixa claro que não é um Deus de sacerdotes, pastores, líderes religiosos apenas, mas um Deus familiar e que sua Bênção se perpetua de pai para filho. No Novo Testamento a fé de Isaque e Jacó é enaltecida por abençoarem seus filhos e netos (Hb 11:20-21) e ainda garante que a mesma Bênção dada a Abraão está sobre todo aquele que crê em Jesus (Gl 3:14). Isso é suficiente para jamais encerramos o ciclo de receber e ministrar Bênçãos.

 Seja um canal de Bênçãos

 Abençoar não é apenas dizer algumas palavras positivas. Ter uma perspectiva positiva da vida e comunicar esta visão é muito bom, mas isso não é abençoar. Abençoar é crer na Palavra de Deus, desfrutar de suas promessas e transmiti-las a quem você ama. A Bênção não é a força de um pensamento positivo, é a força de um Deus poderoso que te ama e quer ver você e sua família prosperarem para Sua glória. Amém!

Fábio Hertel é Bacharel em Teologia, psicanalista clínico, pós-graduado em Marketing e uma história recheada de empreendedorismo, criativo, boas estratégias e conhecimentos sobre negócios.

Para saber mais sobre este assunto acesse:  fluir.bencaodiaria.com.br/7erros @fabioherteloficial

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -